motocicletas_033

O maior perigo está nos corredores ou nas ultrapassagens?

Carros parados paralelamente, formando espaços para passagem.

Para responder a essa pergunta é preciso definir que CORREDORES são espaços (ou áreas) estreitos formados entre carros PARADOS em paralelo no trânsito onde não há a possibilidade de “ziguezaguear” por entre os veículos. ULTRAPASSAGENS são ações de condutores que se aproveitam dos espaços (ou áreas) livres e largas quando o trânsito de veículos está em MOVIMENTO propiciando a chance de passar de uma faixa de rolamento à outra para ir adiante do veículo que está na frente.

Sabendo disso, na maioria do tempo que estamos pilotando no trânsito lento das grandes cidades, não estamos trafegando em corredores, mas sim estamos em permanente ultrapassagem. Para esclarecer melhor, corredores servem como PASSAGEM e não para ULTRAPASSAGEM.

Portanto, quais são os reais perigos em trafegar em corredores e em fazer ultrapassagens? Como podemos diferenciar estas características do trânsito e, assim, nos arriscarmos menos?

Se o trânsito ganha velocidade, saia do corredor e ocupe a faixa; mas fique próximo do corredor para poder voltar nele quando o trânsito parar

Se o trânsito ganha velocidade, saia do corredor e ocupe a faixa; mas fique próximo do corredor para poder voltar nele quando o trânsito parar

Nos CORREDORES o maior perigo está na grande probabilidade de uma pessoa atravessar por entre os carros parados, fora da faixa exclusiva para pedestres. Com veículos altos, lateralmente à frente, o motociclista não consegue enxergar a pessoa atravessando. Pode acontecer, também, de outro motociclista aproveitar do espaço por entre os carros e manobrar para entrar no mesmo corredor em que você está. Acidentes entre motos aumentaram por esse fato.

CUIDADOS?  Muita atenção. Mas somente atenção não evitará o acidente. Tenha a previsão da possibilidade de ocorrer os fatos acima mencionados. Se um dos veículos ao seu lado está “escondendo” sua visão, diminua sua velocidade antes mesmo de precisar usar os freios. Conheça muito bem a capacidade de frenagem de sua moto. Portanto, pilote na velocidade compatível para que, se aparecer um pedestre ou outra moto a sua frente, tenha certeza que a sua moto vai parar.

Desvio? Oras! Mesmo que você tenha reflexos rápidos, está em um corredor estreito onde os carros estão parados paralelamente. Não há espaço para isso! Assim, treinar frenagens eficientes a uma velocidade que permita parar em um espaço curto evitará ou diminuirá as consequências de um possível acidente. Mantenha distância da moto à sua frente e deixe distância da moto atrás da sua. Colisões traseiras são muitos freqüentes por simplesmente não manter uma distância segura. Por incrível que pareça, o menor perigo está relacionado com a distância lateral, pois os carros estão parados e paralelos uns aos outros, sem a probabilidade de saírem de uma faixa de rolamento a outra. A chance de estes veículos ocuparem o corredor é nula, pois como eu disse OS CARROS ESTÃO PARADOS, alinhados e lado a lado!

Cuidado com os espaços deixados enquanto veículos em movimento. Pode ser uma área de escape para a moto, mas também para o carro.

Então, quando aparece a chance de outro veículo invadir o corredor? Nas ULTRAPASSAGENS. Quando uma fila de veículos começa a se movimentar, a dar velocidade, criam-se espaços mais largos com grandes possibilidades de um carro ou outro tipo de veículo entrar e sair dessas áreas. Sim, áreas que permitem ultrapassagens de veículos maiores do que a moto!

Em um trânsito conturbado, onde os condutores têm pressa de chegar ao seu destino, sem dúvida que quando aparece uma chance de ultrapassar, fará isso! Podemos definir estes espaços de áreas de escape para o motociclista. Mas não podemos descartar que estas mesmas áreas são, também, de escape para o motorista. O grande perigo está aí, nestas vagas deixadas quando os veículos começam a andar uns atrás dos outros. Ou seja, enquanto parados formam-se os “corredores”; enquanto em velocidade formam-se espaços para possíveis ultrapassagens e quando o motociclista não consegue “ver” estas mudanças na dinâmica do trânsito, os acidentes são muito graves.

A disputa desses espaços por veículos maiores do que a moto é uma disputa covarde e egoísta, tanto da parte do motociclista, que se aproveita para dar maior velocidade, quanto do motorista que se aproveita para fazer ultrapassagens. CUIDADOS?  Amigos motociclistas tentem pilotar atrás dos carros o mais próximo da linha dos corredores enquanto o trânsito está em movimento, sempre observando se os veículos a sua frente irão parar repentinamente.

Tenha em mente que os corredores são sua área de escape. Portanto, quando o trânsito parar, sinalize, olhe pelos retrovisores  e entre, escape, fuja para os corredores. Assim que o trânsito começa a ganhar velocidade, volte para trás dos carros. Evite manobras bruscas, permaneça na sua trajetória e ultrapasse se for estritamente necessário. E se preciso, evite ultrapassar na mesma faixa de rolamento do carro. Essa atitude causa o chamado efeito surpresa, onde o motorista que está sendo ultrapassado não percebe a sua presença. Tente ultrapassar o mais longe possível, pois no caso da moto a pressa é desnecessária no trânsito caótico das grandes cidades.

Portanto, analisem os reais perigos existentes nos corredores e nas ultrapassagens. Diferenciem as diversas formas de transitar pois o trânsito é dinâmico e em certo momento estamos pilotando nos corredores e em outros estamos ultrapassando. Saber diferenciar essa dinâmica ajudará a ajustar suas atitudes conforme as necessidades que o trânsito exige. Assim,  conseguirá decidir a melhor forma de sair dos riscos.



Carlos Amaral

Carlos Amaral - Instrutor de pilotagem defensiva certificado pela Honda, instrutor de trânsito do Detran-SP na especialidade Direção Defensiva, palestrante da Porto Seguro Cia de Seguros Gerais, blogueiro e diretor operacional da Carlos Amaral Motorcycle Training