motogp-assen-marc-marquez-4

MotoGP: Márquez vence corrida hipnotizante em Assen

Quem acordou cedo neste domingo pode testemunhar uma das mais emocionantes corridas da motovelocidade dos últimos tempos. A MotoGP aterrissou em Assen (Holanda), oitava etapa da temporada, e promoveu uma corrida incrível, disputadíssima da largada a bandeirada com vários pilotos se revezando nas primeiras colocações. Como se diz por aí, a cada piscada, uma ultrapassagem. No final, mais uma vez, vitória para o estrategista Marc Márquez (93, Repsol Honda Team), agora um passo mais próximo de seu pentacampeonato na categoria rainha.

A passagem da MotoGP por Assen foi, no mínimo, fantástica. Numa disputa digna de Moto3, um pelotão liderou toda a prova, com inúmeras ultrapassagens e disputas

A passagem da MotoGP por Assen foi, no mínimo, fantástica. Numa disputa digna de Moto3, um pelotão liderou toda a prova, com inúmeras ultrapassagens e disputas

As 25 voltas no circuito foram hipnotizantes e protagonizadas por muitos pilotos, através de ultrapassagens, disputas de posições, erros e saves. Desde o início da prova, um grande pelotão, ora com seis e noutras com oito pilotos, liderou a corrida, com uma distância milimétrica entre as motos. Assim, a troca de posições era constante. Numa mesma volta, entre ultrapassagens e toques de carenagem, o então líder caia para a quarta colocação e logo retomava à disputa pela ponta e vice-versa. Correndo neste verdadeiro fogo cruzado, o pódio esteve formado por Maverick Vinãles (25, Movistar Yamaha MotoGP) em terceiro; Alex Rins (42, Suzuki Ecstar) em segundo e o já citado Márquez, no ponto mais alto. Mas o caminho até o pódio foi longo…

Viñales trouxe esperança à Yamaha (que está há exatamente um ano sem vencer), Rins obteve o melhor resultado da carreira e Márquez mostrou, novamente, porque é o atual campeão mundial

Viñales trouxe esperança à Yamaha (que está há exatamente um ano sem vencer), Rins obteve o melhor resultado da carreira e Márquez mostrou, novamente, porque é o atual campeão mundial. Detalhe: 3 marcas diferentes no pódio

Márquez, o estrategista da MotoGP

Márquez fez a pole em Assen, mas o destaque da largada foi Jorge Lorenzo (99, Ducati Team). O piloto arrancou da 10ª colocação, alcançou Marc e tomou a ponta ainda na primeira volta. Assim, deu a prévia do clima intenso que reinaria na prova até os segundos finais. Lorenzo liderou a prova nas primeiras 10 voltas e teve no seu encalço Márquez, Valentino Rossi, Alex Rins, Andrea Dovizioso, Maverick Viñales e Cal Crutchlow durante toda a corrida. Até que começou a perder rendimento e foi sendo ultrapassado por todo o pelotão e conseguir se manter na sétima posição. Até parecia que Lorenzo iria repetir o que fez nas duas últimas corridas para conquistar sua terceira vitória consecutiva pela Ducati.

Viñales toma a ponta e, em lance normal de disputa de posições, toca em Márquez. MM93 consegue 'salvar' mais uma e não perde o foco da estratégia: se manter no pelotão durante durante todo o tempo preservando seus pneus e, há poucas voltas do fim, disparar na liderança

Viñales toma a ponta e, em lance normal de disputa de posições, toca em Márquez. MM93 consegue ‘salvar’ mais uma e não perde o foco da estratégia: se manter no pelotão durante durante todo o tempo preservando seus pneus e, há poucas voltas do fim, disparar na liderança

Alex Rins também fez uma corrida ascendente e obteve seu melhor resultado na MotoGP até então. Com a Suzuki impulsionada por novo motor, o piloto largou em 5º e não apenas manteve-se no pelotão durante toda o tempo como até liderou a prova por alguns instantes, quando tocou Márquez num lance normal de disputa de posições e acabou descendo alguns degraus. Porém, na última volta recuperou-se e na última curva e garantiu o segundo lugar. Já Vinãles largou mal, saindo da sexta colocação e habitando o final do pelotão da frente durante metade da prova, aparentemente incapaz de alcançar os líderes. Contudo, avançou lentamente e na 19ª volta disputava a ponta com Marc, quando ambos saíram da pista e voltaram na sequência, iniciando nova recuperação de posições. O colega de Yamaha, Valentino Rossi, também fez grande prova, mas não conseguiu repetir o feito de 2017, quando venceu em Assen. Mesmo assim, notabilizou-se pela regularidade, nunca deixando o pelotão e finalizando a corrida com o quinto lugar.

O sorriso de quem foi vice-campeão na Moto2 e está levando a Suzuki de volta ao pódio na MotoGP

O sorriso de quem foi vice-campeão na Moto2 e está levando a Suzuki de volta ao pódio na MotoGP

Os maiores louros, porém, são destinados com louvor à Marc Márquez. Largou na pole, manteve-se nas posições iniciais do topo do pelotão durante todo o tempo, recuperou-se de uma trombada com Rins, de uma saída de pista com Viñales a ainda assim não desviou de sua estratégia. Correndo com pneus macios, o atual campeão precisava manter-se regular durante a maior parte da prova, evitando o desgaste precoce dos pneus, para nas voltas finais assumir a ponta, dar gás e tomar distância. Dito e feito. Apenas na 20ª volta Marc tomou a liderança definitivamente e disparou, abrindo mais de um segundo de vantagem em menos de duas voltas (vantagem que subiu para 2,2 segundos em quatro voltas), deixando as disputas em aberto apenas para o segundo lugar. Novamente, vitória da combinação estratégia, perseverança e talento. Vitória do seis vezes campeão mundial (quatro na MotoGP) e favorito ao título, MM93.

Viñales não largou bem, mas mostrou técnica e perseverança. Piloto reencontrou o pódio e mantém-se em terceiro lugar no campeonato

Viñales não largou bem, mas mostrou técnica e perseverança. Piloto reencontrou o pódio e mantém-se em terceiro lugar no campeonato

Márquez lidera com 41 pontos de vantagem

Com o resultado de Assen, Márquez frisa a imagem de favorito ao troféu, somando 140 pontos ante 99 do segundo colocado, Valentino Rossi. Viñales é o terceiro, com 93; Johann Zarco soma 81 e Andrea Dovizioso possui 79, fechando o top5. A temporada ainda não está nem na metade, com mais onze etapas pela frente, mas 41 pontos já formam uma vantagem considerável. A próxima corrida acontece em 15 de julho, na Alemanha, no Circuito de Sachsenring – que teve vitória de Márquez em 2017.

Passeio de Bagnaia na Moto2

O tempo estava lindo em Assen neste domingo, convidativo para um passeio. Ao menos para Francesco Bagnaia. O piloto largou na pole e não deu chance a ninguém, deixando em aberto apenas as disputas pela segunda posição para trás. Corrida espetacular também foi a do francês Fábio Quartararo, vencedor da etapa anterior e que veio lá do final do grid para escalar o pelotão e terminar em segundo, seguido de Alex Márquez na terceira posição. Assim, Bagnaia abre 16 pontos de vantagem na liderança da temporada, com 144 contra 128 de Miguel Oliveira e 110 de Alex. Para lembrar, a categoria passará por uma transformação em 2019, quando receberá motor com configuração totalmente diferente.

Moto3 com disputa intensa e vitória de Martin

Jorge Martin vence e lidera na Moto3

Jorge Martin vence e lidera na Moto3

A Moto3 é característica por disputas constantes de posições e na Holanda não poderia ser diferente. Pela categoria, cinco pilotos se destacaram na frente e brigaram toda a corrida pela ponta, se alternando na liderança: Jorge Martin, Aron Canet, Enea Bastianini, Marco Bezzecchi e John McPhee. No final, Bezzecchi e McPhee acabaram caindo sozinhos e deixando a vitória mais fácil para o pole-position Jorge Martin, com Canet em segundo e Bastianini em terceiro. Agora, Martin lidera a temporada com 105 pontos, apenas dois a mais que Bezzecchi. Fabio Di Giannantonio é o terceiro com 91, Bastianini é o quarto com 84 e Canet fecha o top5, com 81 pontos.

Resultado 8ª etapa da MotoGP – Assen

1 – Marc Márquez (93, Honda)
2 – Alex Rins (42, Suzuki)
3 – Maverick Viñales (25, Yamaha)
4 – Andrea Dovizioso (4, Ducati)
5 – Valentino Rossi (46, Yamaha)
6 – Cal Crutchlow (35, Honda)
7 – Jorge Lorenzo (99, Ducati)
8 – Johann Zarco (5, Yamaha)
9 – Alvaro Bautista (19, Ducati)
10 – Jack Miller (43, Honda)
11 – Andrea Iannone (29, Suzuki)
12 – Pol Espargaró (44, KTM)
13 – Aleix Espargaró (41, Aprilia)
14 – Scott Redding (45, Aprilia)
15 – Dani Pedrosa (26, Honda)
16 – Tito Rabat (53, Ducati)
17 – Bradley Smith (38, KTM)
18 – Hafizh Syahrin (55, Yamaha)
19 – Takaai Nakagami (30, Honda)
20 – Thomas Luthi (12, Honda)

OUT
Danilo Petrucci (9, Ducati)
Xavier Simeon (10, Ducati)
Karel Abraham (17, Ducati)

Separador_MotoGP



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.