Nova CBR 1000RR Fireblade 2008: direto das pistas para o público brasileiro(II)

Chassi: mais leve e compacto – Quando o assunto é o chassi da nova CBR 1000RR, a Honda também inovou. Do tipo Diamond Frame, a grande alteração é a peça única em forma de U, funcionando como elemento de ancoragem da balança traseira, além da coluna de direção fundida e duas seções que sustentam o motor.

Além disso, para obter a diminuição do peso do conjunto e uma melhor centralização de massas, o número de componentes utilizados na construção do quadro de alumínio foi reduzido de nove para quatro peças fundidas. Com isso, a rigidez lateral aumentou 13%, a torsional 40% e a vertical 30%, absorvendo o impacto e a reação do piloto.

A nova ciclística está melhor com a diminuição da largura do chassi, graças às duas vigas que partem da coluna de direção 30 mm mais estreita e 2,5kg mais leve, permitindo maior estabilidade na pilotagem, principalmente em curvas e mudanças bruscas de direção, independente do grau de experiência do piloto.

Transmitindo segurança e eficiência, o conjunto de suspensões traz as mais altas tecnologias Honda das pistas de competições. A parte dianteira é do tipo telescopia invertida (Upside Down). Com 43 mm de diâmetro e 120 mm de curso, a unidade conta com seis regulagens de velocidade de compressão e retorno, garantindo maior estabilidade na pilotagem.

Baseada na RC 212V da MotoGP, a suspensão traseira é UNIT PRO-LINK com o sistema HMAS (Honda Multi Action System) e reservatório de gás. Isso permite múltiplas regulagens na velocidade de compreensão e retorno do amortecedor e da tensão da mola. Além disso, está mais leve, rígida e longa. O curso também aumentou e está agora com 138 mm.

Outro destaque é o amortecedor HESD (Honda Eletronic Steering Damper), que utiliza sensores de velocidade e aceleração, anulando eventuais oscilações do guidão percebidas nas rápidas acelerações. Essa tecnologia também proporciona fácil maneabilidade em baixa velocidade. O equipamento está sob a capa do tanque de combustível.

Segurança em alta velocidade – A CBR 1000RR Fireblade é equipada com freios a disco duplo com acionamento hidráulico de quatro pistões na dianteira, cáliper de encaixe radial e diâmetro de 320 mm. Seu peso foi reduzido e está agora com 520g, proporcionando maior eficiência nas frenagens. As pinças representam outra alteração com mudanças no êmbolo de alumínio e nos anéis de fixação dos discos. Já o freio traseiro é a disco com acionamento por pistão simples, com 220 mm de diâmetro.

A motocicleta dispõe de rodas de alumínio (com paredes mais finas) de 17” e pneus radiais de perfil superesportivo, assegurando excelente aderência e dirigibilidade.

Exclusivo sistema de embreagem deslizante – Essa superbike chega ao mercado brasileiro com um sistema de embreagem deslizante, que otimiza a transferência de potência às rodas em qualquer situação de uso, garantindo altíssima performance.

O exclusivo sistema Honda é formado por um par de veios rebaixados que rapidamente forçam o conjunto da embreagem a se acoplarem de maneira rápida e firme. Com isso, disponibiliza potência imediatamente e reduz a quantidade de força de pressão da mola e o tempo de desengrenamento.

Comandado por cabo, o mecanismo permite uma pilotagem rápida e eficaz nas pistas, bem como uma condução confortável e intensa em estradas.

Evita, ainda, o travamento e, conseqüentemente, a redução na capacidade de aderência.

O modelo oferece o H.I.S.S. (Honda Ignition Security System), um sistema de proteção contra furto. A tecnologia é considerada um diferencial Honda e proporciona maior segurança ao estacionar o veículo em locais públicos.

Somente a chave original tem capacidade para acionar o motor, devido à identificação por chip eletrônico. Com isso, o piloto fica protegido contra tentativa de furtos com chaves não originais.

A história da Fireblade – A apresentação da nova versão da motocicleta ao mercado brasileiro é conseqüência de anos de evolução. De linhas arrojadas, agressivas e compactas, a CBR 1000RR Fireblade foi mais além de uma moto esportiva, atingindo o topo da sua categoria e se tornando referência tanto nas pistas quanto nas estradas.

Tudo começou em 1992 quando a Honda introduziu no mercado a CBR 900RR Fireblade. Uma moto marcante e ligeira, baseada no conceito “Light Makes Rigth” (mais leve é melhor) e “Total Control” (controle total), graças ao motor de 900 cm3 com a ciclística de 600 cm3. De 1992 a 1998, o modelo passou por algumas alterações e se consolidou no segmento das superesportivas.

Entre os anos de 1999 e 2002, as mudanças foram notadas nas cilindradas do motor, mas sempre mantendo a aparência arrojada e o peso reduzido.

Nos vários campeonatos do mundo, pilotos e equipes reconheceram o competitivo potencial do modelo e ao longo do tempo alguns títulos conquistados, desde provas regionais, passando por competições como o TT da Ilha de Man, as 8 horas de Suzuka e as 24 horas de Le Mans.

A grande revolução foi notada em 2004, quando surgiu a CBR 1000RR Fireblade. O modelo criou uma nova base competitiva tanto no mercado superesportivo como em competições. Fato comprovado pelo piloto do Campeonato Mundial de Superbike, James Toseland, no qual deu para a Honda o título do campeonato em 2007. Outro destaque é o integrante do Team Honda, Gilson Scudeler. Ele foi campeão brasileiro na Superbike no ano passado e, em 2008, já é líder em sua categoria.

Nesta sua nona geração, a CBR 1000RR Fireblade 2008 chega para revolucionar o mercado com as mais avanças tecnologias das pistas. Seu desempenho é um convite para os amantes de velocidade, sempre mantendo o seu conceito de “Lâmina de Fogo”.

A Honda passou a comercializar no Brasil a CBR 900RR em 1996 e, em 2004, trouxe a CBR 1000RR Fireblade, ambas motocicletas importadas do Japão. Do lançamento desse último modelo e a introdução dele no mercado brasileiro até 2007, foram vendidas 2.655 unidades, mantendo a liderança em sua categoria e atraindo tanto jovens quanto motociclistas mais experientes. Só no ano passado, o volume de emplacamento da CBR 1000RR foi de 39% de participação em relação aos modelos superesportivos, acima de 1000cc, existentes no mercado.

Disponível nas cores preta, vermelha e branca perolizada, a CBR 1000RR Fireblade tem expectativa inicial de vendas de 1.537 unidades em um período de aproximadamente cinco meses e estará disponível, nas 72 concessionárias Honda para motos importadas, a partir de agosto. Seu preço público sugerido é de US$ 31.980 (ao câmbio de US$ 1 = R$ 1,65 em abril de 2008 = R$ 53.006,00), com base no Estado de São Paulo e não inclui despesas com óleo, frete e seguro. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.