Os números de Jerez

Os números de Jerez

Os números de Jerez

37 – Com Álvaro Bautista incapaz de correr, o Grande Prémio do Qatar foi o primeiro em 37 anos sem uma Suzuki na grelha. A última vez que tal aconteceu foi no Grande Prémio da Alemanha de 1974, em Nurburgring – uma corrida que foi alvo de boicote por parte dos pilotos de topo por questões de segurança e contou apenas com sete homens à partida.

28 – No dia da corrida do Grande Prémio de Espanha passam 28 anos sobre a vitória de Freddie Spencer no Grande Prémio de França de 1973, em Le Mans, prova onde levou a melhor sobre os companheiros de equipa Marco Lucchinelli e Ron Haslam; esta foi a primeira vez na história em que Honda dominou todo o pódio.

25 – Este será o 25º ano consecutivo em que Jerez recebe um Grande Prémio; a primeira prova no circuito foi disputada em 1987. Assen é o único outro traçado a ser usado de forma consecutiva por igual período de tempo.

24 – A vitória de Casey Stoner no Qatar foi a sua 24ª na categoria rainha, o que o coloca em sétimo na tabela de vencedores de todos os tempos, empatado com Wayne Rainey. Mais um triunfo e ficará empatado com Kevin Schwantz.

21 – O segundo lugar de Jorge Lorenzo no Qatar foi a sua 21ª presença consecutiva entre os quatro primeiros. A última vez que ficou de fora dos quatro primeiros foi no GP da Austrália de 2009, quando caiu na primeira curva.

10 – O português Miguel Oliveira terminou em 10º na sua estreia em Grandes Prémios na classe de 125cc, no Qatar. Esta foi a segunda vez que um piloto luso somou pontos num GP; o primeiro foi André Nuno, que terminou o GP de Espanha de 250cc em décimo, em Jarama, em 1973.

9 – Maverick Vinales terminou em nono na estreia em Grandes Prémios no Qatar. Foi o melhor resultado de um estreante nas 125cc desde que Scott Redding foi quinto no Qatar, em 2008.

8 – Valentino Rossi é o piloto mais bem sucedido no Circuito de Jerez com oito vitórias em seu nome: uma por classe nas 125cc e 250cc e seis na categoria rainha.

7.71 segundos – Nico Terol venceu a corrida de 125cc no Qatar com 7,71 segundos de vantagem, a margem de vitória mais dilatada numa corrida de 125cc no seco desde que Julián Simón venceu o GP da Alemanha de 2009 com mais de nove segundos de vantagem.

7º – O sétimo posto de Valentino Rossi na sua estreia com a Ducati de fábrica foi apenas a quarta vez desde o início de 2002 em que o italiano terminou fora dos seis primeiros numa corrida no seco em que não tenha caído e regressado à corrida. As outras ocasiões foram na Turquia e República Checa, em 2007, e no Dutch TT, em 2006, ronda em que se debateu com lesões contraídas numa queda durante os treinos.

7 – O Circuito de Jerez viu sete pilotos espanhóis vencerem corridas da categoria rainha – Alberto Puig em 1995, Alex Criville em 1997, 1998 e 1999, Sete Gibernau em 2004, Dani Pedrosa em 2008 e Jorge Lorenzo no ano passado.

5 – Jerez é um dos apenas cinco circuitos actuais onde Casey Stoner não venceu durante o tempo que esteve na Ducati; os outros são Estoril, Le Mans, Silverstone e Indianapolis.

4 – A Honda e a Yamaha somam quatro vitórias cada em Jerez com as máquinas a 4-tempos de MotoGP. A Ducati tem uma só vitória de MotoGP em Jerez.

3 – As três corridas do ano passado em Jerez foram ganhas por pilotos espanhóis; foi um dos seis eventos de Grandes Prémios de 2010 em que as vitórias nas três categorias ficaram a cargo de pilotos espanhóis.

1,534 segundos – A redução do recorde da melhor volta de Moto2 no Qatar reflecte as melhorias conseguidas com o desenvolvimento face há 12 meses. A pole position foi melhorada em 1,736 segundos e o tempo total da corrida foi encurtado em 33,219 segundos.

1 – O terceiro lugar de Casey Stoner em Jerez, em 2009, foi o seu único pódio com a Ducati na pista espanhola na era das 800cc de MotoGP. – Copyright by Dorna, português de Portugal.


TAG