Foto: Andric inicia primeiros passos na carreira internacional

Nova geração da motovelocidade brasileira busca sucesso no exterior

Foto: Andric inicia primeiros passos na carreira internacional

Foto: Andric inicia primeiros passos na carreira internacional

Os novos talentos da motovelocidade brasileira começam, em 2009, a traçar caminhos maiores. Danilo Andric e Philippe Thiriet, considerados dois pilotos promissores da n ippe como Danilo ainda têm muito tempo pela frente. Thirriet assinou um contrato de dois anos, com prioridade de renovação pra mais um. Andric também pretende ficar pelo menos três anos no exterior.

“Estou fazendo um projeto a longo prazo. Não adianta fazer resultados no primeiro ano. Primeiro, quero conhecer os circuitos e me adaptar com o clima e com a língua, para brigar por bons resultados no terceiro ano”, explicou Danilo Andric, que em 2008 foi vice-campeão brasileiro e que irá correr pela equipe Transimena.

O piloto embarca para a Europa no próximo dia 11 de março e já no dia 21, realiza seus primeiros treinos, em Valência, na Espanha. Quando for iniciar os treinamentos ele irá encontrar um velho adversário nas pistas brasileiras.

O mineiro Philippe Thiriet embarcou na última sexta e também irá participar da Superstock 1000. O piloto já iniciou os treinos no autódromo de Cartagena, onde ficará por uma semana junto com a sua nova equipe, a MS Racing. Além de Thiriet, a equipe conta com um piloto inglês, um húngaro e um tcheco.

Ele terá uma estrutura invejável no exterior. Serão duas motos disponíveis em tempo integral mais uma moto de motocross para que o piloto se exercite no seu tempo livre. Além disso, irá treinar nos melhores autódromos do mundo. O autódromo de Cartagena, onde Thiriet irá iniciar os treinos, é o mesmo em que o heptacampeão mundial de F-1 Michael Schumacher se acidentou recentemente andando de motovelocidade.

Thiriet pensa, ainda, em voltar para o Brasil para participar de algumas etapas do Brasileiro de Motovelocidade. “Vamos ver como as coisas caminham. Se tudo der certo e se as datas forem compatíveis, e se ele tiver uma boa equipe aqui, acho que ele pode acabar fazendo os dois campeonatos”, explicou o pai e manager do piloto, que também se chama Philippe Thiriet.

Para o Presidente da CBM, Alexandre Guelman, o Brasil se sente orgulhoso de poder enviar dois jovens talentos para a Europa. “A motovelocidade vem crescendo muito no Brasil e eles são frutos do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Em 2009 iremos continuar um trabalho sério e visando revelar ainda mais pilotos” completou Guelman, que desejou ainda boa sorte aos pilotos na carreira internacional.ova geração, começam a traçar planos de uma carreira internacional e irão participar da Superstock 1000.