Naked com estilo

Naked com estilo

Naked com estilo

Nova Ducati Monster 696 ganha motor de 80 cv e visual mais agressivo e moderno.

O come‡o de uma nova era.  assim que a Ducati define a nova Monster 696, apresentada pela primeira vez ao p£blico durante o SalÆo de MilÆo, em 2007. Essa bela novidade da linha Monster, a l¡der de vendas da marca italiana em todo o mundo, chega com algumas modifica‡äes em sua mecƒnica e cicl¡stica, al‚m de um visual totalmente inspirado no da sua irmÆ mais velha, a Monster 695. Para os fÆs de modelos naked, um verdadeiro prato cheio.

· primeira vista a impressÆo que se tem ‚ que a Monster 696 nÆo mudou nada se comparada … Monster 695. Puro engano. As duas versäes estÆo diferentes, o que se pode notar tanto nos pequenos detalhes como nas partes de maior destaque da moto.

Na dianteira, por exemplo, o farol arredondado do modelo antigo deu lugar a uma pe‡a com formato levemente ovalado, mais moderno. Os retrovisores estÆo mais esportivos, assim como o painel de instrumentos, equipado com mostradores digitais.

O tanque de combust¡vel tamb‚m foi modificado, e agora tem capacidade para 15 litros (ante os 14 litros da Monster 695). O assento do piloto tem altura de 770 mm, o que facilita a condu‡Æo para pessoas de menor estatura. A rabeta curta ganhou uma carenagem pintada, o que deu um ar mais nervoso ao conjunto. Chama a aten‡Æo os escapes duplos, que na Monster 696 estÆo menores e posicionados quase no mesmo n¡vel da rabeta. Mais enxuta, a nova versÆo da Monster tamb‚m est  7 kg mais leve que sua antecessora, com peso a seco de 161 kg. E as novidades nÆo param por aqui.

Mecƒnica – O motor da nova Monster ‚ um bicil¡ndrico em “L”, de distribui‡Æo desmodr“mica, com duas v lvulas por cilindro e 696 cmü. Segundo a Ducati, houve aumento de 9% no desempenho do novo propulsor, se comparado ao da Monster 695. Este ¡ndice deve-se, principalmente, a dois fatores: aos novos cabe‡otes do motor, que agora sÆo similares aos usados nos modelos Multistrada e Hypermotard; e aos pistäes, totalmente reformulados.

Com isso o propulsor da nova Monster 696 ‚ capaz de gerar 80 cv a 9.000 rpm (eram 72 cv na Monster 695) e um torque de 7,0 kgf.m a 7.750 rpm. Nada mau em se tratando de um bicil¡ndrico em “L”. O cƒmbio ‚ de seis velocidades com a transmissÆo final feita por corrente.

Cicl¡stica – Na parte cicl¡stica a Monster 696 est  equipada com um quadro em treli‡a com tubos de a‡o, uma das marcas registradas da Ducati. Na dianteira a suspensÆo ‚ invertida (upside-down) da grife Showa com tubos de 43 mm e curso de 120 mm. Na traseira o sistema usa uma suspensÆo progressiva monoamortecida e curso de 148 mm. Os freios sÆo da Brembo, com dois discos de 320 mm na frente e um simples de 245 mm atr s. As rodas sÆo de 17 polegadas e estÆo cal‡adas com pneus 120/60 ZR na dianteira e 160/60 ZR na traseira.

Com todas essas melhorias a Ducati Monster 696 vai enfrentar uma concorrˆncia de peso no segmento naked de m‚dia cilindrada. Isso porque, em um mercado concorrido como o Europeu, disputar espa‡o com Honda Hornet 600, Yamaha Fazer e Suzuki Bandit 650 nÆo ‚ tarefa das mais f ceis. Dispon¡vel nas cores vermelha, branca e preta, o 696 ainda nÆo tem data definida para chegar ao Brasil.