Othon "Voador" Russo no Moto 1000 GP

Othon Russo: com o motociclismo tatuado na alma

Vida de atleta dos esportes a motor em duas rodas no Brasil não é fácil. Sem subsídios, falta de apoio financeiro, patrocínios difíceis de se obter, tudo isso somado torna um calvário a vida daqueles que amam o esporte mas não têm a oportunidade de entrar em uma equipe de ponta, forte e estruturada.

Othon "Voador" Russo no Moto 1000 GP

Othon "Voador" Russo no Moto 1000 GP

Assim os nossos talentos deixam de ser aproveitado; sabe-se lá quantos Valentinos Rossis temos espalhados pelo nosso país, que não tiveram a chance de mostrar seu talento nas pistas.

Veja o relato das peripécias que foram necessárias para que o carioca Othon “Voador” Russo participasse, “no peito e na raça”, do último Moto 1000 GP ocorrido dia 21 de abril em Interlagos em São Paulo:

” Campeonato começando e eu não poderia ficar de fora da Categoria Master do Moto 1000 GP, que agora é homologado pela FIM e CBM como Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.

Consegui uma CBR 1000cc 2008 meio em cima da hora pra variar, hehe. A moto era de rua e um pouco rodada mas foi o que consegui e trabalhei em cima dela faltando uma semana para a prova acontecer, tudo muito corrido e com poucos recursos.

Mas não desanimei e parti para Interlagos na madrugada de quinta feira com a moto desmontada. O escape ficou pronto à meia noite de quarta, esperei com o furgão ligado para seguir viagem. As carenagens e rabeta ficaram para ser instaladas lá em SP mesmo. Chegando em Interlagos, consegui uma coroa emprestada e foi a maior correria tentando aprontar a moto para os treinos livres de sexta, mas ela não ficou pronta a tempo.

Para completar, na correria a moto caiu parada nos Boxes quebrando a bolha que eu tinha comprado na quarta feira ainda no RJ, mas acabei conseguindo outra. No sábado consegui entrar na pista no primeiro treino da manhã, dei 12 voltas, as primeiras com a moto. Me senti muito bem nela e virei um bom tempo, em torno de 1′50”.

Dei mais umas voltas no segundo treino livre de sábado, mas foi um treino conturbado; quase bati numa moto mais lenta e logo depois na freada da Curva da Junção, uma moto bateu na rabeta da minha moto e a manete de freio do cara foi nas minhas costas. O piloto caiu e eu tive que frear todo atravessado pra não passar por cima e cair também.

O treino foi interrompido. E de volta a pista, outra queda na minha frente, dessa vez o piloto Sidão, que caiu na freada do ‘S’ do Senna. Também escapei por pouco, tive muita sorte nas três situações. Fui para o cronometrado e virei 1.49, achei um ótimo tempo para o pouco que conhecia da moto e as condições da minha estrutura.

A corrida da categoria Master, com 10 motos, dividiu o grid com a Superbike Ligtht, que tinha 36 motos inscritas. Grid cheio, muito bonito, e na largada saí em 24º lugar, bem no meio do pelotão. Sabia que tinha que ter calma, pois na primeira curva não seria fácil no meio de 46 motos. Até me sai bem na largada mas na entrada da Curva do Lago umas 5 motos foram ao solo, por pouco também não me envolvi no acidente e a bandeira vermelha foi acionada. Felizmente nada de grave ocorreu.

Nova largada, todos os pilotos muito tensos, sinal vermelho apagado e novamente fui feliz na largada passei até alguns pilotos, consegui seguir uma galera e fiz uma excelente corrida chegando em 15º lugar na geral e segundo na categoria Master. Minha melhor volta foi em 1,47 baixo, quase cravado. Foi uma verdadeira vitória, pois minhas condições eram mínimas e cheguei na frente de equipes bem estruturadas com equipamentos muito superiores ao meu, com direito a pódio, champanhe e tudo mais.

Othon Russo

Othon Russo

Agora vou batalhar para ir para a segunda etapa em Curitiba mês que vem, pois estou em segundo no campeonato, na GP Master, e com chances disputar o título desse ano. “


Dados do atleta:
Nome: Othon Ricardo Lima Russo
Apelido: Voador
Nascimento: 13/06/1958
Cidade: Rio de Janeiro
Estado / País: RJ / Brasil
Equipe: Crazy Dog
Moto Marca e Modelo: Honda CBR 1000 RR
Patrocinador: Ge Park