Mundial de MotoGP chega à tradicional pista de Jerez

Na Espanha, competição que parte para a terceira etapa, espera um grande número de espectadores apaixonados pelo esporte

O Campeonato Mundial de MotoGP chega a uma das pistas mais tradicionais do circuito. Neste final de semana (2 e 3), o circo da competição chega a Jerez, na Espanha. O GP da Espanha é um dos eventos mais populares da temporada e regularmente atrai uma multidão de mais de 200 mil fãs que criam uma atmosfera carnavalesca em Jerez e nos arredores da cidade.

As esperanças locais também estarão elevadas para o vencedor do ano passado, o espanhol Dani Pedrosa, que apesar de estar ainda em recuperação das lesões no joelho e no braço, garantiu um notável terceiro lugar no Japão, na semana passada. O herói espanhol ainda não está 100% apto para a primeira das três corridas da MotoGP na Espanha, mas a sua rapidez e determinação em Motegi sugerem que ele não deve ser colocado de fora de um grande resultado. “Foi ótimo conseguir um resultado encorajador no Japão antes de vir para Jerez. Apesar de ter garantido um pódio, ainda não estou totalmente competitivo. Estou realmente ansioso. É sempre uma experiência muito especial para mim a corrida aqui. Minha condição física está melhorando. Espero que eu possa comemorar outro bom resultado”, analisou.

O novo companheiro da equipe Repsol Honda, Andrea Dovizioso, também andou bem em Montegi, garantindo um forte quinto lugar, apenas nove segundos atrás do vencedor. O italiano conseguiu dois quintos lugares consecutivos e aparece em quarto lugar na classificação. Ambos os pilotos da Repsol Honda estão ansiosos para retornar a Jerez. “Depois do Japão, chegamos a Jerez com mais confiança. Em Motegi constatamos que podemos lutar muito e correr com bom ritmo. Estou feliz com o resultado do Japão. Ainda há várias coisas a fazer na moto. O circuito de Jer ez é um dos meus favoritos. O clima aqui é sempre incrível. Há sempre um grande número de espectadores apaixonados por motos.”

Dovizioso e Pedrosa estão no primeiro grupo da classificação, em quarto e quinto lugar, respectivamente. O campeonato é liderado pelo espanhol Jorge Lorenzo, seguido por Valentino Rossi e Casey Stoner.

Pedrosa não será o único herói em casa com uma Honda. Toni Elias, da San Carlo Honda Gresini, também conta com um apoio maciço na Espanha e vai fazer tudo que estiver ao seu alcance para chegar mais à frente, depois de um início difícil no campeonato. Elias acredita que sua equipe está trabalhando na direção certa para encontrar um estilo bom de pilotagem. “Estamos no caminho certo. Já disputei grandes corridas em Jerez. O público lá é muito bom. É uma das razões para entrar na pista animado e otimista.”

O companheiro Alex de Angelis está trabalhando com afinco para recuperar o ritmo que teve no Catar durante a primeira etapa quando terminou em sexto lugar. “Depois de Motegi, seria um tolo se tentasse prever o que vai acontecer aqui. Será agradável retornar à Europa onde espero que as coisas voltem ao normal.”

Randy de Puniet (LCR Honda) está ansioso para colocar em prática os progressos que fez desde o início da temporada. Com uma pré-temporada reduzida, o piloto precisa de tempo para encontrar o par ideal entre sua moto e os pneus. “Eu gosto de Jerez porque é uma pista muito técnica e os espanhóis gostam realmente do esporte. Estou esperando boas condições meteorológicas para que possamos desenvolver nossa base seca.”

Yuki Takahashi é outro competidor que precisa de tempo. Ele é um dos nov atos deste ano na MotoGP e ainda está aprendendo a tirar o máximo proveito de seu equipamento. A sua aprendizagem não pode ser melhor por conta de um acidente na primeira volta em Motegi, mas o japonês está confiante. “Eu gosto de Jerez. Nos últimos dois GPs aprendi várias coisas sobre a moto, principalmente em Motegi que é uma pista que conheço bem”, disse.

Jerez foi o segundo circuito espanhol a ser construído para sediar o Mundial. A primeira prova foi realizada em 1987 e este ano, será a sede da 21ª. A Honda tem tido sucesso nos últimos anos em Jerez, com 16 vitórias na classe principal.

Jerez foi sempre popular entre os pilotos colocando grande ênfase na pilotagem técnica. Aproveitar ao máximo a vantagem dos pneus é provavelmente o maior desafio entre os pilotos.

A Honda também entyra forte na disputa da categoria 250cc, com Hiroshi Aoyama, Raffaele de Rosa, Shoya Tomizawa, Ratthapark Wilairot e Hector Faubel.

Calendário MotoGP:
03/05 – Jerez – Espanha
17/05 – Le Mans – França
31/05 – Mugello – Itália
14/06 – Circuit de Cataluña – Catalunha
27/06 – Assen – Holanda
05/07 – Laguna Seca – Estados Unidos
19/07 – Sachsenring – Alemanha
26/07 – Donington Park – Inglaterra
16/08 – Automotodrom Brno – República Tcheca
30/08 – Indianápolis – Estados Unidos
06/09 – Misano – San Marino
20/09 – Balatonring – Hungria
04/10 – Estoril – Portugal
18/10 – Phillip Island – Austrália
25/10 – Sepang Circuit – Malásia
08/11 – Comunitat Valenciana – Valência