Os curiosos números do Grande Prêmio Bwin da República Checa

MotoGP™: notícias do padock – 22/8

OS NÚMEROS DO GRANDE PRÊMIO BWIN DA REPÚBLICA CHECA

Neste fim-de-semana (24 e 25) o Circuito de Brno recebe a 11ª etapa da temporada de 2013 da MotoGP™. Sabia que Marc Márquez já venceu 30 Grandes Prêmios na sua ainda curta carreira no Campeonato do Mundo? Estes e outros números é o que você verá a seguir:

Os curiosos números do Grande Prêmio Bwin da República Checa

Os curiosos números do Grande Prêmio Bwin da República Checa

 

77 – O segundo lugar de Dani Pedrosa em Indianápolis foi o seu 77º pódio na categoria rainha dos Grandes Prêmios, apenas um a menos um que o tetra-Campeão do Mundo de 500cc Eddie Lawson. Apenas três pilotos contam com mais resultados nas três primeiras colocações na categoria rainha que Lawson e Pedrosa: Valentino Rossi (145 pódios), Mick Doohan (95) e Giacomo Agostini (88).

39 anos – No dia da corrida em Brno passam-se exatamente 39 anos da vitória de Phil Read na corrida de 500cc do GP da Checoslováquia de 1974, à frente do companheiro de equipe Gianfranco Bonera. Esta foi a última vez que a MV Agusta conquistou uma dobradinha em Grandes Prêmios.

33 anos – No dia dos treinos qualificatórios em Brno passam-se exatamente 33 anos do dia em que Jon Ekerold levou a melhor na disputa decisiva com Toni Mang na última corrida de 350cc da temporada de 1980, em Nurburgring. Os dois pilotos estavam empatados em pontos na chegada à Alemanha e impuseram forte ritmo na lutar pela vitória e terminaram com mais de 30 segundos de vantagem sobre o anterior Campeão Johnny Cecotto, que terminou em terceiro.

30 – A vitória de Marc Márquez em Indianápolis foi a 30ª presença do espanhol no degrau mais alto do pódio na sua carreira em Grandes Prêmios – o mesmo número de vitórias que Luigi Taveri ao longo de toda a sua carreira. Mais uma vitória deixará Márquez em igualdade com Kork Ballington e Eddie Lawson.

26 anos – No primeiro dia de treinos do GP da República Checa passam-se exatamente 26 anos do dia em que Wayne Gardner venceu a primeira corrida de 500cc disputada no presente circuito de Brno, em 1987.

Maverick Viñales esteve no pódio nas nove primeiras corridas do ano

Maverick Viñales esteve no pódio nas nove primeiras corridas do ano

25 – O quinto lugar de Dominique Aegerter em Indy foi a 25ª corrida consecutiva em que terminou pontuando. A última corrida em que ele ficou sem marcar foi quando terminou em 18º, na primeira temporada do ano passado no Qatar. Além disso, essa foi a única vez nas últimas 36 corridas de Moto2™ em que Aegerter não somou pontos.

19 – No dia da qualificação em Brno o mais jovem piloto da Moto2™ – o indonésio Rafid Topan Sucipto – festeja o 19º aniversário. Um dia antes, o nipônico da Moto3™ Hyuga Watanabe celebra também 19 anos.

18 – Esta será a 18ª presença de Valentino Rossi em Brno. Além de Brno, Jerez é o outro traçado onde Rossi participou em todas as corridas desde que se estreou em Grandes Prêmios.

9Maverick Viñales esteve no pódio nas nove primeiras corridas do ano. Apenas um piloto em 65 anos de história dos Grandes Prêmios apresenta uma sequência de pódios mais longa desde o início do ano na classe de Moto3/125cc: Fausto Gresini, que venceu as dez primeiras corridas da temporada de 1987 .

6Valentino Rossi já venceu em Brno com seis motos diferentes: 125cc Aprilia, 250cc Aprilia, 500cc Honda, 990cc Honda, 990cc Yamaha e 800cc Yamaha.

“UM HOMEM QUE ADMIRO E DE QUEM GOSTO”, DIZ HERVÉ PONCHARAL SOBRE CAL CRUTCHLOW

Hervé Poncharal revelou o que sente por perder o piloto Cal Crutchlow no final da desta temporada da MotoGP™. O britânico, que faz parte da Monster Yamaha Tech3 de Poncharal desde 2011, vai juntar-se à Ducati Team em 2014.

Hervé Poncharal, diretor esportivo da Yamaha Monster Tech 3

Hervé Poncharal, diretor esportivo da Yamaha Monster Tech 3

Em conversa com o motogp.com, numa entrevista exclusiva, o Diretor Esportivo Poncharal falou primeiro sobre a contratação de Espargaró: 
“O intervalo de Verão foi marcado primeiro pela saída da equipe do Cal e depois pelas boas notícias da entrada do Pol na equipe em 2014. Vendo o que o Pol está a fazer na Moto2, estou certo que vai ser sucesso instantâneo. Acredito que que ele vai estar entre os cinco, seis primeiros muito cedo. Estou muito animado porque a equipe vai ter o Bradley Smith e o Pol Espargaro, ambos vindos da Moto2 e vão puxar muito um pelo outro”.

O gaulês continuou descrevendo abertamente a relação de proximidade com Crutchlow, tanto como piloto, como amigo, assim como o seu futuro: “Já disse muitas vezes mas quero voltar a dizê-lo: O Cal é um piloto muito especial para mim. Já tivemos muitos pilotos, são 30 anos de trabalho – pelo que é fácil imaginar quantos já tivemos! O Cal vai ficar na nossa memória como um dos melhores. O que querem que eu faça, que chore? Tenho uma relação incrível com ele, na pista e fora dela. É um piloto que respeito muito e um homem que admiro e de quem gosto. Não fico contente por perdê-lo, mas por outro lado ele tomou uma decisão que penso ser muito importante na sua carreira; vai ser piloto oficial, vai ter um ordenado decente e, se conseguir fazer as coisas funcionarem onde alguns grandes nomes falharam, penso que será muito emocionante. Vamos continuar a segui-lo; ele vai continuar a vir comer na nossa casa, vai continuar a visitar-nos entre corridas nas nossas instalações e quem sabe o que vai acontecer? Dentro de dois, ou três anos ele pode estar outra vez connosco”.

“Enquanto diretor da Tech3, tentei fazer-lhe a melhor proposta possível. Enquanto amigo, falamos. Por vezes é difícil gerir a Tech3 e tentar dar-lhe conselhos ao mesmo tempo – como qualquer outro piloto, o Cal procurava conselhos e foi uma grande decisão para ele. Acredito que fez uma boa escolha. Não sei se será a mais acertada … [pausa]… Acredito que foi a escolha certa. Ele vai ser piloto de fábrica, tem um grande desafio pela frente e terá o apoio de muitos técnicos de topo”.

Cal Crutchlow

Cal Crutchlow

O atual companheiro de equipe de Cruchlow, Bradley Smith, também está triste por ver o compatriota partir, mas está desejoso por voltar a lutar com o antigo rival Espargaró“Estou muito desapontado por ver o Cal partir”, diz Smith. “É muito bom tê-lo no box porque ele cria uma grande atmosfera. O Pol é alguém contra quem corri durante toda a minha carreira; os nossos caminhos foram muito semelhantes ao longo das nossas carreiras. Vai ser bom ter alguém da mesma idade e ele vai ser um estreante como eu. (Contudo) vai ser apenas mais um – e um que tenho de tentar bater”.

BRASIL RECEBE A MOTOGP™ EM 2014
O Campeonato do Mundo de MotoGP™ vai regressar ao Brasil em 2014, no Autódromo Internacional Nelson Piquet de Brasília, sujeito a Homologação FIM.

 

Anúncio do Grande Prêmio Brasil 2014 na Capital Federal

Anúncio do Grande Prêmio Brasil 2014 na Capital Federal

Na segunda-feira (19) o circuito de Brasília foi visitado por oficiais do MotoGP™ e autoridades locais antes de serem revelados à imprensa os planos para um novo Grande Prêmio. Ao lado das autoridades, incluindo Agnelo dos Santos Queiroz Filho, Governador do Distrito Federal, o CEO da Dorna Sports, Carmelo Ezpeleta, anunciou que o Campeonato do Mundo poderá voltar ao país durante a segunda metade da temporada de 2014.

Uma proposta por parte das autoridades brasileiras e o promotor local IMX, detalhando o projeto, vai ser apresentada à Comissão de Segurança durante o próximo Grande Prémio Hertz da Inglaterra, em Silverstone. Espera-se que depois disso seja dada luz verde para o início da reconstrução total do circuito de Brasília, o que deverá começar em dezembro de 2013 e terminar em Abril, ou Maio, de 2014. Por outro lado, a homologação FIM será indispensável para a confirmação oficial da etapa brasileira, que deverá ser disputado na segunda metade da temporada de 2014 da MotoGP™.

Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna Sports: “O Brasil é um dos mercados de motociclismo mais importantes do mundo. Voltar ao Brasil é um desejo de toda a família da MotoGP™ há muitos anos e é um tema de grande relevância para nós. Até agora tem sido impossível porque, como todos sabem, o mais importante para nós é a segurança. Penso que é mesmo fantástico. Neste momento o Brasil está envolvido em muitos projetos grandes, como a Copa do Mundo de Futebol e os Jogos Olímpicos, pelo que também é muito importante para eles – não apenas para o Governo Federal, mas também para o promotor IMX; eles estão totalmente empenhados em fazer um bom trabalho”.

A última vez que a MotoGP™ visitou o Brasil foi em 2004, quando a corrida da categoria rainha – que recebeu o nome de Grande Prêmio do Rio – foi ganha por Makoto Tamada. O Brasil vai tornar-se a segunda nova corrida sul americana no calendário do próximo ano, com a Argentina tendo  a outra prova.

Leia mais sobre esse assunto:  clique aqui