OLEV, o elétrico coreano de energia externa

OLEV, o elétrico coreano de energia externa

OLEV, o elétrico coreano de energia externa

O KAIST, instituto avançado de ciência e tecnologia coreano, desenvolveu um veículo elétrico que usa tecnologia externa em vez de baterias internas: ele passa por cima e recebe energia de cabos encrustados no solo.

Todo carro elétrico que tem sido apresentado ao público traz as mesmas limitações tradicionais das baterias, sejam elas de lítio ou não: peso, capacidade energética, preço dos materiais envolvidos, tempo de recarga, existência de estações de recarga e, pior de tudo, o suprimento limitado de lítio que mais cedo ou mais tarde vai levar o custo dos carros elétricos a níveis estratosféricos.

O projeto do KAIST, chamado OLEV (online electric vehicle), busca resolver esses problemas fundamentais com um novo motor de crescimento para aquela nação, liderar o futuro da indústria automotiva e imprimir um novo conceito: o veículo elétrico recebe sua energia de linhas elétricas subterrâneas através de um sistema de recarga magnética sem contato, esteja rodando ou parado. De acordo com o KAIST este é aparentemente o primeiro sistema automotivo ecológico e econômico que pode resolver os atuais problemas.

Em fevereiro do ano passado, os pesquisadores do KAIST provaram que 80% do transporte de energia é factível através de uma distância de 1cm da linha de força. No julho seguinte, provaram que 60% dela podem ser passados de uma linha de força no solo a um ônibus 12 cm distante, utilizando aparelhos de fornecimento e recepção de força desenvolvidos em casa. O KAIST desenvolveu as tecnologias centrais para maximizar a eficiência energética e minimizar o custo da instalação de seu sistema de fornecimento. O instituto então abriu a Online Electric Vehicle Co. para colocar a tecnologia OLEV no mercado, incluindo os aparelhos de fornecimento e coleta, peças e acessórios, e toda a promoção comercial.

O KAIST garante que o impacto do desenvolvimento da tecnologia OLEV nos assuntos energéticos e ambientais serão enormes. Na eventualidade de metade de todos os automóveis hoje existentes na Coréia (seis milhões de veículos) serem substituídos por OLEVs, a energia elétrica produzida por apenas duas das usinas atômicas do país seria capaz de reduzir a importação de 35 milhões de barris de petróleo bruto, que a US$ 80 o barril significaria uma economia de US$ 3 bilhões por ano.

A exportação coreana de unidades OLEV ultrapassará no futuro as exportações atuais de automóveis convencionais, e à medida que mais nações passarem a usar veículos elétricos online em grandes volumes, sua demanda por motores livres de CO2 aumentará fortemente.

A Coréia ainda tem uma porção pequena do mercado automobilístico mundial, estimado a mais de dois mil trilhões de won, mas a comercialização da tecnologia OLEV no mundo todo ampliará grandemente a participação coreana no mercado automotivo global. O sucesso do desenvolvimento do veículo elétrico online demanda um investimento preemptivo e apoio positivo do governo no propósito final de resolver os problemas de energia e meio ambiente.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.