Antes da grelha de MotoGP™ rumar a Misano para o Grande Prémio Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini, o motogp.com traz-lhe importantes factos e números sobre o evento.

Os números de Misano

Antes da grelha de MotoGP™ rumar a Misano para o Grande Prémio Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini, o motogp.com traz-lhe importantes factos e números sobre o evento.

Antes da grelha de MotoGP™ rumar a Misano para o Grande Prémio Aperol de São Marino e da Riviera de Rimini, o motogp.com traz-lhe importantes factos e números sobre o evento.

232 – Dani Pedrosa somou 232 pontos nas primeiras 12 corridas de MotoGP deste ano. Se terminar em primeiro ou em segundo em Misano vai ultrapassar o seu anterior melhor total de pontos numa época inteira na classe de MotoGP, que é de 249 e remonta a 2008.
100 – Em Misano, Stefan Bradl vai fazer a 100ª partida de Grandes Prémios. Bradl estreou-se nos GPs com 15 anos no Grande Prémio da Catalunha de 2005. Após ter competido como wild card em mais duas corridas no mesmo ano, entrou para o campeonato a tempo inteiro em 2006. Após quatro anos nas 125cc, com um total de 54 Grandes Prémios, passou para a Moto2 em 2010. Durante os dois anos na classe intermédia partiu para 33 corridas, e o GP de São Marino será a 13ª partida desde que passou para a classe de MotoGP no início deste ano.
67 – A vitória de Dani Pedrosa no Grande Prémio checo representou o seu 67º pódio na classe de MotoGP, mais um que Casey Stoner. Apenas quatro pilotos subiram ao pódio da categoria rainha mais vezes que Pedrosa: Valentino Rossi, Mick Doohan, Giacomo Agostini e Eddie Lawson.
60 – No primeiro dia de treinos do Grande Prémio de São Marino passam exactamente 60 anos sobre o dia em que Les Graham venceu em Monza em 1952, dando à MV Agusta a primeira vitória num GP de 500cc. A MV Agusta somou depois mais 138 vitórias na classe de 500cc.
50 – No Grande Prémio de São Marino Ben Spies vai fazer a 50ª partida na classe de MotoGP.
44 – No dia da qualificação de Misano passam exactamente 44 anos sobre a vitória de Giacomo Agostini na última corrida do ano em Monza, a décima em dez possíveis na época de 1968. Agostini foi seguido por Rezno Pasolini, Angelo Bergamonti, Alberto Pagani e Silvano Bertarelli – a única ocasião em que a lista dos cinco primeiros de uma corrida da categoria rainha foi totalmente composta por pilotos italianos.
22 – A pole de Jorge Lorenzo no GP checo foi a 22ª da carreira no MotoGP, o mesmo número de poles que Dani Pedrosa na categoria rainha.
21 – No dia da corrida em Misano passam exactamente 21 anos sobre a vitória de Loris Capirossi na última corrida da 125cc da época de 1990 em Phillip Island, tornando-se no mais jovem Campeão do Mundo de todos os tempos – o recorde ainda se mantém.
19 – O Grande Prémio checo foi a 19ª vez em que Dani Pedrosa e Jorge Lorenzo ocuparam as duas primeiras posições no MotoGP. Lorenzo foi primeiro por dez vezes e Pedrosa venceu nas restantes nove.
18 – A vitória de Dani Pedrosa em Brno foi a 18ª da carreira na classe de MotoGP. É o mesmo número de triunfos em Grandes Prémios da categoria rainha que o Campeão do Mundo de 500cc de 1987 Wayne Gardner assinou durante a carreira. Mais uma vitória fará com que fique empatado com o bi-Campeão do Mundo de 500cc Barry Sheene.
15 – Misano já recebeu 15 Grandes Prémios, o primeiro deles em 1980. Nas dez vezes que um GP se disputou em Misano até 1993 as corridas foram disputadas contra o sentido dos ponteiros dos relógios, ao contrário do que aconteceu nas últimas cinco edições.
14 – Já foram disputados 14 Grandes Prémios de São Marino. O primeiro Grande Prémio de São Marino foi disputado em Imola em 1981. Foram três os circuitos a receber o Grande Prémio de São Marino: Imola duas vezes (1981 e 1983), Mugello quatro vezes (1982, 84, 91 e 93) e Misano por oito vezes (1985, 86, 87, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011).
6 – Com a vitória de Jonas Folger no GP checo são agora seis os vencedores diferentes (Cortese, Folger, Viñales, Salom, Fenati e Rossi) de quatro nações destintas (Alemanha, Espanha, Itália e França) nas primeiras 11 corridas da nova classe de Moto3.
3 – A Yamaha tem sido o construtor mais bem sucedido no MotoGP desde que os Grandes Prémios regressaram a Misano em 2007 com três vitórias. A Ducati e a Honda contam apenas com uma vitória de MotoGP cada no circuito de Misano.
3 – Com Jonathan Rea a substituir Casey Stoner em Misano serão três os pilotos britânicos na grelha do MotoGP. A última vez que a categoria rainha contou com três, ou mais pilotos britânicos na grelha foi na última corrida da época de 2004, em Valência, onde alinharam quatro: Jeremy McWilliams (Aprilia), Neil Hodgson (Ducati), James Ellison e Chris Burns, ambos Harris WCM.
0 – Nenhum dos pilotos que vai partir para a corrida de Moto3 no GP de São Marino conta com vitórias de Grandes Prémios no circuito de Misano.