Foto: Yamaha MT-03

Novidades em 2007 e obras

Foto: Yamaha MT-03

Foto: Yamaha MT-03

A temporada de boatos j  come‡ou h  meses, com v rios chutes sobre os lan‡amentos, alguns com boa chance de gol, mas outras que passam longe da trave. Desde que publicamos em Motonline a foto da Yamaha Fazer 250, das novas cores da Twister e a exclusiv¡ssima foto da XT 250 verdadeira, demos uma bela demonstra‡Æo que estamos com a pontaria de artilheiro, quando se refere a lan‡amentos. Desde o come‡o de 2007 as revistas nÆo param de estampar fotos nas capas com o carimbo “segredo” como se os leitores ainda acreditassem nessa velha artimanha. Cada mˆs publicam um “segredo”, numa sucessÆo de chutes pra ver se um deles reverte em gol.

Nossas fontes acabam de nos passar os prov veis lan‡amentos para 2007. Esque‡am de uma vez por todas uma 400 de quatro cilindros.  um suic¡dio mercadol¢gico. Qualquer moto 400 cc com 4 cilindros em linha ‚ tÆo cara quanto uma 600. Como o consumidor brasileiro compra “cilindrada”, jamais pagaria caro por uma 400 de R$ 25 mil! Basta ver os n£meros de vendas da XT 660 para saber que a empresa nÆo espera investir em um segmento pouco representativo. O mais prov vel ser  o lan‡amento da MT-03 porque usa o mesmo motor da XT 660 (facilita investimento em assistˆncia t‚cnica) e fez algum sucesso no mercado europeu.

Foto: Honda Hornet gera‡Æo II

Foto: Honda Hornet gera‡Æo II

Mas nÆo esque‡am das 400! Tanto Honda quanto Yamaha tˆm projetos de entrar no segmento de 400cc, por‚m com motos mais simples, econ“micas e baratas. Vou mais al‚m: duvido que a Yamaha lance uma 400 este ano, porque a preocupa‡Æo maior da marca ‚ continuar a pol¡tica de marketing do pioneirismo. J  estÆo em teste a Fazer 250 Sport, a Lander 250 Supermotard, a Fazer bi-combust¡vel e a primeira 125 nacional com inje‡Æo eletr“nica. Ao contr rio do que esperava, a Neo continuar  com motor 115, mas vai ganhar a carenagem da Nuovo 115 vendida no M‚xico.

Na l¡der Honda, como em toda empresa l¡der de mercado, as decisäes sÆo mais cautelosas. Dificilmente a empresa lan‡ar  uma 400 quatro cilindros, como divulgaram algumas revistas. Caso a Honda decida investir nas m‚dias cilindradas o mais prov vel ‚ promover aposentadoria da Falcon e apresentar uma moto urbana, esportiva, na faixa de 400, mas com o motor da Tornado/Twister, mais moderno, eficiente e econ“mico do que o velho RFVC da Falcon. O  lcool dever  aparecer em algum produto com a marca Honda, porque essa ‚ muito mais uma decisÆo de marketing do que propriamente t‚cnica. Em ‚pocas de ecologicamente correto, ‚ mais importante parecer uma empresa preocupada com a emissÆo de hidrocarbonetos do que motos mais velozes, potentes e econ“micas.

Acredito em uma Twister bi-combust¡vel, mas ainda com motor 250. Nada de 300 ou 350. O mercado ainda precisa de uma 250 para fazer a “ponte” entre as pequenas e as m‚dias (acima de 400). Entre as pequenas, a Honda pode surpreender com uma Titan injetada, embora seja muito dif¡cil tomar essa decisÆo. J  tivemos o precedente da “aposentadoria” da CG 125 Titan com motor OHV e que teve de voltar atr s. Meu palpite ‚ uma CG 150 Sport com inje‡Æo, para testar a aceita‡Æo e s¢ depois a marca apostaria na inje‡Æo para todas as pequenas.

Eu adoraria que a Honda decidisse apostar na Hornet gera‡Æo II (estamos na gera‡Æo I, enquanto a Europa est  na 3¦ gera‡Æo). Mas nÆo acredito, porque 600 unidades/mˆs nÆo estimula um investimento muito alto.

Saber alguma coisa da Suzuki/JToledo ‚ puro exerc¡cio de achismo.

A novidade em 2007 ser  a intensifica‡Æo das empresas de capital chinˆs atuando no Brasil. Grandes corpora‡äes brasileiras estÆo se associando …s marcas chinesas, todos de olho em um mercado que pode chegar a 3 milhäes de unidades/ano em 2009. Daquelas que j  estÆo consolidadas no mercado, como Sundown e Kasinski, o objetivo dever  ser o de continuar um trabalho de base, implantando as marcas e lutando para conquistar a confian‡a do consumidor. NÆo entendo a pol¡tica da Kasinski que insiste em “segurar” as vendas dos produtos Hyosung, como a Comet e Mirage 250 e 600. SÆo motos bem aceitas na Espanha, com qualidade e estilo, mas ainda tˆm presen‡a muito t¡mida no Brasil.

At‚ outubro, quando teremos o mais esperado SalÆo Duas Rodas dos £ltimos anos, deveremos ver alguns lan‡amentos, mas o “fil‚” ser  reservado mesmo para o salÆo.

Em obras
Vocˆ notou que ficamos fora do ar ontem (dia 14) por algumas horas: nossa estrada de acesso precisou de reforma para receber o maior fluxo de Motonliners. Em 2007 come‡amos o ano com uma agrad vel surpresa: nossa visita‡Æo m‚dia chegou na casa de 10.000 visitas/dia. Com essa carga de leitores, que em v rios hor rios chegou a 500 pessoas on-line, nossa estrada ficou congestionada e tivemos de providenciar o alargamento das pistas. Trocamos de servidor e agora tanto os leitores, quanto os membros do f¢rum Motonline poderÆo navegar com mais agilidade.

Esse crescimento nos pegou de surpresa e ‚ resultado de um trabalho que come‡ou 8 anos atr s e que nos £ltimos dois anos recebeu o reconhecimento do p£blico, das montadoras e agˆncias de publicidade. Boa parte dessa audiˆncia veio da principal caracter¡stica do Motonline: um ve¡culo isento e efetivamente  gil.