Conheça os perigos da ressaca

Os perigos da pilotagem quando se está de ressaca

Muitos dos nossos irmãos motociclistas aproveitam os finais de semanas, férias e feriados para colocar suas motos na estrada, curtindo momentos de descontração para esquecer os problemas estressantes do dia-a-dia. Até aí tudo bem, super normal. Mas alguns comportam-se como se não houvesse amanhã e tomam todas, esquecendo-se que depois de uns goles a mais vem a irritante e desconfortável ressaca.

Conheça os perigos da ressaca

Conheça os perigos da união de motocicleta e ressaca, citados por quem entende do assunto

Nem todo mundo tem problema com ressaca, mas quem tem sofre com ela. A bebida causa desidratação e o organismo leva horas para eliminar o álcool e tudo que você jogou para dentro durante a festa. A ressaca e seus efeitos podem te derrubar, inclusive da moto.

Não basta beber, dormir e depois acordar e pegar a estrada. Para evitar a ressaca você precisa tomar alguns cuidados importantes. Apesar de cada organismo reagir de uma forma diferente, aqui vão algumas dicas dadas pelo Dr. André Pereira, médico cardiologista e motociclista cerarense.

Conversando com o Dr André Pereira

O Dr. André Pereira, motociclista, cardiologista e terapeuta intensivo, Dedé como é mais conhecido entre os motociclistas, explica em detalhes e em uma linguagem fácil de entender por que a ressaca pode ser ainda pior do que você pensa. Leia abaixo os conselhos do médico-motociclista.

Dr. André Pereira, em primeiro plano, em viagem com amigos. "Nada de beber viajando! E quando parar, cuidado para não sofrer e correr riscos com a ressaca", destaca o cardiologista e motociclista

Dr. André Pereira, em primeiro plano, em viagem com amigos. “Nada de beber viajando! E quando parar, cuidado para não correr riscos com a ressaca”, destaca o cardiologista e motociclista

Antes de beber tome água, pois ela ajuda a diluir o efeito da bebida, inclusive a cerveja. Bebidas destiladas requerem que a cada três doses um copo de água seja tomado, pois ajuda a eliminar o álcool. O fígado sofre e trabalha mais pois precisa metabolizar o álcool e isso ajuda a queimar algumas de suas reservas, inclusive açúcar.

O mito da ressaca

A despeito do que se pensa que após ingestão alcoólica, com mais ou menos 12 horas em diante já se pode dirigir, a realidade é que sob efeito de álcool, a famosa ressaca, o indivíduo não está apto a exercer a direção de automóveis ou muito menos de motocicletas, por algumas razões simples, vamos ver:

Durante o período de embriaguês as conexões cerebrais são atrapalhadas pelo efeito depressivos do álcool sobre o sistema nervoso central, e esse efeito depressivo vai provocar um atraso nas reações e nas respostas motoras, auditivas e visuais. O indivíduo vai ficar com respostas mais lentas, vai ter percepção falsa de que o objeto está a uma certa distância quando na verdade está muito mais próximo, não vai ter acuidade visual e auditiva tão apuradas como quando não está embriagado.

Enquanto durar a ressaca – isso vai depender muito de organismo para organismo -, você pode até não ter mais taxa de alcoolemia detectável, você pode até fazer um teste de bafômetro e o resultado ser zero, mas as reações químicas orgânicas ainda estão presentes no seu organismo onde o tempo de resposta está diminuido. Você com certeza também está sofrendo efeitos da desidratação, porque o álcool inibe a produção do hormônio anti-diurético, ou seja, a gente urina mais quando está sob o efeito de álcool, e com isso a gente perde água endógina e desidrata. E a desidratação traz alterações na respiração e na resposta muscular, na contração dos músculos, deixando seu cérebro com pensamentos mais lentos, ou seja, você não consegue raciocinar muito bem quando está desidratado.

Você fica sonolento, taquicárdico (coração acelerado), além disso seus músculos estarão com contração alterada. Então, toda essa percepção que a gente tem que ter apurada 100% quando se está em cima de uma moto, porque além de dominar a moto você tem que observar a paisagem ao ponto de não se distrair demais, observando os carros que vão passando, observando possíveis animais que vão atravessar na sua frente, observando outras motos, bicicletas, enfim, todo tipo de transporte que pode passar por você e isso vai ser atrapalhado porque o seu organismo não está conseguindo se concentrar naquela tarefa.

Estudo na Inglaterra comprova os malefícios da ressaca

Foi feito um estudo na Inglaterra que comprova que uma pessoa sob efeito de ressaca tem quatro vezes mais chances de sofrer ou provocar acidentes, tanto ao volante como ao guidão, do que uma pessoa que não está de ressaca, isso por conta das reações químicas e do tempo de resposta que fica mais lento.

Não é só o bafômetro

Será que se eu fizer um bafômetro vai ser detectada alcoolemia em mim? Não é só isso. A questão é outra: será que o meu organismo está 100% revigorado? Será que eu já reidratei? Será que eu já repus as vitaminas e sais minerais e já dei o repouso muscular que o corpo precisava? Será que o meu cérebro já está 100% religado, para que eu possa executar todos os movimentos e tenha toda a minha atenção voltada à pilotagem?

O álcool e a hipoglicemia

Além da questão da desidratação, da questão da resposta cerebral e, consequentemente, da resposta muscular aos estímulos todos, tem a questão de que o excesso de ingestão de álcool provoca um período de ressaca onde muito provavelmente você vai estar sofrendo também de hipoglicemia. Então, por exemplo, se nessa situação a gente está em um estado bastante ensolarado, numa região bastante quente, agravado com roupas pesadas, de couro ou outro material, que já geram uma certa desidratação, quando todo mundo sabe que é indicado fazer atividades físicas, cuidar do corpo, se alimentar de forma leve, porque também não adianta pensar só em álcool.

As refeições pesadas roubam muita energia do organismo, principalmente energia do cérebro, que é direcionada para o tubo digestivo. Então você fica muito sonolento depois de refeições muito pesadas. Pilotar nessas condições também traz riscos de acidentes justamente por diminuir a sua atenção e aumentar o tempo de resposta. Tudo isso concorre para deixar o corpo lento; não adianta a moto ser boa se o corpo não estiver 100%. Um piloto comum, com todas as condições de saúde em uma motoquinha fará muito mais que um cara sonolento, ressacado, em uma moto de última geração, principalmente em se tratando de chegar bem ao destino.

Estudo publicado no The Telegraph

Tem também o estudo de uma universidade inglesa publicada em no jornal The Telegraph, que diz que a ressaca atrapalha a chamada memória de trabalho. Eles até usaram um exemplo de quando você assiste televisão e fica lembrando que deixou o forno ligado assando uma carne. Então, de ressaca o indivíduo tem uma diminuição da memória de trabalho de até 10% e pode cometer erros relacionados à diminuição de raciocínio na ordem de 30%. Imagine você com a memória afetada e cometendo erros 30% a mais do que você cometeria na pior situação que você estivesse. Por isso que é reforçado que em até quatro vezes mais o indivíduo pode se acidentar quando está de ressaca.

Outros conselhos do Dr. André Pereira

Comer enquanto se bebe é uma boa alternativa, mas precisa tomar cuidado com isso. Alguns tira-gostos e petiscos pesados darão ainda mais trabalho ao sistema digestivo e isso inclui o fígado, que já está na luta para eliminar o álcool. A dica é tira gostos à base de frutas ou de petiscos leves. Uma cachacinha com frutas cai bem, mas cerveja com feijoada…. é pesado.

Antes de ir dormir depois de beber é bom fazer uma refeição leve. Um suco ou um caldo caem bem. Beba água antes de dormir. Pela manhã beba um copo d’água em jejum. Se puder tome pelo menos 300 ml de água., isso vai ajudar a acelerar o metabolismo do organismo que esteve lento à noite em razão do sono. Esse copo d’água ajuda inclusive a reduzir o efeito de álcool no sangue.

Acorde cedo e no café da manhã, alimente-se à base de frutas e proteína e depois volte ao quarto para descansar por pelo menos uma hora. Tome um banho, beba água e prepare-se para pegar a estrada. Nas paradas, uma Coca-Cola vai bem. Ela tem sal, açúcar, água e a cafeína um estimulante semelhante à Taurina, presente nos energéticos. Além disso ela ajuda a reter líquidos, o que reduz o efeito da desidratação resultante da noite de bebedeira. Lembre-se que antes de pegar a estrada você precisará estar pelo menos oito horas sem beber, mesmo tendo seguido todas as nossas dicas.

Não esqueça que o álcool ainda estará no seu organismo e inclusive nos seus pulmões e são eles que vão mandar a informação que ainda tem álcool no sangue quando a polícia te parar e pedir o teste do bafômetro. Alguns amigos perderam a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) por isso. Beberam, dormiram e se alimentaram mal; tomaram café às pressas e ainda desidratados pegaram a estrada debaixo de quilos de equipamentos e sob um calor dos infernos.

Tudo isso tira reflexos, causa sono e se somar desidratação com hipoglicemia será chão na certa. O resto você sabe o que pode acontecer.

Ressaca_03

Se você bebeu, a festa não termina quando você dorme. Ela ainda continua no seu organismo por algumas boas horas e você precisa ajudar a desmontar todo o álcool ingerido. A festa não acaba quando termina, ainda tem uma estrada pela frente.

E festa boa é quando você chega na sua casa em paz, inteiro e sem perder sua CNH, sua moto e sua vida.

Separador_motos

Colaboração de Dr. André Pereira e Luis Sucupira



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.