6252391461_72ba408369_o[1]

Os vencedores da Maratona universitária da Eficiência Energética 2011

Entre os dias 12 e 14 de outubro, o Kartódromo de Interlagos, na cidade de São Paulo, se tornou o maior laboratório de pesquisa energética do país a céu aberto. Cerca de 500 professores e alunos, representando sete estados brasileiros e 22 instituições de ensino superior, deram uma aula de sustentabilidade e economia durante a oitava edição da Maratona Universitária da Eficiência Energética. A prova foi marcada pela qualidade dos projetos e duas quebras de recordes.

Na categoria dos veículos movidos à gasolina, a mais tradicional da competição, a vitória ficou com os catarinenses da Universidade da Região de Joinville, com a marca de 594,394 km/l. Superaram por larga margem o antigo recorde da pista, os 367,050 km/l obtidos pela Unicamp em 2007. Foram seguidos pela equipe da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (com 420,293 km/l) e pelos antigos recordistas de Campinas, que alcançaram 211,953 km/l.

Nos carros a etanol, os paranaenses da Unioeste superaram todas as expectativas e outro recorde ficou no passado. O consumo que alcançaram, de 736,395 km/l, é uma referência em qualquer prova de eficiência energética do mundo, ainda mais diante do relevo e traçado da pista. Os estudantes da Univille de São Bento do Sul ficaram em segundo lugar (com 113,044 km/l) e os gaúchos do Colégio Técnico Industrial de Santa Maria foram os terceiros, atingindo 89,591 km/l.

Campeã em 2007 e 2008, a equipe da Universidade Federal de Santa Maria voltou a dominar a competição dos elétricos. Seu modelo percorreu 13,668 km com uma bateria de moto (12V 4Ah). Por pouco, o recorde seguiu com o Instituto Mauá de Tecnologia, que registrou 14,578 km no ano passado, dentro das mesmas regras. A Universidade Federal de Itajubá, imbatível em 2009, conquistou o vice com a distância de 12,256 km. A Unioeste completou o pódio com 12,060 km.         

Na avaliação dos melhores projetos, os paulistas se destacaram. Os engenheiros do Instituto Mauá ficaram em primeiro e os alunos da Escola Politécnica da USP foram os terceiros. Novamente, a Unioeste surpreendeu e ficou em segundo lugar, além de ser a única equipe a compensar suas emissões de gases de efeito estufa.

A Melhor Premiação Universitária
Realizada desde 2004, a Maratona Universitária da Eficiência Energética é a quarta maior competição do gênero no mundo e a única organizada na América Latina. A oitava edição teve o patrocínio da Fiat Automóveis, Fiat Powertrain, NSK Rolamentos e Radix Engenharia e Software, além de apoio da Tramontina Pro, Baterias Heliar e VZAN.

É a prova estudantil com a melhor premiação do país. As duas universidades que alcançaram o menor consumo (em cada categoria) ganharam veículos para uso didático. As terceiras colocadas receberam três motores cada. Todos os alunos integrantes das três equipes que desenvolveram os melhores projetos levaram conjuntos de ferramentas profissionais para casa e as universidades ganharam carrinhos completos com centenas de itens.

Universidades Presentes
Bahia – UESC (estreante). Rio de Janeiro – UFRJ (estreante).Minas Gerais – UFMG, CEFET e UNIFEI.
São Paulo – Anhembi Morumbi, Mauá, Mackenzie, UNICAMP, USP Politécnica, USP São Carlos, UNIFEB (estreante) e UNIFEV (estreante). 
Paraná – UNIOESTE e UTFPR. Santa Catarina – UFSC E3 Florianópolis, UFSC CEM Joinville, UNIVILLE Joinville e UNIVILLE São Bento do Sul. Rio Grande do Sul – FURG, UFSM e CTISM.

Resultados Finais da Maratona 2011
Categoria Projeto
1º – Instituto Mauá de Tecnologia
2º – Universidade Estadual do Oeste do Paraná
3º – USP Escola Politécnica de São Paulo                              

Categoria Gasolina
1º – Ecoville – Universidade da Região de Joinville – 594,394 km/l
2º – Oktan – Universidade Estadual do Oeste do Paraná – 420,293 km/l
3º – Dragster GF – Universidade Estadual de Campinas – 211,953 km/l
4º – EcoCTISM 02 – Colégio Técnico Industrial de Santa Maria – 210,993 km/l
5º – M2 – Universidade Federal de Minas Gerais – 199,008 km/l
6º – Ecofet E03 – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – 164,594 km/l
7º – PoliLogist11 – USP Escola Politécnica de São Paulo – 161,524 km/l
8º – Mack Laren I – Universidade Presbiteriana Mackenzie – 138,603 km/l
9º – Pato a Jato I – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – 129,530 km/l
10º – Errba 2 – Universidade Anhembi Morumbi – 115,228 km/l
11º – EconoMauá 02 – Instituto Mauá de Tecnologia – 76,197 km/l
12º – Unicar – Universidade da Região de Joinville São Bento do Sul – 74,792 km/l

Categoria Etanol
1º – Etanóis – Universidade Estadual do Oeste do Paraná – 736,395 km/l
2º – Unicar II – Universidade da Região de Joinville São Bento do Sul – 113,044 km/l
3º – EcoCTISM 03 – Colégio Técnico Industrial de Santa Maria – 89,591 km/l                             
4º – Ecofet E04 – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – 87,864 km/l
5º – Errbanol 2 – Universidade Anhembi Morumbi – 85,240 km/l

Categoria Elétrico
1º – EESM 11 – Universidade Federal de Santa Maria – 13,668 km
2º – Ampera – Universidade Federal de Itajubá – 12,256 km
3º – Quati III – Universidade Estadual do Oeste do Paraná – 12,060 km
4º – Ecofet E05 – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – 10,452 km
5º – Sparta – Universidade Federal do Rio de Janeiro – 8,040 km
6º – Errbatronic – Universidade Anhembi Morumbi – 4,824 km
7º – Faísca – USP Escola de Engenharia de São Carlos – 4,216 km
8º – Tartaruga Apavorada – Fundação Educacional de Barretos – 4,020 km
9º – EconoMauá 01 – Instituto Mauá de Tecnologia – 3,412 km
10º – EconoMauá 03 – Instituto Mauá de Tecnologia – 3,216 km
11º – Cel da Bahia – Universidade Estadual de Santa Cruz – 2,412 km
12º – Catarina – Universidade Federal de Santa Catarina CEM – 1,022 km
13º – EV Noroeste – Centro Universitário de Votuporanga – 0,804 km