Integra 750, opção da Honda para concorrer com Suzuki, BMW e Yamaha

Os Maxi Scooters estão aí para te conquistar

Devagar os MAXI SCOOTERs estão chegando, conquistando novos adeptos e ocupando o seu lugar no mercado nacional. São veículos de duas rodas que se destinam a uma clientela diferenciada que gosta de motocicleta, mas que não abre mão do conforto e praticidade, sem precisar desembolsar os valores que custam as motocicletas top de marcas premium.

As principais características dos scooters e que os diferenciam da maioria das motos são: a proteção aerodinâmica superior proporcionada por pára-brisas amplos e realmente eficientes, espaço de sobra sob o banco, proteção para roupas e calçados, câmbio automático e porte que se traduz em presença. Onde chegam roubam as atenções, mesmo que o lugar esteja repleto de supermotos.

Esse mercado (dos maxi scooters) só tende a crescer pois os midi scooters, na faixa de 400cc (Burgman 400, Citycom 300, MaxSym 400i), estão vendendo muito e o esperado é que estes consumidores acabem, mais cedo ou mais tarde, querendo dar um plus de cilindrada, e as opções atuais estão listadas abaixo.

Suzuki Burgman 650, reinando absoluta desde 1996

Suzuki Burgman 650, reinava absoluta desde 1996

A Dafra começou a mexer com o segmento e expandiu sua base com o Citycom 300i, que não chega a ser um maxi scooter, mas agrada (e muito) o público que não quer moto, mas quer a agilidade dos veículos de duas rodas na cidade. Mais recentemente, lançou o Maxsym 400i, irmão maior do Citycom e também fruto da parceria com a taiwanesa SYM. Ele chegou com preço muito competitivo para trombar com o Suzuki Burgman 400. A Suzuki, aliás, desde 2006 reinava sozinha nessa fatia do mercado, oferecendo o Burgman 650, sem nenhum concorrente para incomodar. Com isso arrebanhou muitos simpatizantes do veículo.

Dafra Citycom 300i e Maxsym 400i: opções menores e mais baratas

Dafra Citycom 300i e Maxsym 400i: opções menores e mais baratas

Era caro? Sim, mas oferecia qualidade e predicados suficientes para convencer os simpatizantes da categoria que pertencem a uma classe de consumidores vip, que estão dispostos a desembolsar um pouco mais para ter em suas garagens o objeto do desejo. Uma Ferrari também custa muito caro, mas muitos pagam sem questionar. Entretanto a Suzuki não aprimorou o Burgman 650 e o modelo oferecido até hoje é quase uma réplica do primeiro que por aqui chegou.

De olho nesse mercado e no bolso dessa clientela vip, BMW e Yamaha trouxeram recentemente para cá os seus representantes na categoria.

BMW C 600 Sport, predicados suficientes para conquistar os mais exigentes

BMW C 600 Sport, predicados suficientes para conquistar os mais exigentes

A BMW, que já acumula clientes vip com sua motocicletas de luxo, tratou de trazer também o seu scooter em fevereiro de 2014, o C 600 Sport, o mais caro da categoria, mas que carrega consigo itens tecnológicos e de conforto invejáveis, podendo até ser comparado com uma moto em “pele” de scooter, como pode ser visto no teste realizado pelo Motonline na época do seu lançamento.

Yamaha T-Max, de 530cc, uma moto disfarçada de scooter

Yamaha T-Max, de 530cc, uma moto disfarçada de scooter

A Yamaha não quis perder o “bonde” e também trouxe o seu carro chefe de vendas da categoria na Europa, o Try-Maximum, ou simplesmente T-Max de 530cc, 46,5 cv de potência e 5.3 kgfm de torque, também outra moto disfarçada de scooter.

Integra 750, opção da Honda para concorrer com Suzuki, BMW e Yamaha

Integra 750, opção da Honda para concorrer com Suzuki, BMW e Yamaha

A Honda também está de olho nessa fatia, mas até hoje ainda não decidiu trazer nada além dos pequenos scooters Lead, de 110cc, e o PCX de 150cc. Mas percebe-se que a marca líder não vai deixar de bandeja aos concorrentes tão rentável fatia de mercado. No line-up da Honda no exterior e neste categoria dos maxi scooters, há o Integra, de 745cc e 54 cv, modelo que, caso venha a compor a linha de produtos da marca no Brasil, fará séria concorrência aos da BMW, Suzuki e Yamaha em função dos predicados tecnológicos que oferece e ao peso que a marca da asinha impõe ao mercado de veículos de duas rodas.

Preços dos maxi scooters citados nesta matéria:

Preços em R$

Preços em R$


PS: A palavra scooter não existe nos dicionários da língua portuguesa. Alguns autores se referem ao veículo no gênero feminino (a scooter). Outros o fazem no gênero masculino (o scooter).