Foto: Gilson Scudeler, piloto da Superbike do Team Scud, que conta com o patroc¡nio da Honda

MOTOVELOCIDADE – Scudeler faz dobradinha na Superbike

Foto: Gilson Scudeler, piloto da Superbike do Team Scud, que conta com o patroc¡nio da Honda

Foto: Gilson Scudeler, piloto da Superbike do Team Scud, que conta com o patroc¡nio da Honda

Piloto do Team Scud, patrocinado pela Honda, venceu as duas baterias da etapa de abertura do Brasileiro de Motovelocidade, neste domingo em Interlagos

Depois de largar na d‚cima posi‡Æo nas duas baterias da categoria Superbike, Gilson Scudeler mostrou neste domingo (23) porque ‚ hexacampeÆo do Brasileiro de Motovelocidade. O piloto do Team Scud, que tem o patroc¡nio da Honda, alcan‡ou a vit¢ria nas duas ocasiäes e assumiu a lideran‡a da competi‡Æo, com 50 pontos, j  na etapa de abertura, disputada no Aut¢dromo de Interlagos, em SÆo Paulo (SP). O pr¢ximo desafio do piloto ser  nos dias 19 e 20 de abril, em Santa Cruz do Sul (RS).

1a bateria – Vencer parecia uma tarefa complicada para Scudeler no in¡cio da primeira bateria, que contou com o total de 17 voltas. O paulista largou na 10a posi‡Æo. No in¡cio, a briga pela lideran‡a ficou entre Cristiano Vieira e Pierre Chofard, piloto de testes do Team Scud. No entanto, a experiˆncia de Scudeler falou mais alto. J  na sexta volta, ele alcan‡ou a terceira posi‡Æo e, na s‚tima, passou a liderar a prova. A partir deste momento, nÆo deu mais espa‡o para os advers rios e levou a bandeira quadriculada.

Danilo Andric ficou com a segunda coloca‡Æo, seguido por Cristiano Vieira. Robson Portaluppi, tamb‚m do Team Scud, terminou a primeira bateria em sexto lugar.

Scudeler fez uma corrida bem planejada e contou tamb‚m com a habilidade para vencer. “Preferi fazer uma largada mais conservadora e segurar um pouco o ritmo na primeira volta, pois a categoria possui muitos pilotos estreantes. Passo a passo fui imprimindo ritmo e consegui ultrapassar os advers rios mais f cil que imaginava. Meu objetivo era obter trˆs ou quatro segundos de vantagem e quando consegui esta margem fiquei mais tranqilo para abrir ainda mais e terminar a prova em primeiro lugar”, analisou.

2a bateria – A segunda bateria foi, teoricamente, mais tranqila para Scudeler. Novamente o piloto largou em 10o, mas em apenas uma volta e meia alcan‡ou a lideran‡a. Seu piloto de testes, Pierre Chofard, manteve a segunda coloca‡Æo por um bom tempo, por‚m foi superado e terminou a prova em s‚timo. Na segunda posi‡Æo ficou Danilo Andric e na terceira Cristiano Vieira. O outro integrante do Team Scud, Robson Portaluppi, garantiu o nono lugar.

Para Scudeler, a largada foi muito importante para a eficiˆncia na segunda bateria. “Tentei imprimir um ritmo r pido no come‡o. Depois que assumi a ponta, fiz uma pilotagem r pida, segura e econ“mica. Quando cheguei perto dos retardat rios, achei que era o momento de aumentar o ritmo”, concluiu.

Robson Potaluppi fez uma boa largada, mas teve problema nos freios, o que acabou deixando -o para tr s na classifica‡Æo. “Eu estava vindo bem. Por‚m este problema com o freio acabou me prejudicando. Se nÆo fosse isso, dava para ter feito uma prova mais tranqila. O importante ‚ que consegui tocar a moto at‚ o fim.”

Resultados Superbike – Primeira bateria
1 – Gilson Scudeler (Honda CBR 1000RR)
2 – Danilo Andric
3 – Cristiano Vieira
4 – Murilo Colatreli
5 – Bruno Corano
6 – Robson Portaluppi (Honda CBR 1000RR)

Segunda bateria
1 – Gilson Scudeler (Honda CBR 1000RR)
2 – Danilo Andric
3 – Cristiano Vieira
4 – Bruno Corano
5 – Murilo Colatreli
9 – Robson Portaluppi (Honda CBR 1000RR)