Motor três cilindros Triumph ganha em compactação e custo, por ter menos peças

Motores de 4 cilindros estão ameaçados de extinção?

O motonliner Gabriel Vago Correia, de Serra (ES), está programando a compra de uma naked média de 4 cilindros, mas percebe que os últimos lançamentos de motos nesta classe foram todos com motores com 3 cilindros. Acompanhe!

O Gabriel escolheu a XJ6 com motor quatro cilindros, derivado da FZ6

O Gabriel escolheu a XJ6 com motor quatro cilindros, derivado da FZ6

Amigos motonliners, assim como vocês amo a vida em duas rodas. Já tive e pilotei várias motos. Porém, meu sonho sempre foi ter uma naked de 4 cilindros, não uma superesportiva, mas uma moto mais comportada na faixa dos 70 ou 80 cavalos. Depois de 3 anos pesquisando, concluí que a melhor escolha e o melhor relação custo-benefício seria uma Yamaha XJ6 e me programei para adquirir uma no primeiro semestre de 2014.

O que eu gostaria de saber – acredito que não seja uma dúvida apenas minha, mas de muitos motociclistas – é sobre uma certa tendência que se percebe com alguns lançamentos de motos de 3 cilindros nesta classe de motos. Por exemplo as novas da MV Agusta e a Yamaha MT09, sem contar a Speed Triple da Triumph. Parece que os fabricantes tendem a investir mais nas motos 3 cilindros? Como deverá ficar a fabricação de motos de 4 cilindros de média cilindrada? Será que deve se limitar a motos superesportivas? E outra questão ainda é saber se estes motores de 3 cilindros são tão bons quanto os de 4 cilindros e quais suas particularidades. Abraço a todos!

Acompanhe a resposta do Bitenca!

Onde três é melhor do que quatro? Quando for importante a compactação do volume do motor, uma curva melhor de torque, que favoreça as baixas e médias rotações e uma largura menor do eixo do virabrequim. São coisas que podem ter valor no projeto de um motor para motocicleta.

 

Motor da Kawasaki 636: distribuição inteligente dos componentes faz um motor compacto com quatro cilindros

Motor da Kawasaki 636: distribuição inteligente dos componentes faz um motor compacto com quatro cilindros

Em compensação o motor de quatro cilindros está consagrado. Nas pistas as vitórias das MV Agusta e desde o lançamento no mercado da Honda CB 750 no final dos anos 60. O “problema” de excesso de largura tem sido combatido com uma distribuição mais inteligente dos componentes do motor, como por exemplo, a disposição dos eixos transversais. O virabrequim e os eixos primário e secundário da transmissão são dispostos em diversos planos (níveis). A colocação do alternador e da bomba do líquido de arrefecimento em situação mais “estratégica” em termos de compactação e distribuição de massa. Isso sem falar no ruído do motor, que é um item importantíssimo no marketing das motocicletas.

Motor três cilindros Triumph ganha em compactação e custo, por ter menos peças

Motor três cilindros Triumph ganha em compactação e custo, por ter menos peças

Mas essas soluções, se aplicadas ao motor de três cilindros resultam em um bloco mais compacto ainda, sem falar na redução de custos por ter menos componentes. Isso tem atraido os engenheiros e assim a tendência que se observa é essa mesma. Substituição dos motores de quatro cilindros por outros de três. Isso pode e está fazendo uma revolução no mercado. Se a aceitação do público continuar a ser tão positiva e o som dos “inline four” puder ser substituido pelo som dos “triples”, aqueles poderiam estar condenados. Mas creio que há espaço para os dois, pelo menos por enquanto.