Mundial de Motocross volta ao Brasil dez anos depois

Mundial de Motocross volta ao Brasil dez anos depois

Mundial de Motocross volta ao Brasil dez anos depois

Depois de dez anos, o Mundial de Motocross volta ao Brasil em 2009. A cidade de Canelinha, em Santa Catarina, foi escolhida para sediar o Honda GP do Brasil, última etapa da mais importante competição de motocross do mundo. A prova acontecerá nos dias 12 e 13 de setembro, no Motódromo Arthur Jachowicz.

Canelinha é considerada a “Mônaco Brasileira” quando o assunto é motocross. O Motódromo Arthur Jachowicz é o mais tradicional do país, tendo recebido os maiores nomes da história do motociclismo nacional. A cidade recebe o Campeonato Brasileiro há mais de trinta anos. “Todo piloto brasileiro sonha em vencer em Canelinha. A cidade é fanática pelo esporte, o público é apaixonado e vencer aqui é uma grande glória” completou o atual campeão brasileiro de motocross e piloto local João Paulino “Marronzinho”.

A etapa do Brasileiro, sediada anualmente em Canelinha, SC, sempre foi uma das que teve o maior público. Nos últimos cinco anos, a média é superior a 20 mil pessoas. O contrato do Grupo Lance com a Youthstream (empresa detentora dos direitos do FIM World Motocross Championship) é de cinco anos, sinal de que a prova deve permanecer no país por muito tempo.

“Canelinha, sem dúvida, é a escolha certa para receber o Mundial. A cidade fica em um dos estados mais bonitos do país e muito próxima de Florianópolis. Além disso, é um dos locais mais tradicionais de motocross no país e um local onde a população é totalmente apaixonada pelo esporte”, comentou Alexandre Guelman, presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM).

As últimas provas internacionais da modalidade realizadas no Brasil foram em 1999, com o Mundial de 250cc em Belo Horizonte (MG) e de 125cc em Indaiatuba (SP). De lá pra cá, o esporte cresceu muito no país. A presença brasileira no cenário internacional consolidou-se principalmente com a classificação inédita para a final do Motocross das Nações por dois anos consecutivos e com os bons resultados do piloto brasileiro Jorge Balbi no exterior, que é o maior nome do esporte no País.

“A vinda do Mundial de Motocross para o Brasil é mais um passo no sentido de colocar o país entre as principais potências do esporte. Esta prova no Brasil vai facilitar o intercâmbio dos nossos pilotos e ajudará a elevar o nível técnico deles”, explicou Rafael Rocha, gerente do Grupo Lance, responsável pelo projeto.

Para o diretor de projetos especiais do Grupo Lance, Toni Lotar, “o patrocínio da Honda e o apoio do Governo de Santa Catarina estão sendo fundamentais para viabilizar o retorno do Campeonato Mundial ao Brasil, dando visibilidade internacional ao nosso país e ao belo estado de Santa Catarina. Temos a convicção de que com o sucesso da prova em Canelinha, ela ficará definitivamente inserida no calendário esportivo nacional” disse o diretor. Ao todo o evento será transmitido para 133 países e com audiência estimada em mais de 500 milhões de pessoas. No Brasil a ESPN e Bandsports transmitirão ao vivo.

O Honda GP do Brasil é patrocinado pela Honda, com o apoio do Governo do Estado de Santa Catarina, além de contar com a parceria de midia do Grupo RBS. O evento é realizado pelo Grupo Lance e Youthstream e supervisionado pela FIM-Federação Internacional de Motociclismo, Confederação Brasileira de Motociclismo e pela Federação Catarinense de Motociclismo.