O Mercedes biônico

A exibi‡Æo o Desenho e a Mente El stica do MoMA ‚ dedicada …s dram ticas mudan‡as que aconteceram nas £ltimas d‚cadas da vida humana. As v rias exibi‡äes deixam claro a rapidez das mudan‡as em mobilidade e comunica‡äes, por exemplo, com foco nas solu‡äes inovadoras de desenho que levam em conta suas mutantes necessidades.

Um dos pontos altos da exibi‡Æo ‚ o carro Mercedes bi“nico, mostrado inicialmente no simp¢sio de inova‡Æo de junho de 2005, em Washington. Com uma aerodinƒmica quase perfeita e um conceito de baixo peso vindo direto da natureza, o carro tem motor diesel Bluetec, de baixos consumo e emissäes: no ciclo global europeu, faz mais de 23 km/litro, ou 20% mais do que um modelo europeu de produ‡Æo equivalente e 30% mais do que um americano. Andando a uma velocidade constante de 90 km/h, consome um litro a cada 35,7 km.

A Mercedes o chama de bi“nico porque resulta de um trabalho ‘a seis mÆos’, de engenheiros, designers e bi¢logos. Ele foi baseado num habitante das profundezas tropicais, o Ostracion Cubicus. Apesar de sua forma estranha, ele ‚ extremamente aerodinƒmico, se move despendendo um m¡nimo de energia, agenta altas pressäes devido a sua pele externa feita de placas de ossos hexagonais e sai tranqilo de colisäes com corais e outros habitantes marinhos.

O carro-conceito ‚ um ve¡culo de duas portas e quatro lugares individuais em forma de l grima, com 4,24 m de comprimento, 1,82 m de largura e 1,59 m de altura. Seu coeficiente de penetra‡Æo aerodinƒmica ‚ de 0,19. Em termos de emissäes, foi o primeiro ve¡culo a ser equipado com redu‡Æo catal¡tica seletiva.

Da conversa dos engenheiros com os bi¢logos, resultou um processo de transferˆncia do princ¡pio natural de crescimento usado na natureza … engenharia automotiva. Simula‡äes computadorizadas foram utilizadas para configurar componentes da carro‡aria e da suspensÆo de tal forma que o material nas  reas sujeitas a cargas menores possam ser mais finos, e talvez at‚ eliminados, enquanto nas  reas de maior solicita‡Æo pode ser mais refor‡ado. O m‚todo foi batizado de SKO, ou Soft Kill Option, op‡Æo de matar macio.

Este processo permite que se ache uma geometria otimizada do componente quanto a seu peso, seguran‡a e durabilidade. No caso de uma porta de carro, por exemplo, esse desenho em favo de mel aumenta sua resistˆncia em 40%, com diminui‡Æo de peso de 30%. O m‚todo SKO desde entÆo vem sendo utilizado para produzir componentes como bra‡os de apoio de motor em “nibus de servi‡o rural.

Jos‚ Luis Vieira


Jos‚ Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de ve¡culos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania.  editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de reda‡Æo da revista Carga & Transporte.