Nicolas é um dos mais jovens a praticar o FMX

Nicolas Ferreira “Chucky” é a revelação do FMX brasileiro

A carreira de Nicolas Ferreira, mais conhecido como “Chucky”, no Motocross Freestyle é recente. Mas em apenas um ano e meio praticando o esporte o piloto já é reconhecido nacionalmente por suas habilidades sobre duas rodas. O piloto é um dos mais jovens a praticar o Motocross Estilo Livre ou Freestyle Motocross.

Nicolas é um dos mais jovens a praticar o FMX

Nicolas é um dos mais jovens a praticar o FMX

Chucky iniciou na modalidade com 16 anos. Atualmente possui 18 e já faz muitas manobras radicais. Seu início no esporte sobre duas rodas foi no Motocross, incentivado pelo pai, ex-piloto, Giovanni Ferreira. Hoje, o piloto faz parte do grupo J99, liderado por Gilmar Flores, o Joaninha, considerado o maior nome da modalidade no Brasil. “Tudo foi tão rápido no início da minha carreira, com uma semana de treino fiz manobras que muitos jamais pensavam que eu poderia executá-las. Toda a equipe J99 ficou abismada com minha rapidez no esporte”, conta o piloto que logo começou a se destacar.

Não demorou muito para começar a fazer manobras que até então nenhum piloto brasileiro fazia. Chucky foi o primeiro a mandar cinco manobras: Lazy Boy Back Flip, Mini Flip, Jet Ski Tsunami, Surfer Flip Kiss of Dead e Can can Back Flip Nec.

Mesmo com o reconhecimento alcançado em tão pouco tempo, o piloto revelação espera alcançar saltos ainda mais altos. “Minha expectativa para o ano que vem é conseguir ficar entre os três melhores do Brasil e também executar novas manobras inéditas no país. Pretendo fazer meu trabalho no esporte, em shows e também campeonatos, não só brasileiros, mas se tiver a chance de disputar campeonatos mundiais”, afirma o piloto.

Nicolas Ferreira, o Chucky, já é um dos principais nomes do Brasil no esporte, mas sonha em se tornar o nome do esporte, assim como Joaninha é reconhecido. “Ser o nome do Freestyle brasileiro é o sonho de qualquer piloto. Quando falam em Joaninha, todos já lembram do Freestyle. Se um dia isso acontecer comigo, de ser lembrado pelo meu trabalho, pelas minhas manobras, como profissional e pessoa, com certeza vou ficar muito feliz”, ressalta.