Motos demandam 12% dos atendimentos nas rodovias

Apesar de representarem pouco mais de 1% do total de usuários que utilizam as rodovias que ligam Curitiba a Apucarana e Ponta Grossa a Jaguariaíva, os motociclistas respondem por mais de 12% dos atendimentos pré-hospitalar e mecânicos realizados neste ano pela RodoNorte, concessionária que administra os 480 quilômetros de rodovias principais das BRs-277, 376, 373 e PR-151 nesse trecho.

A demanda de atendimentos a motociclistas nas rodovias tem aumentado nos últimos anos. Conforme aponta estatística do setor de Atendimento ao Cliente, o volume de atendimento a motociclistas representou 10% dos serviços prestados em 2007, contra os 12% já verificados nesse ano.

Proporcionalmente ao crescimento da utilização por parte dos motociclistas, cresce também o número de acidentes onde eles estão envolvidos.

Somente neste ano, dos 1913 acidentes registrados até o último dia 23 de setembro no trecho administrado pela concessionária, 225 envolveram motos. Essas ocorrências resultaram em 299 pessoas feridas. Sendo que 15 delas perderam a vida. Além de vitimar famílias, esses acidentes causam grandes prejuízos aos cofres públicos.

De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), cada acidente com uma vítima fatal ocorrido nas rodovias custa R$ 291 mil ao Brasil. Se a vítima estiver em estado grave, o custo estimado é de R$ 52 mil por pessoa atendida. Dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) apontou que cada acidente com motociclista custa, no mínimo, cerca de R$ 5 mil em operações de resgate, danos materiais, assistência médica, perda de vidas de pessoas em idade produtiva e despesas previdenciárias. Somam-se a isso as perdas provocadas aos patrimônios público e privado, como danos em veículos ou na infra-estrutura das rodovias.
O presidente da regional paranaense da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR-PR), João Chiminazzo, considera que os dados relativos aos atendimentos prestados pelas concessionárias de rodovias comprovam a necessidade da cobrança da tarifa de pedágio para todos os usuários das rodovias, inclusive os motociclistas.

Riscos são mais elevados
Estatística divulgada recentemente pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) revela o risco de acidentes com motociclistas é muito maior do que o verificado com os demais veículos. “Sessenta e oito em cada cem motociclistas vão sofrer um acidente nos próximos seis meses. E há indivíduos que são vítimas de mais de um acidente nesse período”, acrescentou o médico Dirceu Rodrigues Alves Júnior, chefe do Departamento de Medicina Ocupacional da Abramet, em entrevista à imprensa nacional. A maior parte dessas vítimas é formada por homens, com idade entre 20 e 25 anos. Ou seja, pessoas em idade produtiva que, em caso de acidentes graves, têm a vida modificada drasticamente e, além disso, ajudam a aumentar os custos do sistema público de saúde.
Por conta disso, o gestor de Atendimento da RodoNorte, Gildo Pires, reforça a importância da utilização dos equipamentos obrigatórios de segurança e, além disso, à obediência às normas do Código de Trânsito Brasileiro. “Motoristas prudentes, bem equipados, estão menos sujeitos a se envolverem em situações graves”, completou.