Casey Stoner

MotoGP™: notícias do padock – 31/7

NOVO EXAME REVELA FRATURA COMPLETA NA CLAVÍCULA DE PEDROSA
Em recente publicação em seu blog, Dani Pedrosa, da Repsol Honda, informou mais detalhes sobre a sua condição física

Pedrosa retornou à Europa satisfeito com o quinto lugar no domingo passado em Laguna Seca e agora que lhe foi detetada fratura completa na clavícula a sua participação nos Estados Unidos parece ainda mais heróica. Os novos exames médicos semana mostraram que a lesão é mais séria que o resultado da primeira avaliação.

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team, Laguna Seca

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team, Laguna Seca

O piloto comentou online: “A corrida não foi nada normal para mim devido à lesão, mas tive boas sensações e não terminei muito longe dos líderes. O objectivo que tracei era terminar o mais próximo possível da frente e consegui fazer isso. Depois de tanto esforço era importante ver até que ponto a clavícula tinha sido afetada e foi este último exame, uma ressonância magnética 3D, que revelou mais que nos primeiros exames devido ao inchaço e visibilidade limitada da lesão. Esta última avaliação mostra uma fratura completa,” explicou Pedrosa.

O espanhol acrescentou ainda: “O mais importante é que não há deslocamento da fratura e não foi afetada pela corrida, mostrando que não há necessidade de operar novamente. São notícias relativamente boas e dentro de duas semanas faço novo exame. Vou fazer alguma fisioterapia durante as férias para possibilitar a recuperação a tempo de Indianápolis”.

Pedrosa ocupa atualmente a segunda colocação campeonato, a 16 pontos do seu companheiro de equipe e líder na classificação Marc Márquez.

STONER SERÁ PILOTO DE TESTES DA HONDA RACING
O piloto vai voltar a pilotar uma RC213V pela primeira vez desde Valência em 2012

O australiano Casey Stoner vai fazer quatro testes em Motegi nos próximos meses com a equipe de pesquisa e desenvolvimento da Honda Racing, trabalhando na evolução da RC213V e também na produção de nova moto de corrida para a equipe nipônica.

Casey Stoner

Casey Stoner

Casey Stoner: “Já se passaram quase nove meses desde Valência e continuo tranquilo com a decisão que tomei de parar de correr. Por vezes sinto falta de pilotar a minha RCV, por isso estou contente por a HRC ter-me pedido para fazer alguns testes em Motegi este ano. Isto vai me permitir desfrutar daquilo que sinto falta: pilotar uma máquina de MotoGP. Estou desejoso por voltar a andar na moto e ver o quanto mudou desde o ano passado e gostaria de agradecer à Honda pela oportunidade”.

Shuhei Nakamoto – Vice-Presidente Executivo da HRC: “Estamos muito felizes por termos o Casey de novo numa Honda. Ele conhece a máquina muito bem e estou certo que pode ser uma ajuda para os nossos engenheiros e técnicos no desenvolvimento da RC213V. Vamos pedir-lhe para testar a nova moto de corridas e dar-nos as suas primeiras impressões para nos ajudar a produzir a melhor máquina possível”.

DECISÃO DE CAL CRUTCHLOW É ESPERADA PARA ANTES DE INDIANÁPOLIS
Isso de acordo com Lin Jarvis, diretor da Yamaha Factory Racing, que, em conjunto com a equipe Yamaha Tech 3 de Crutchlow e com o patrocinador Monster, está tentando encontrar uma solução.

Cal Crutchlow, Monster Yamaha Tech 3

Cal Crutchlow, Monster Yamaha Tech 3

Quais são as últimas novidades quanto ao futuro do Cal Crutchlow?
Lin Jarvis – Na verdade, é a Monster Yamaha Tech 3 que detém o contrato com o Cal, mas basicamente há três partes interessadas no contrato: a Tech 3 enquanto equipe, a Yamaha enquanto construtora e a Monster enquanto patrocinadora. O que se passa com estas negociações é que estamos, as três partes em conjunto, falando com o Cal e seu empresário para vermos o que se pode fazer. Adoraríamos tê-lo conosco no próximo ano, mas sabemos que seu desempenho está muito bom e que, por isso, ele está sendo muito cobiçado, e os nossos concorrentes também estão interessados nos serviços dele. Espero que ele fique na Tech 3 Yamaha. Talvez esteja tudo esteja resolvido antes da próxima corrida, é isso que espero.

Disse recentemente que a Yamaha fez um grande esforço para apresentar uma proposta atrativa para o Crutchlow. Pode dizer algo sobre isso?
Lin Jarvis – Normalmente significa dinheiro. Basicamente, estamos prontos para fazer alguma coisa. Creio que o Cal está satisfeito com a equipe e com a moto e também com a posição em que está, mas é um piloto profissional, e num momento importante da carreira. Agora é o momento de fazer dinheiro na carreira, e é isso que estamos tentando – em conjunto com as três partes – ver o que podemos oferecer-lhe para continuar.

Tem consciência que há muitos rivais interessados em contratá-lo?
Lin Jarvis – Sim, estamos bem conscientes disso. Duas fortes alternativas – e talvez ambas as companhias tenham mais dinheiro que nós neste momento, por assim dizer. Temos uma situação em que o Cal evoluiu na Tech 3 e, normalmente, a Tech 3 é a nossa equipa para pilotos jovens, ou em desenvolvimento, que depois podem passar para a formação de fábrica. Cal está no ponto certo para dar o salto, mas estamos “cheios”. Temos o Valentino (Rossi) e o Jorge (Lorenzo) com dois anos de contrato pelo que, neste momento, não temos lugar na Yamaha Factory. São circunstâncias difíceis e do outro lado, especialmente na Ducati, a situação é diferente, pelo que eles talvez tenham mais possibilidades.

Em declarações proferidas na sua conta pessoal de Twitter na segunda-feira, Crutchlow comentou:
“Para todos os que me perguntam sobre o meu futuro; neste momento estou ainda em discussões e devo saber algumas coisas em breve. Quero agradecer a todos pelos tweets que me enviaram e pelas preocupações que mostraram para comigo em relação a com quem vou correr na próxima temporada. Quando a decisão for tomada tratarei de anunciá-la. Entretanto, tudo não passa de especulação. Mas por favor, não digam para quem devo, ou não, correr. Compreendo que todos querem uma equipe diferente, mas um verdadeiro fã apoia de forma incondicional…”