Foto: Honda CRF 230

O que será de 2007?

Foto: Honda CRF 230

Foto: Honda CRF 230

As especula‡äes nÆo param; quais serÆo os lan‡amentos para 2007? Vir  uma Twister 300 com inje‡Æo eletr“nica? A Honda vai lan‡ar a 400 nova, tipo naked para se colocar entre a Twister e a Hornet 600? E a Yamaha e Suzuki?. Al‚m da j  confirmada e esperada XTZ 250, com inje‡Æo eletr“nica, e a da Neo 135 vir  outra surpresa? A J.Toledo voltar  a importar a Intruder 250? E a GSR 600, vir  substituir a Bandit 650?

Come‡ando pelas certezas: a Yamaha j  tem data para seus dois lan‡amentos 2007. Desde o lan‡amento da Fazer, em 2005, j  se espera a chegada da versÆo fora de estrada. Isso nÆo ‚ nenhum mist‚rio. Por‚m fica a d£vida: qual versÆo? No JapÆo a XT 250X, estilo supermotard, j  est  sendo comercializada desde o come‡o de 2006. Ela usa o motor da Trikker 250, uma esp‚cie de enduro/trial feita exclusivamente para o mercado japonˆs. Ali s, o motor da nossa Fazer ‚ o mesmo da Trikker, mas com inje‡Æo eletr“nica.

Qual versÆo seria lan‡ada? A XTZ 250 ou a XT 250X. Segundo fontes nÆo oficiais, a versÆo supermotard j  foi descartada porque pesquisas de mercado apontam que o brasileiro nÆo aprovou esse estilo, apesar de parecer o contr rio. Por outro lado, a Sundown j  mostrou e pretende lan‡ar em outubro a STX 200 estilo supermotard. Como a Yamaha j  tem a XTZ 125 e a XTZ 660 ‚ mais prov vel que seja mesmo a XTZ 250 e a Sundown ficar  sozinha no segmento supermotard.

Foto: Yamaha XTZ 250

Foto: Yamaha XTZ 250

Desde que a Honda apresentou a Biz 125 fala-se no incremento da Neo 115 para enfrentar a concorrˆncia. Na verdade, elas nem sÆo concorrentes, pois sÆo de segmentos diferentes, enquanto a Biz ‚ uma cub, com cƒmbio seletivo, a Neo ‚ um scooter de roda grande com cƒmbio autom tico. Mas no Brasil tornam-se concorrentes por falta de op‡äes. O incremento para 135 daria um impulso nas enigm ticas vendas. Segundo dados da Abraciclo – Associa‡Æo Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas e Bicicletas – em junho e julho nÆo foi vendido nenhum Neo! Embora tenham sido produzidas 773 unidades no per¡odo. Pode ser um sintoma de que mudan‡as estÆo pintando por a¡.

Desde que a Yamaha apresentou sua 250 injetada que o mercado noticia e espera a chegada de uma Twister (e Tornado) com inje‡Æo. Muitos leitores nos escrevem informando que estÆo … espera dos lan‡amentos para darem lance em cons¢rcios. M  not¡cia: em 2007 tanto Twister quanto Tornado continuarÆo carburadas e com a mesma fachada. As duas motos juntas representam 46.500 unidades vendidas nos primeiros seis meses de 2006. E os atuais motores estÆo dentro dos limites de emissäes at‚ 2009. Portanto, o sonho acabou, podem esquecer uma Twister 300 injetada.

Por‚m no mesmo relat¢rio da Abraciclo pode-se observar um dado interessante. No item “produ‡Æo” aparecem modelos de motos feitos no Brasil, mas vendidos exclusivamente no exterior.  o caso da CRF 230, que tem uma ¢tima aceita‡Æo no mercado americano. Em seis meses foram produzidas 4.300 unidades desse modelo off-road que nÆo tem farol, nem lanternas nem piscas.  uma moto dedicada somente a lazer e esporte. Para o mercado brasileiro a Honda poderia equip -la com itens de seguran‡a e ter¡amos um produto mais barato que a Tornado. Essa, por sua vez, pode desaparecer da linha porque nÆo justificaria dois produtos tÆo pr¢ximos. Decerto que essa 230 visa esfriar os ƒnimos da Sundown STC 200 fora-de-estrada. Parece que muito mist‚rio ainda precisa ser resolvido. Se a 230 for exclusivamente para competi‡Æo ser  a quarta motocross brasileira depois da Yamaha MX 180 e das Agrale/Cagiva 125 e 250.

Desde o sumi‡o da CB 500 a Honda deixou um degrau muito alto entre a CBX 250 e a Hornet 600. Entre elas est  a Falcon que nÆo por acaso, teve um disparo nas vendas em 2006. A Honda do Brasil tem tudo para lan‡ar uma 400 naked simples e barata, como a CB 400SS vendida no mercado europeu. Ela tem motor semelhante ao da Falcon, visual retr“, fabrica‡Æo simples e seria uma op‡Æo para quem nÆo gosta de motos “altas” estilo on-off road. A Falcon j  cansou! Tem o mesmo estilo desde o lan‡amento e seu sucesso deve-se muito mais … falta de op‡Æo na faixa intermedi ria do que pelas suas qualidades. Uma nova 400/450 viria em boa hora. A CB 400SS seria uma escolha, mas esbarra em uma caracter¡stica do nosso mercado: brasileiro gosta de modernidades e esse estilo retr“ nunca convenceu ningu‚m. Uma possibilidade seria uma CB 400Four, mas qualquer produto quatro cilindros teria seu pre‡o muito pr¢ximo ao da Hornet, correndo o risco de concorrer internamente. Outra realidade bem brasileira ‚ a falta de dinheiro. Moto cara empaca mesmo e podemos ter em breve at‚ uma 125 com inje‡Æo eletr“nica como na Öndia..

A Honda acaba de anunciar sua primeira 125 com inje‡Æo eletr“nica…na Öndia! O nome ‚ imponente: Glamour 125Fi e o lan‡amento foi tÆo importante que contou at‚ com o presidente mundial da Honda. D  pra imaginar o motivo de tanta festa, pois ‚ o primeiro motor 125 quatro tempos com inje‡Æo eletr“nica da Honda e pode ser o primeiro passo para a populariza‡Æo desse sistema. Segundo a empresa, essa 125 j  atende as rigorosas leis ambientais previstas para 2010. Como o Brasil ‚ muito mais parecido com a ¡ndia em termos s¢cio-econ“micos, podemos apostar em uma CG 125/150 injetada at‚ 2009.

A Suzuki/J.Toledo se antecipou a apresentou sua linha 2007 em mar‡o de 2006! Mas ainda podem surgir novidades. A mais forte delas ‚ a GSR 600, uma naked que est  arrebentando na Europa. Ela viria para substituir a Bandit 650, ou mesmo incrementar a linha das m‚dias quatro cilindros. E se a filial brasileira da Suzuki olhar para o mercado com aten‡Æo ver  que o nicho mais promissor ‚ o da 250 cc. Ela tem duas versäes muito interessantes: a Intruder 250 japonesa, com dois cilindros em V para brigar com a Sundown V-Blade e Kasinski Mirage 250, ou a Marauder 250, com motor monocil¡ndrico como da nossa velha Intruder, mais simples, barata e muito bonita! Qualquer uma das duas teria aceita‡Æo imediata aqui e chega a ser incompreens¡vel o desprezo da J.Toledo por esse segmento.

Entre as grandes marcas, a Ducati e Triumph estÆo atualizando suas linhas l  fora e aqui dentro. A Ducati ser  representada pelo Grupo Izzo, que tem como marca registrada uma agressiva pol¡tica de vendas. Imagine uma Ducati Monster 695 a R$ 31.000, mesmo pre‡o de uma Honda Hornet 600, por‚m com o apelo de esportividade tÆo forte quanto uma Ferrari. Al‚m da esportividade, a Ducati tem apelo de exclusividade, s¢ precisa refor‡ar a imagem quanto … durabilidade. Triumph, BMW tamb‚m devem anunciar lan‡amentos e a Kawasaki, bem, essa marca aparentemente est  tÆo abandonada que s¢ mesmo os revendedores podem salv -la.

Exerc¡cios de premoni‡Æo … parte, ‚ certo que outubro ser  o mˆs de lan‡amentos. Os mais animados j  estÆo de olho nas economias porque sabem que vem produto novo e bom. Acreditar em uma Honda 400 ‚ uma aposta arriscada, porque o investimento em um novo produto, seja qual for ‚ muito alto. Mas que seria legal ver a volta da CB 400, ningu‚m duvida!