Jean Ramos, piloto da categoria MX2 no Honda GP Brasil de Motocross 2011, em Indaiatuba (SP)

MUNDIAL MX – Philippaerts e Herlings vencem Honda GP Brasil de Motocross

Largada da categoria MX1 no Honda GP Brasil de Motocross 2011, em Indaiatuba (SP)

Largada da categoria MX1 no Honda GP Brasil de Motocross 2011, em Indaiatuba (SP)

Indaiatuba (SP) – Os pilotos David Philippaerts, da Itália, e Jeffrey Herlings, da Holanda, foram os vencedores das baterias finais das categorias MX1 e MX2, respectivamente, do Honda GP Brasil de Motocross, válido pela quarta etapa do Campeonato Mundial. No Troféu Honda 150, exclusiva para motos com 150cc, o representante do Mato Grosso, Thiago Formehl, venceu com sobra a categoria destinada a jovens pilotos. O evento, realizado neste fim de semana (21 e 22) na pista do Centro de Lazer Off-Road (anexo à Honda), em Indaiatuba (SP), reuniu 10 mil pessoas.

Com infraestrutura elogiada por pilotos e jornalistas do mundo todo, o Honda GP Brasil de Motocross 2011 teve emoção e adrenalina até o final. Foram 98 pilotos, entre estrangeiros e brasileiros, correndo na traçado de 1.560 metros, em um mega evento organizado pela Romagnolli Promoções e Eventos. “Foi um grande evento. Fizemos uma estrutura realmente para impressionar a todos. O público foi fantástico, os melhores pilotos estavam aqui e jornalistas de vários países trabalhando. Creio que deixamos uma boa imagem para eles”, coloca Carlinhos Romagnolli, diretor-presidente da Romagnolli Promoções e Eventos.

MX1
A primeira bateria da categoria começou com um duelo forte pela liderança. Antonio Cairoli e Steve Frossard protagonizaram grandes disputas, mas ao final o italiano venceu. David Philippearts foi o segundo, seguido de Frossard. O melhor brasileiro na bateria foi Jorge Balbi, 15º colocado. Na bateria final um acidente logo na largada. Evegny Bobryshev e Jorge Balbi se enroscaram. Pior para o mineiro, que teve de deixar a prova. Outro brasileiro também teve que largar a bateria. Ainda na primeira volta, Leandro Silva foi tocado por outro piloto e caiu. Em um ritmo bastante forte, David Philippaerts ultrapassou Cairoli e venceu a prova. Steve Ramon foi o terceiro. Desta vez, João Paulino “Marronzinho” foi o melhor brasileiro, terminando em 19º lugar. “Eu estou muito feliz de ter conseguido a vitória. Senti-me bastante co nfortável ao andar nesta pista, que estava muito boa. Minha intenção era estar no pódio e consegui. Correr na América é sempre bom”, afirma David Philippaerts.

Jean Ramos, piloto da categoria MX2 no Honda GP Brasil de Motocross 2011, em Indaiatuba (SP)

Jean Ramos, piloto da categoria MX2 no Honda GP Brasil de Motocross 2011, em Indaiatuba (SP)

MX2
O atual campeão do Mundial de Motocross, Ken Roczen, venceu sem dificuldades a primeria bateria. O alemão fez o holeshot e liderou toda a prova. A segunda e terceira colocações ficaram com Jeffrey Herlings e Paulin Gautier. Já na segunda bateria, o companheiro de Roczen, Jeffrey Herlings, contou com um erro do alemão, não perdoou e ganhou a prova. Roczen terminou em segundo, seguido de Paulin Gautier. “Eu adorei a pista, a estrutura do lugar é ótima e, principalmente, o público foi fantástico”, comenta Herlings. “É muito bom correr no Brasil. Mais uma vez foi muito legal receber o carinho de fãs nesse grande evento”, completa Roczen.

O grande destaque brasileiro das duas baterias foi Hector Assunção, que na primeira prova terminou na 15ª colocação e na segunda em 13º. Na classificação geral da etapa, o piloto somou 14 pontos, finalizando sua participação em 13º lugar. “É uma sensação ótima ser o melhor brasileiro na pista. No começo, cheguei a ficar entre os dez primeiros, porém no final perdi um pouco a resistência e caí algumas posições. Mesmo assim, estou muito satisfeito com o resultado”, comenta Hector.

TROFÉU HONDA 150
Na prova destinada a motos 150cc e jovens pilotos, Thiago Formehl sobrou na pista do Honda GP Brasil de Motocross e foi o campeão. Já a briga pelo segundo lugar ficou com Gustavo Henn e Kaio Miranda, que travaram duelo pela posição por quase toda a corrida. No final, Henn levou a melhor e conquistou a segunda colocação. “Foi uma ótima oportunidade de conhecer a pista do Mundial. Não estava acostumado a andar nesse tipo de pista, que é bem diferente da que corremos. O importante é que consegui me sair bem”, diz o vencedor.

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, criamos um tópico no fórum para os motonliners. Clique aqui para acessar o tópico.