logo-Ducati

Novas Regras tentam parar a Ducati na Superbike

Carlos Checa continua na Ducati em 2012

Carlos Checa continua na Ducati em 2012

Ao todo são 14 títulos do Mundial de Pilotos e 17 no Mundial de Construtores, todos na Superbike. Essa supremacia não é boa para o esporte e por isso a FIM – Federação Internacional de Motociclismo – resolveu homologar v[arias mudanças para o Campeonato Mundial de Superbike a partir de 2012.

A começar pela equipes, que poderão ter apenas uma moto completamente montada no box durante as etapas do mundial. Já as mudanças técnicas nas motos visam tirar um pouco da vantagem que as bicilíndricas desmodrômicas da Ducati mostraram nestes anos todos, praticamente desde que o mundial de superbikes foi criado.

As motos biciclíndricas – só a Ducati é bicilíndrica – terão seu peso mínimo elevado de 165 para 171 quilos. As demais marcas ficam com o peso mínimo mantido nos 165 quilos para as quatro cilindros. Outra decisão da FIM eliminou os testes coletivos que estavam programados para o começo de dezembro, os chamados testes de inverno.

Muitos acreditam que só esta mudança no peso mínimo não será suficiente, pois o peso não mede exatamente a tecnologia embarcada nelas, e está aí a diferença, anotam os engenheiros de Borgo Panigale, a sede da Ducati na região de Bolonha (Italia). Sobretudo porque as bicilíndricas vão continuar sob o comando do experiente espanhol Carlos Checa, que renovou seu contrato com a Althea Ducati.