Atmosphere, de 1909

Motores Harley-Davidson carregam a história da marca

 

mini-destaqueLá se vão quase 150 anos quando alguns iluminados tiveram a ideia de colocar motor em bicicleta e assim acabaram inventando a motocicleta. A informação mais comum que se encontra sobre o assunto é a de que a motocicleta foi inventada simultaneamente por um americano e um francês que não se conheciam. Sylvester Roper nos Estados Unidos e Louis Perreaux na França, fabricaram um tipo de bicicleta equipada com motor a vapor em 1869.

Depois disso, há um aprimoramento técnico fundamental feito por Gottlieb Daimler, em 1885, na Alemanha, com um veículo de quadro de madeira com um motor a combustão interna de um cilindro instalado (tal qual o conhecemos hoje). Este alemão foi também chamado (e aceito como tal) de “o inventor da motocicleta” e deu origem ao grupo Daimler-Benz, que hoje fabrica os veículos Mercedes. Dez anos depois, a empresa francesa DeDion-Bouton criou um pequeno motor de 138 cc de fácil produção em escala industrial, o qual foi largamente copiado, inclusive (e principalmente) por empresas como as norte-americanas Indian e Harley-Davidson, que surgiram como tal no início do século seguinte, em 1901 e 1902 respectivamente.

A primeira motocicleta, com um quadro de madeira com motor a combustão interna: 1885

A primeira motocicleta, com um quadro de madeira com motor a combustão interna: 1885

Mas qual a razão para fazer todo esse registro histórico? Porque vamos falar dos motores que tem história, que no princípio foram copiados, mas que são parte do DNA da Harley-Davidson no desenvolvimento de seus motores. E os V-Twin Harley-Davidson contam um pouco da evolução da marca e têm sido a parte que compõe a alma das motos da marca há mais de 100 anos. Gerações de motociclistas, inicialmente na América do Norte e mais tarde no mundo participaram dessa história.

A linha da evolução, com as oito primeiras gerações

A linha da evolução, com as oito primeiras gerações

Mais do que meramente motores, os Big Twin da H-D possuem visual e som inconfundíveis, e se tornaram lendários ao longo da trajetória da companhia, que recentemente divulgou os mais novos integrantes dessa história, os motores Milwaukee-Eight™ que equipam os modelos da linha Touring. Os nove motores desenvolvidos pela Harley-Davidson ao longo dos anos retratam um pouco a evolução da marca. Há até uma menção aos famosos vazamentos de óleo, que foram eliminados, segundo a própria fábrica, nos motores Evolution® (1984 – 1999), pois “tinha um design sem vazamento de óleo, com ruído mecânico reduzido…“. Confira a linha do tempo dos motores da H-D e confira os detalhes que os diferenciam.
Atmospheric

Atmospheric

ATMOSPHERIC V-TWIN (1909)

O primeiro motor de dois cilindros da Harley-Davidson surgiu em 1909, o Atmospheric V-Twin, que recebeu esse nome devido à atuação de suas válvulas pelo vácuo criado durante o curso de admissão do pistão. Ele ganhou um lugar especial na história da H-D por ser o elemento mais distintivo do design da motocicleta da marca: o motor V-Twin refrigerado a ar de 45 graus.
F-Head

F-Head

F-HEAD (1911 – 1929)

Em 1911, o cofundador e engenheiro-chefe Bill Harley tinha resolvido os problemas de seu design V-Twin com a criação do motor F-Head, que tinha válvulas operadas mecanicamente. Até 1929 foi o principal motor da companhia até a introdução do V-Twin Flathead.
Disponível em deslocamentos de 45 pol³ (polegadas cúbicas) e, posteriormente, de 74 pol³ e 80 pol³ (equivalentes a 738 cc, 1.212 cc e 1.311 cc), esses incríveis motores de válvula lateral provaram seu valor para a Harley-Davidson com grande longevidade, tendo sido comprovado por gerações de motociclistas pela sua simplicidade e confiabilidade do modelo, que permaneceu em produção até o início dos anos 1970 em servicars de três rodas.
Flathead

Flathead

FLATHEAD (1929 – 1973)

A grande depressão foi um golpe para a indústria de motocicletas. Na tentativa de atender à demanda, Bill Harley testou várias novas opções de motor, até chegar ao incrível Flathead, incluindo os designs de quatro cilindros em linha e o “boxer”, de estilos opostos.

Knucklehead

Knucklehead

KNUCKLEHEAD (1936 – 1947)

Foi o primeiro motor da Harley-Davidson a ter componentes e superfícies deliberadamente estilizadas que, mais tarde, se tornaram um marco do desenvolvimento de produtos da marca. Ele recebeu este nome devido às tampas do cabeçote de alumínio polido brilhante, com dois grandes parafusos dos balancins em cada cilindro. Com o mesmo ângulo de cilindro de 45 graus que seus antecessores, o motor totalmente novo proporcionou mais potência, parcialmente devido às válvulas no cabeçote. Com ele, também foi lançado o primeiro sistema de óleo recirculante de circuito fechado H-D. Logo, todos os motores da companhia teriam o novo sistema de cárter de óleo seco e, junto a ele, o emblemático tanque em forma de ferradura em torno da bateria.

Panhead

Panhead

PANHEAD (1948 – 1965)

O Knucklehead definiu a aparência básica dos motores Big Twin que foram criados posteriormente pela Harley-Davidson e inspiraram muitos de seus concorrentes. Em 1948, mudanças importantes foram feitas para a criação de um novo motor com arquitetura básica e deslocamento semelhantes ao Knucklehead, logo lançado como Panhead. O Panhead, que também tinha cabeçotes de alumínio mais eficientes e tuchos de válvula hidráulicos, eram mais silenciosos e precisavam de menos manutenção.

Shovelhead

Shovelhead

SHOVELHEAD (1966 – 1984)

O Panhead foi seguido pelo Shovelhead para as motocicletas modelo/ano 1966 e apresentou, principalmente, uma melhoria na potência. As duas décadas seguintes viram uma proliferação de novos modelos que passaram a ser equipadas com motores Big Twin (como as motocicletas da família Dyna – Super Glide® 1971, o Low Rider® 1977, o Wide Glide® 1980 e muitas outras). Antes, os Big Twin só equipavam motos Touring.

Evolution

Evolution

EVOLUTION (1984 – 1999)

O motor Evolution® passou a integrar os modelos de 1984. Com 80 polegadas cúbicas, foi o maior salto no formato dos motores Big Twin até aquele momento. Tinha um design sem vazamento de óleo, com ruído mecânico reduzido e uma vida útil muito mais longa, entre outros avanços. Todos os recursos do Evolution® que os clientes prezavam foram mantidos no novo motor Twin Cam 88® que estreou nas motos de 1999.

Twin-Cam 88

Twin-Cam 88

TWIN CAM (1999 – Até hoje)

O novo motor oferecia comandos de válvulas impulsionados por corrente e aumento de deslocamento. O Twin Cam 88®  (1.442 cc) foi novamente aumentado em 2007, para se tornar o Twin Cam 96™ (1.563 cc). Mudanças significativas vieram com os modelos 103 (1.687 cc) e 110 (1.802 cc), ambos disponíveis com ou sem a refrigeração Twin-Cooled no modelo ano 2014. Juntamente com as várias melhorias do projeto Rushmore na família Touring, até então, o Twin Cam fez parte do maior projeto de desenvolvimento de produto da história da Harley-Davidson.

Milwaukee Eight

Milwaukee Eight

NOVO MOTOR MILWAUKEE-EIGHT™

Em 2016, a Harley-Davidson lançou Milwaukee-Eight™, o 9º motor da história da companhia e que marcou outro importante salto em termos de design de motores da marca. Com oito válvulas e cabeçotes refrigerados a água ou a óleo, o Milwaukee-Eight™ oferece o mais alto nível de desempenho da marca e tem a missão de seguir com legado dos Big Twin H-D para o futuro. A nova motorização recebeu esse nome para homenagear a cidade americana de Milwaukee em Wisconsin (EUA), o berço da Harley-Davidson, por apresentar quatro válvulas por cilindro (que totalizam oito) e também por que apresenta oito mudanças principais que refletem diretamente no desempenho das motocicletas da família Touring.

No Brasil, esse motores são oferecidos em duas versões diferentes e com três variações:

  • Milwaukee-Eight™ 107 (1753 cc), nos modelos Street Glide® Special e Road King® Classic;
  • Twin-Cooled™ Milwaukee-Eight™ 107 (1753 cc), na Ultra Limited;
  • Twin-Cooled™ Milwaukee-Eight™ 114 (1868 cc), nos modelos CVO™ Limited e CVO™ Street Glide®.
Separador_motos


Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.