Foto: Cair parado ‚ mais chato ainda!

Não caia parado

Foto: Cair parado ‚ mais chato ainda!

Foto: Cair parado ‚ mais chato ainda!

Na primeira ocasiÆo em que a moto p ra, o motociclista tenta desesperadamente apoiar o p‚ no chÆo mas descobre, tarde demais, que sua perna ‚ insuficiente para alcan‡ar o chÆo, e a moto come‡a a cair lentamente, at‚ desabar na cal‡ada. O pior: dono de um corpo franzino, o motociclista nÆo consegue levant -la nem um mil¡metro do chÆo at‚ ser ajudado. Nem seria preciso ir tÆo longe num exemplo onde o motociclista nÆo consegue controlar o peso de uma moto quando est  em baixa velocidade, ou mesmo parada.

Come‡ar a pilotar cedo, e com motos pequenas, ‚ sempre melhor em todos os sentidos. Inclusive no que diz respeito a controlar a moto quando o motor est  desligado.  comum ver um motociclista novato sair da loja e logo quebrar um pisca, porque nÆo suportou o peso da motocicleta.

Uma boa forma de saber se a moto ‚ do mesmo n£mero do motociclista ‚ primeiro posicionar-se como se fosse pilot -la. Depois, retir -la do cavalete e verificar se os p‚s alcan‡am o chÆo, de preferˆncia com toda a sola. Por £ltimo, um teste que ‚ feito normalmente nas escolas de motociclismo do JapÆo, e que no Brasil ‚ completamente desprezado: deitar a moto no chÆo para depois avaliar se o motociclista consegue levant -la sem contrair uma h‚rnia. Resta saber se o vendedor vai permitir que o comprador deite a moto no chÆo. Talvez seja melhor fazer o teste numa moto-escola, ou com a moto de um (ex) amigo.

Foto: Se a moto ‚ alta, des‡a e empurre!

Foto: Se a moto ‚ alta, des‡a e empurre!

Depois que o motociclista j  vestiu a moto, ‚ hora de enfrentar as situa‡äes di rias, com motor ligado ou desligado. Antes de mais nada, valem algumas recomenda‡äes para quem for pilotar a moto: a vestimenta ‚ muito importante para evitar surpresas desagrad veis. J  sÆo conhecidos muitos casos de motociclistas que ca¡ram porque na hora de p“r o p‚ no chÆo a cal‡a larga engatou na pedaleira, e s¢ desengatou quando o joelho j  estava encostado no chÆo. Outro problema semelhante acontece com os cordäes de sapato, que podem enroscar nas alavancas de cƒmbio ou freio, e fazer o motociclista levar um vergonhoso tombo.

Para evitar essas surpresas, ‚ recomend vel usar roupas mais justas e sapatos (ou botas) sem cordÆo. Algumas pessoas tˆm o h bito de dobrar a barra da cal‡a para fora. Nas motos que tˆm um limitador sob as pedaleiras (a Yamaha Fazer 250 e a Honda CBX 250 Twister), a barra pode prender nestes limitadores, impedindo que o motociclista alcance o p‚ no chÆo.

Muitos motociclistas dÆo exagerada importƒncia … pilotagem esportiva, veloz e emocionante, esquecendo que um bom motociclista ‚ aquele que tem total dom¡nio sobre a moto em qualquer velocidade, mesmo quando est  quase parada. A maior prova disso sÆo os habilidosos pilotos de trial, que conseguem a incr¡vel fa‡anha de ficar parados em cima da moto, completamente im¢veis por muito tempo. Como nÆo se pode p“r os p‚s no chÆo nestas provas de trial, alguns pilotos conseguem at‚ ligar a moto sem apoiar o p‚ no chÆo, al‚m de andar para tr s, aproveitando a inclina‡Æo do terreno.

Um bom treino para quem acaba de comprar uma moto, ou mesmo para os mais experientes, ‚ procurar andar o mais devagar poss¡vel em linha reta sem p“r os p‚s no chÆo. No meu curso de pilotagem obrigava os alunos a equilibrar as motos fazendo c¡rculos em baixa velocidade usando apenas o freio traseiro. Muitos donos de motos esportivas nÆo conseguiam!

Uma cena desastrosa com s‚rias conseqˆncias materiais aconteceu h  muitos anos, diante de uma das primeiras lojas a comercializar Honda em SÆo Paulo. Um motociclista parou na frente da loja com sua Suzuki 500cc e ficou admirando as novas Honda CB 125 de dois cilindros, que tinham acabado de chegar. Elas estavam todas colocadas lado a lado, formando um belo pelotÆo de japonesas. O motociclista curioso resolveu estacionar sua moto ao lado das 125, mas nÆo observou o terreno. Resultado: uma das “pernas” do cavalete entrou num buraco e a pesada e velha Suzuki 500 caiu, derrubando todas as outras 125 novinhas. Durante muito tempo nÆo se teve not¡cias do motociclista da Suzuki 500.

Outra cena comum acontece com motos que tˆm a trava do guidÆo na coluna de dire‡Æo. Essa tipo de trava – que deveria ser abolido do mundo – j  levou muita gente boa pro chÆo. O cara sobe na moto, d  a partida e … capota solenemente! Ou entÆo sai com a moto sem tirar a trava do disco! Para evitar essas duas surpresas, pare com a roda DIANTEIRA encostada na guia, assim vocˆ ‚ obrigado a empurrar a moto pra tr s e percebe – bem devagar – se est  travada ou com cadeado!

Quem pratica esportes fora-de-estrada habitua-se rapidamente a manobrar a moto em terrenos hostis, com buracos, inclina‡äes, lama e toda sorte de armadilhas. Mas no caso dos motociclistas urbanos, este costume nÆo ‚ tÆo desenvolvido.  comum vˆ-los deixando a moto cair porque pararam em um terreno inclinado, ela andou um pouquinho, o cavalete se fechou e l  se foram os piscas e manetes. Algumas motos sÆo campeÆs de tombo deste tipo, como as mais pesadas, ou algumas que tˆm o maldito sistema de recolhimento autom tico do calavete lateral, como as Cagiva e algumas Ducati italianas.

Quando o motociclista vai manobrar a moto, principalmente se ela ‚ grande ou pesada demais para seu porte f¡sico, pode escorregar no piso molhado. Isto pode acontecer porque o cal‡ado tem solado de couro liso. Para pilotar motos ‚ recomend vel usar cal‡ados com sola de borracha, que dÆo mais aderˆncia ao piso molhado e escorregadio.

Na verdade, nÆo ‚ preciso for‡a f¡sica para manobrar uma moto, mas principalmente jeito. At‚ uma pesada e alta KTM 990 Adventure ‚ f cil de manobrar, desde que o motociclista saiba como fazˆ-lo. NÆo adianta brigar com a moto, usando a for‡a f¡sica para empurr -la. Quando o motociclista nÆo tem estatura suficiente para manobrar sentado no banco, ‚ melhor manter o motor ligado, descer da moto pelo lado esquerdo, engatar a primeira e manobr -la controlando o acelerador e o freio dianteiro.

As manobras para subir e descer de cal‡adas merecem aten‡Æo especial. Quando o motociclista erra os c lculos e nÆo consegue embalo suficiente para subir, a moto pode ficar parada com uma roda em cima da guia e outra na rua, deixando um vÆo livre entre o chÆo ‚ o p‚ ainda maior. Se o motociclista for baixinho, ‚ tombo certo.

Outro mart¡rio ‚ colocar as motos pesadas no cavalete central. O sufoco ‚ gratuito porque, na verdade, nÆo ‚ preciso fazer for‡a para puxar a moto para cima.  preciso sim utilizar a haste do cavalete, que funciona como uma alavanca, e empurrar a haste com o p‚, ao mesmo tempo em que d  um puxÆo honesto e firme na moto para tr s. Na hora de colocar a moto no cavalete ‚ preciso avaliar bem o terreno para nÆo ter a desagrad vel visÆo de uma motocicleta caindo lentamente.

Administrar o peso de uma moto parada ‚ muito mais do que simplesmente ser capaz de empurr -la. Significa ser capaz de domin -la completamente. Quando isso nÆo acontece pode ocorrer uma situa‡Æo hilariante para quem a assiste, e completamente sem gra‡a para quem vive a emo‡Æo de cair parado.