O carro invisível

O carro invisível

O carro invisível

O Instituto FOM de Física Atômica e Molecular da Holanda (AMOLF) trabalha com o campo magnético da luz para desenvolver meta-materiais que possam defletir ou desviar a luz em todas as direções possíveis.

Os meta-materiais são uma ampla classe de materiais engenheirados para exibir características estranhas, peculiares, principalmente em relação à maneira como a luz se comporta ao passar por eles.

Teoricamente, meta-materiais com índices negativos de refração podem inclusive refletir a luz de tal maneira que torna invisíveis objetos feitos com eles.

Parece ciência-ficção de décadas atrás, mas agora os cientistas reconhecem que estão no caminho de realizar o manto de invisibilidade. Não ria: não é para já, mas para daqui a algum tempo, com certeza.

Assim como as ondas eletromagnéticas, a luz tem dois componentes oscilatórios, um elétrico e outro magnético. Teoricamente, isso significa que tanto a eletricidade como o magnetismo podem ser usados para controlar o fluxo de luz ao se propagar num objeto.

O problema é que os átomos de materiais comuns interagem muito fracamente com campos magnéticos que oscilam a mais de 500 THz (terahertz). Como a luz visível vai de 400 THz a 800 THz, não adianta querer explorar o magnetismo para chegar à invisibilidade.

O grupo da AMOLF descobriu, porém, que esse quadro muda drasticamente quando se fala de meta-materiais. Seus pesquisadores, determinados a descobrir mais a respeito do comportamento dos campos magnéticos a essas freqüências limítrofes, desenvolveram meta-materiais pequeníssimos, em forma de U, chamados nano-rings (nano-anéis) e estudaram como eles reagem com a luz.

Descobriram então que o campo eletromagnético da luz leva cargas elétricas para a frente e para trás nos nano-anéis, gerando corrente alternada que transforma cada um deles em pequeno eletromagneto cuja polaridade alterna 500 bilhões de vezes por segundo. Ao contrário dos materiais clássicos, os meta-materiais demonstram forte interação com o componente magnético da luz, assim como com seu componente elétrico.

Essa descoberta mostra não apenas que os meta-materiais são o caminho para mais pesquisas, mas também que os nano-anéis podem ser a ferramenta de manipulação de luz nesses materiais. Parece também que os nano-magnetos podem influenciar e transferir potência de um para o outro, uma variável muito interessante nas pesquisas a serem feitas a seguir.

O próximo passo dos pesquisadores da AMOLF será aperfeiçoar a técnica de dirigir corretamente a luz ao redor de um objeto que contenha esses nano-anéis. Se o conseguirem, poderá aparecer o primeiro manto de invisibilidade da História.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.