O caos será aqui. Será?

O caos será aqui. Será?

O caos será aqui. Será?

Parece tragédia, mas bem que poderia ser uma comédia. Enquanto deslocar-se nas grandes cidades brasileiras por qualquer meio está cada vez mais complicado, percebe-se que a maioria das idéias que surgem para solucionar o problema causa mais transtorno imediato ou adia o problema.

Pedi uma definição de trânsito para um agente da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) de São Paulo: Deslocar-se no espaço disponível causando o menor impacto possível para quem vem depois e quer fazer a mesma coisa. Parece uma boa definição e trata o assunto como uma questão de ocupação de espaço.

Entretanto, por esta definição dá pra entender porque os órgãos competentes da Prefeitura de São Paulo decidiram restringir a circulação de ônibus fretados e sonham em proibir motocicletas de circular em algumas avenidas. Nos dois casos, alegam transtorno no tráfego. Para as motocicletas por causa dos acidentes que acontecem e que atrapalham o tráfego…..dos automóveis. E para os ônibus fretados, porque suas paradas atrapalham o tráfego…..dos automóveis. E como São Paulo é locomotiva e vai na frente, outras prefeituras vão no mesmo caminho.

Desnecessário dizer que usar um ônibus fretado ou uma motocicleta é uma alternativa mais viável para as necessidades diárias de locomoção, sem falar na evidente colaboração com a fluidez do tráfego e com a tal da ocupação do espaço. Um motociclista mais um passageiro de ônibus fretado deixam dois automóveis em casa. Resumo da questão: a quase totalidade das idéias que estão em discussão está deslocada do foco principal e parecem ter sido concebidas a partir de uma premissa equivocada, pois privilegiam o transporte individual…..de automóvel.

Ora, se é para incentivar, que seja aquele que ocupa menos espaço nas ruas: motocicletas e bicicletas. Quem conhece Mumbai, a capital industrial da Índia, enxerga claramente em que podem se transformar algumas grandes cidades brasileiras em curto prazo. Qualquer medida para regular o deslocamento das pessoas no espaço urbano deve levar em consideração todos os participantes deste circo. Mais que isso, deve estabelecer como base o direito de todos de ir e vir em segurança. Caso contrário, a buzina será o principal equipamento de qualquer veículo, inclusive os de tração animal. Ocupar o espaço será a regra.

Sidney Levy – Jornalista especializado nas áreas de motocicletas e automóveis há 23 anos. Atuou como repórter e redator e continua atuando como assessor de imprensa para empresas dos dois setores.