Nova CBR 1000RR Fireblade 2008: direto das pistas para o público brasileiro(I)

Nova CBR 1000RR Fireblade 2008: direto das pistas para o público brasileiro(I)

Nova CBR 1000RR Fireblade 2008: direto das pistas para o público brasileiro(I)

Modelo chega ao mercado nacional totalmente reformulado com linhas marcantes, transmitindo mais agressividade e esportividade

Novo design, formas mais compactas, menor peso e a mais alta tecnologia Honda das pistas ao alcance do consumidor. Essas são algumas das principais características da nova CBR 1000RR Fireblade, importada do Japão e que chega ao Brasil na versão 2008.

Referência entre as superesportivas, o modelo alia modernidade e esportividade, sem deixar de lado o estilo consagrado que fez da motocicleta um sucesso mundial. A começar pelo seu design com formas mais compactas e foco na centralização de massas. Suas linhas marcantes com identidade própria transmitem nova tendência nessa categoria. Destaque para o conjunto frontal com formas aerodinâmicas e ângulo mais vertical.

Inspirada na MotoGP (RC 212V), a motocicleta possui concentração de peso próximo do centro de gravidade com redução de massa nas extremidades, resultando em um comportamento ágil e preciso, além de pilotagem mais esportiva.

O excelente desempenho da motocicleta é acentuado pelo potente motor DOHC (Double Over Head Camshaft), que gera potência máxima de 178,1 cv. O modelo possui, ainda, sistema de injeção eletrônica de combustível PGM-DSFI (Programmed Dual Sequential Fuel Injection), que entre os benefícios, é responsável pela baixa emissão de poluentes na atmosfera.

Aqueles que desejam uma pilotagem mais rápida e eficaz, contam com uma nova embreagem deslizante, que otimiza a transferência de potências às rodas e evita o travamento em desacelerações, além da perda de aderência e tração do pneu traseiro.

Design moderno e formas mais compactas – O estilo marcante e esportivo da CBR 1000RR Fireblade desperta a atenção. Seu design é baseado no conceito “Ultra Light Strong Form”, uma combinação perfeita entre formas mais compactas, aliada a redução de peso nas extremidades. Toda a estrutura é focada para oferecer alta performance e estabilidade.

Quando se trata do conjunto frontal, a motocicleta está com uma identidade ainda mais marcante, graças à carenagem com linhas que harmonizam o farol e as entradas de ar. O destaque fica por conta dos grafismos com emblema tridimensional no tanque, herança do modelo RC211V da MotoGP, além das faixas que integram o tanque e carenagem.

A CBR 1000RR conta com duas entradas de ar na frente, que alimentam a caixa do filtro de ar, agora com maior capacidade volumétrica, de 9,7 litros. Com isso, o ar coletado em alta velocidade pressuriza a mistura ar/combustível, aumentando a potência e melhorando o desempenho.

Para integrar essa nova estrutura, a carenagem do tanque de combustível (cuja capacidade é de 17,7 litros) está mais robusta e com melhor encaixe para as pernas do piloto.

O painel de instrumentos está mais completo, com informações concentradas em um único conjunto. Destaque para o “Shift Light”, um indicador que mostra quando é necessário trocar de marcha, e o computador de bordo, que aponta quantos quilômetros o motociclista pode percorrer com o combustível na reserva. É possível fazer a leitura do hodômetro total e parcial, tacômetro, indicador de temperatura do motor, indicadores de reserva e direção, relógio e H.I.S.S. (Honda Ignition Security System). Conta ainda com botões de ajustes para o hodômetro e Shift Light.

O assento do piloto e a rabeta estão menores, com um visual agressivo e compacto, melhorando o posicionamento do piloto. Isso deixa a motocicleta muito mais esportiva e dá a sensação de agilidade. A rabeta também foi modificada, formando um conjunto de linhas compactas e esportivas.

Uma das características mais marcantes da CBR 1000RR Fireblade é o novo escapamento, privilegiando a centralização das massas. Seguindo uma tendência derivada da MotoGP, o componente tem um desenho mais curto e está fixado na lateral do modelo. Sua configuração é do tipo 4 x 2 x 1, todo de aço inox.

O conjunto óptico com novo desenho possui faróis alto e baixo, com refletores multifocais e lente de policarbonato. As lâmpadas são de 55/55W.

Compondo o conjunto, as luzes espias mais os indicadores de direção em LEDs (Light Emitter Diode) estão integrados ao novo espelho retrovisor, garantindo melhor aerodinâmica, além de visibilidade e segurança ao motociclista.

Já a lanterna traseira é mais compacta e possui uma dupla fileira de luzes em LED, que permite uma distribuição adequada do brilho da luz emitida, resultando em perfeita sinalização e visualização em diferentes situações, tais como neblina, direção noturna ou mesmo durante o dia. O grande benefício dessa iluminação é dar segurança ao usuário durante a pilotagem, além do baixo consumo de energia.

Suas dimensões também foram alteradas e colaboram com a maior estabilidade e dirigibilidade da motocicleta. A relação entre comprimento x largura x altura é de 2.080 mm x 685 mm x 1130 mm. Além disso, a distância entre eixos aumentou em 10 mm e ficou com 1.410 mm. O assento está mais baixo com 820 mm.

Motor: concebido com base nos modelos de competição – Nada mais chama atenção dessa esportiva do que o seu conjunto mecânico. Toda a potência da nova CBR 1000RR Fireblade está no motor de 4 cilindros em linha, alimentado por injeção eletrônica PGM-DSFI (Programmed Dual Sequential Fuel Injection System), DOHC (Double Over Head Camshaft), 16 válvulas e arrefecimento a líquido. A grande novidade é o aumento da cilindrada: 999,8 cm3, ante 998 cm3 da versão anterior. Além disso, o motor gera potência máxima de 178,1 cv a 12.000 rpm e torque de 11,4 kgf.m a 8.500 rpm.

Na procura por uma resposta mais forte, aumentou-se o diâmetro e reduziu-se o curso dos êmbolos do motor. Com isso, o modelo tem um novo bloco de cilindros separados – quatro em linha. A camisa de composto cerâmico, mais resistente, é mais um exemplo de tecnologia aplicada nas pistas.

Além disso, os pistões estão leves e maiores, de 75 mm para 76 mm. A distância entre eles diminuiu de 6 mm para 5 mm e o curso reduziu em 1,5 mm, permitindo o motor acelerar mais rapidamente.

A motocicleta traz um dos mais avançados sistemas de injeção de combustível desenvolvido pela Honda: o PGM-DSFI. O recurso processa com precisão a quantidade de combustível que compõe a mistura.

Dotado de sensor de oxigênio HECS-3 e catalizador, o escapamento monitora um sistema de emissões de poluentes, mantendo a máxima eficácia de combustão e exaustão dos gases. Há ainda o controle de velocidade de saída dos gases por meio de duas válvulas: uma mecânica, que atua com o aumento de pressão no interior do escapamento e outra, eletro-mecânica, controlada pelo módulo ECM, que otimiza o potencial do motor em todas as faixas de rotações. Quando está em alta, o fluxo é mais direto, enquanto que nas baixas e médias, a quantidade dos gases é mais longa e restrita.

Dessa maneira, a CBR 1000RR Fireblade atende às normas de emissão Euro 3, similar ao PROMOT (Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares), previsto para entrar em vigor no país em 2009.

A bateria é selada de 12V – 6 Ah e dispensa manutenção.