images (2)

O fio abduzido!

PROCURADO!

O dia começou animado com muitas motos entrando na oficina. Tudo tranquilo. Reuniões agendadas, campanhas sendo preparadas. Seria mais um dia se não fosse por um telefonema do meu irmão Ricardo Quinderé.

O Ricardo é o mais velho do nosso motoclube – o ‘Guerreiros do Sol’. Um pedido dele não se questiona e sempre atendemos com grande rapidez. No telefonema Ricardo estava com voz triste e um pouco aflita – sua moto uma DL 650 VStrom não pegava.

Imediatamente peguei o carro, algumas ferramentas e fui na casa dele ver o que era. Realmente, a moto não pegava e indicava falha. Fui deixar o Ricardo no hotel de sua propriedade e voltei pra casa dele. Mexe daqui e dali e nada. Resolvi chamar um amigo que é mecânico para ver o que estava acontecendo de estranho. Nunca tinha visto uma Suzuki agir assim.

Começamos desmontando toda a dianteira. Nada! Verificamos a injeção. Nada! Verificamos os sensores, quase nada. Um deles acusava que a moto tinha carga, gasolina, mas não acionava o motor. Ligamos direto e ela pegou. Assim começamos a pesquisar em outro lugar. Analisamos todos os fusíveis e nada!

Pausa para um café… Ficamos olhando para a moto esperando que ela nos dissesse o que estava havendo. Mas ela só mostrava que tinha uma falha.

Voltamos para a moto e fomos pesquisar a fiação. Desmontamos a traseira… Pois é… o fio que conecta o relé de partida estava rompido e misteriosamente parte dele havia sumido ou abduzido.

Foi nesta hora que o Edgar abriu a biblioteca CSI – Criminal Scene Investigation e fez a pergunta técnica digna de qualquer perícia de filme policial americano: – “Tem rato aqui?”

A senhora que estava lavando roupas respondeu de imediato colaborando como nossa investigação: -“Sim… Alguns… Sim…!”

Uma pausa e um silêncio profundo. Olhei para o Edgar e aí fizemos a pergunta fatal : -“A senhora teve algum problema elétrico por conta dos ratos?” A resposta foi imediata e precisa: -“ Sim!!!! Faz uns dois meses que a máquina de lavar daqui parou misteriosamente e descobriram que um rato roeu a fiação toda.”

– “Sem mais perguntas!” Dissemos. Tínhamos solucionado o problema, faltava encontrar o meliante dentuço que se atreveu a comer parte da moto do Ricardo.

Brasil – Iguatu – Urgente – Diagnóstico final: “O rato roeu o fio da moto do presidente do motoclube.”

A gargalhada foi geral. Foram uns 5 minutos rindo da situação. Passado o alívio de ter descoberto que um rato havia causado o problema (sim, pois esperar por um sensor ou qualquer peça seria bem mais chato que emendar um fio), liguei para o Ricardo.

-“Ricardo, você tem alimentado seus ratos ultimamente?” o Ricardo não entendeu… Aí contamos o que havia acontecido. Do outro lado, o Ricardo disse: –  ”Que rato &@#$#@!@!@%%%&###$#$… Tire a moto daí e deixe na loja até que eu ache esse infeliz que resolveu jantar a fiação da minha moto!” Bom… o pedido foi atendido.

Em seguida, para não perder o amigo e nem a piada liguei para o Francinildo – outro grande irmão – e pedi que ele ligasse pro Ricardo oferecendo ajuda para comprar ração para alimentar os ratos. Em poucos minutos a história havia se espalhado por todo o motoclube e já estavam falando que o rato havia comido o carburador… e depois dizem que quem gosta de fofoca é mulher!

A moto foi recuperada e está aqui na loja aguardando a informação de que o meliante comedor de fios da moto do presidente do motoclube foi encontrado e eliminado para o bem do nosso presidente e felicidade geral do motoclube. Lembre-se: para não ter a fiação da sua moto devorada como jantar – alimente seus ratos antes de dormir ou chame a gente. De mecânicos caça-pregos e caça-grilos agora também somos caça-ratos!

Se você também tem histórias pitorescas sobre motos, motociclistas e motoclubes, e quer vê-las publicadas, envie para o email editor@motonline.com.br



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.