noel

Papai Noel existe sim e pode ser você!

Que tal ser um verdadeiro Papai-Noel?

A lenda de Santa Claus, São Nicolau, Weihnachtsmann ou como o chamamos, Papai Noel, é por demais conhecida. Também sabemos que a figura mundialmente conhecida, vestida de vermelho e branco, de barbas brancas foi uma criação encomendada pela Coca-Cola. Porém ela liberou a imagem para ser usada por todo mundo e ai mais um case de propaganda subliminar da gigante dos refrigerantes. Até o final do século XIX, Papai Noel era representado com roupas de inverno, porém na cor marrom. Em 1881 a Coca-Cola realizou uma grande campanha publicitária vestindo Papai Noel com as cores vermelha e branca (como as de seu rótulo) e acrescentou-lhe um barrete vermelho adornado por um pom-pom branco. Tal campanha fez um enorme sucesso e a nova imagem de Papai Noel espalhou-se rapidamente pelo mundo.

Em se tratando de história o personagem Papai Noel ou Pai Natal foi inspirado em São Nicolau Taumaturgo, Arcebispo de Mira, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo até chegar ao Brasil.

Acontece que a figura do Papai Noel é emblemática e o seu significado se pauta na confraternização, na solidariedade, na nova oportunidade e no perdão. Mas existe uma característica que me chama atenção: é a atitude!

Gosto muito de brincar dizendo que a gente não cresce e nem fica velho, o que muda são os preços dos brinquedos. E é verdade. Veja que continuamos crianças sob alguns aspectos. Todos nós tivemos infância. Alguns de nós uma boa infância e outros uma infância difícil ou por questões financeiras ou por problemas familiares.

papais-noéis desfilam em motos na Coréia.

Quando ainda nem tinha completado dez anos tive a minha primeira decepção. Uma fantasia de criança que aflorava na época do Natal foi destruída por algum boboca de plantão, daqueles que adoram melar a brincadeira dos outros, ao dizer-me que Papai Noel não existia e que o meu pai era quem punha os presentes embaixo da minha cama.

Meus filhos ainda com menos idade que eu, à época, já sabiam que Papai Noel era apenas um símbolo e que inspirava atitudes.

Um dia analisando o fato à luz do marketing me caiu uma ficha. Se o Natal era uma inspiração para as boas atitudes que tal ser um Papai Noel diferente? Ouvi de um pai de um grande amigo me dizer que a sua infância, muito pobre, o privou de viver essa fantasia. Hoje ele é bem de vida e os filhos, todos eles, viveram na sua plenitude a fantasia do Papai Noel: a satisfação de ter um presente posto embaixo da cama.

Aí me ocorreu o seguinte: Quantos pais não foram crianças pobres ou que não curtiram o barato que é acordar e ver um presente embaixo da cama?

Telefonei pro meu amigo e confidenciei o que ouvira do seu pai. Dei-lhe uma sugestão: Que naquele Natal ele comprasse um presente simples, mas que coubesse embaixo da cama do seu pai. O presente não era importante, importante era a atitude e o que estaria escrito no cartão. Ele topou a idéia.

Comprou o presente e escreveu o seguinte texto no cartão: “Papai Noel existe sim e ele veio hoje à noite aqui pra reviver a criança que existe dentro de cada um de nós. Afinal de contas, Papai Noel já foi criança um dia e também adora ganhar presentes! Te amo Pai. Do seu filho….”

Na véspera do Natal ele pôs o presente embaixo da cama e foi pra casa. Teve o cuidado de deixar um bilhete dentro do chinelo do pai. Dia 25, antes das 8 da manhã ele foi acordado pelo seu pai que pessoalmente foi à sua casa agradecer pela lembrança. Visivelmente emocionado ele disse que nunca havia recebido um presente embaixo da cama e que aquilo que ele fez teve uma importância muito maior que tudo o que já havia acontecido entre eles. O velho homem tinha a face brilhante e um sorriso infantil. Voltara ao tempo de criança ou resgatara a criança que estava lá.

Embaixo do braço o presente: um kit de trenzinho, com locomotiva, vagões, estação, túnel e tudo o que muita gente já viu ou já teve como brinquedo. O pai sentou-se no chão e convidou o meu amigo pra montarem juntos o brinquedo. Ele me dissera que ficaram horas brincando e conversando sobre a sua infância e sobre a infância do meu amigo. O brinquedo ganhou lugar de destaque na casa. Estava sempre muito bem cuidado e vez ou outra funcionava.

Todo ano o meu amigo coloca o presente embaixo da cama dos pais dele. Sempre um brinquedo. Na última vez foi um carro. O mais interessante é que ele quer que o sonho do Papai Noel não morra nunca. Os filhos dele conversam com o avô e perguntam o que Papai Noel trouxe pra ele. Brincam dizendo que o vô foi um bom velhinho e por isso ganhou presente. Essa atitude alegrou a vida, o fez reviver os sonhos, as fantasias e as esperanças que nós, quando crianças, tínhamos sobre um mundo calmo, alegre e cheio de cores e sabores.

Em um desses natais o meu amigo deu de presente o carro dos sonhos do seu pai. Se você imaginou ser uma Ferrari, BMW ou coisa parecida errou! Seu sonho, dito nas conversas deles era ter um Kharmann Ghia 1966, todo original. Nunca pôde ter um, mas hoje achava que não combinava mais com ele. O meu amigo Jonas( posso chamar assim) comprou uma miniatura do Kharmann Ghia e a colocou embaixo da cama. No bilhete ao pai e a mãe dizia: “Papai Noel existe sim! Eu vim aqui ontem à noite te deixar um presente que não cabia embaixo da cama. Sugiro que acorde e chame sua mulher e vá até a frente da casa. Lá encontrará o seu presente em tamanho natural. Te amo, Papai Noel.”

O velho desceu com a esposa e lá embaixo estava o Kharmann Ghia 1966, vermelho, original, envolto em papel celofane vermelho com fitas brancas. Colado na fita duas reservas de hotel pagas onde se lia: “Pai, aproveite a viagem e vá namorar a mamãe. Seu filho”.

Não precisa dizer o tamanho que foi a alegria de ver mais um sonho de infância do seu pai realizado.

Minha proposta a todos os colegas  é que nesse ano surpreenda seus pais. Coloque você um presente embaixo da cama deles. Se não dá por qualquer motivo, peça a ajuda de um amigo ou parente. Tem sempre alguém disposto a entrar na brincadeira. Se estiver de bem com os pais melhore ainda mais o seu relacionamento. Se existe alguma mágoa, isso vai ajudar a baixar as guardas e abrir as portas do diálogo para a confraternização em família.

Já dizia o Criador que ‘nosso maior resgate começa pela nossa família.’

Não precisa ser nada caro ou de grande valor, pois o maior valor será a surpresa, a ATITUDE.

Como gosto de afirmar: O marketing também existe para resgatar fantasias, sonhos e para fazer as pessoas um pouco mais felizes. Então desejo um Feliz Natal a todos os Papais Noéis do Motonline. E não esqueçam de deixar a sua mensagem de Natal, nem que seja um Feliz Natal a todos! Oooo, rooo ho!

Como o Natal é algo mundial por conta da internet, queria deixar aqui o meu Feliz Natal em vários idiomas:

albanês – Gezur Krislinjden

alemão – Frohe Weihnachten

armênio – Shenoraavor Nor Dari yev Pari gaghand

basco – Zorionak

catalão – Bon Nadal

coreano – Chuk Sung Tan

croata – Sretan Božić

castelhano – Feliz Navidad ou Felices Pascuas

esperanto – Gajan Kristnaskon

finlandês – Hyvää joulua

francês – Joyeux Noël

grego – Καλά Χριστούγεννα

inglês – Merry Christmas ou Happy Christmas

italiano – Buon Natale

japonês – Merii Kurisumasu (adaptação de Merry Christmas)

mandarim – Kung His Hsin Nien

neerlandês – Prettig Kerstfeest

romeno – Sarbatori Fericite

russo – S prazdnikom Rozdestva Hristova

sueco – God Jul

ucraniano – Srozhdestvom Kristovym

 



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.