Andar de moto em grupo requer cuidados especiais

O que você precisa saber para andar de moto em grupo

Mesmo sendo mais perigoso, andar de moto em grupo é de longe muito mais divertido, mas para isso alguns cuidados têm que ser observados para que a alegria não se transforme em dor e frustração, quando as coisas saem errado. Então vamos falar de algumas considerações que serão úteis quando sairmos em grupo.

Andar de moto em grupo requer cuidados especiais

Andar de moto em grupo requer cuidados especiais – foto de cortesia

Consulte a rota prevista:

Antes de pegar a estrada, é recomendável se informar de como é o percurso, se são perto de montanhas, pistas com solo degradado ou, ao contrário, se vai pegar muitos quilômetros de estrada. Também é preciso consultar a previsão do tempo e adaptar sua roupa.

Tanque cheio e bateria carregada:

Já não se trata somente de não incomodar os companheiros tendo que parar quando cada um tiver que abastecer. Se, por qualquer motivo, nós nos perdermos (em grupo ou sozinho), temos que garantir que não ficaremos sem gasolina em uma região desconhecida. Por isso, também é importante sair de casa com a bateria do celular totalmente carregada. Nunca se sabe quanto tempo ficaremos fora.

Grupo adequado:

Seja por cilindradas, tipos de rotas ou tipos de motos, é preciso considerar com quem você sai para andar de moto. Lembre-se que você está saindo para se divertir e não para se aborrecer. Se você acha que não é o grupo adequado, busque outro, com pessoas que tenham gostos mais próximos ao seu.

A estrada não é circuito:

Parece óbvio, mas o fato de ir em grupo não quer dizer que estamos em uma corrida. Não é preciso demonstrar nada pois nesses momentos temos simplesmente de compartilhar a paixão por andar de moto e suas sensações.

Depois de decidir sair com a sua moto em grupo, é bom considerar:

Líder: Também conhecido como road leader, é o motociclista que guia o grupo, a pessoa que temos que seguir, tanto no percurso quanto na velocidade. Costuma ser um piloto com experiência, que sabe se adaptar às circunstâncias do percurso. Além disso, costuma ser escolhido também um motociclista com certa experiência para fechar o grupo. Caso ocorra algum imprevisto será ele o responsável para dar a assistência necessária.

Cidade: Manter distância de segurança e não perder a calma quando o grupo se separar por um semáforo vermelho ou por outras complicações do tráfego urbano.

Trafegar em formação: Quando se anda em grupo, os membros devem trafegar em formação “pegadas na areia”, na mesma faixa. Esse procedimento cria mais espaço com a moto da frente, facilitando a pilotagem, aumentando a segurança em frenagens de emergência e dando maior visibilidade à frente.

Ultrapassagens: Quando o grupo está na estrada, só é possível ultrapassar nos pontos permitidos. Além disso, por norma geral, não ultrapasse seus companheiros de grupo. Se tiver que fazer isso, por alguma circunstância, é preciso ultrapassar apenas nos lugares permitidos e tendo certeza que os companheiros conhecem suas intenções (utilize sinal de luz ou buzina).

Comunicação: Os membros do grupo devem ter um código de comunicação não verbal que todos conheçam. Assim, a comunicação será mais fluida e segura.

Tomando essas precauções, vá para a estrada com sua turma e divirta-se.

Separador_motosFonte: Fundación Mapfre



Mário Sérgio Figueredo

Motociclista apaixonado por motos há 42 anos, começou a escrever sobre motos como hobby em um blog para tentar transmitir à nova geração a experiência acumulada durante esses tantos anos. Sua primeira moto foi a primeira fabricada no Brasil, a Yamaha RD 50.