Paris-Dakar- Irmãos Azevedo têm resultados opostos

Depois de terminar a etapa de Tidjikja na Mauritƒnia, do Rally Paris-Dakar na terceira posi‡Æo da categoria caminhäes, Andr‚ Azevedo, da equipe Petrobras Lubrax, assumiu o segundo lugar na classifica‡Æo geral.

O trecho entre Atar e Tidjikja, na Mauritƒnia, teve 355 quil“metros cronometrados. Se Andr‚ vai bem, seu irmÆo, Jean Azevedo – infelizmente – vai mal na categoria motos. Jean tem bom equipamento e t‚cnica suficiente para estar entre os primeiros, mas fortes dores no ombro estÆo impedindo-o de conquistar boas posi‡äes neste ano, pois sofreu um acidente no Rally dos Sertäes e precisou fazer cirurgia para colocar dois pinos no £mero.

A situa‡Æo est  incomodando e estressando Jean, que todos os dias vˆ pilotos menos experientes terminarem as etapas … sua frente. “Hoje fiquei tÆo nervoso que resolvi acelerar mais e acabei levando um tombo bobo. NÆo tenho for‡as para segurar a moto”, lamentou o piloto, 21§ colocado na etapa entre Atar e Tidjikja, na Mauritƒnia, e 11§ na classifica‡Æo geral acumulada.

No final de cada etapa, Jean mal consegue movimentar um dos bra‡os. Na chegada ao acampamento nesta quinta-feira, nÆo podia levantar o bra‡o direito para pingar col¡rio nos olhos devido … poeira.

Mais uma vez Klever Kolberg e Lourival Roldan, de Mitsubishi Pajero Full, fizeram uma boa etapa, terminando em 13§ na geral. Com o resultado, a dupla subiu duas posi‡äes nos resultados acumulados e agora est  em d‚cimo. “Hoje a id‚ia era andar poupando o carro e tivemos um pneu furado. Enfrentamos problemas tamb‚m com o “enchedor” de pneus, que quebrou no meio da etapa em trˆs rodas. Sem eles era imposs¡vel controlar a pressÆo para passar pelas dunas”, contou Kolberg. Como nÆo podem contar com a assistˆncia das equipes de apoio nÆo terÆo como consertar os acess¢rios de controle de pressÆo dos pneus. “Vamos ter que largar com uma pressÆo m‚dia que seja boa para todo tipo de terreno”, disse.

Klever definiu a etapa como “dur¡ssima”. “Mas o pior ainda est  por vir. Nesta sexta-feira ser  realizada a especial mais dura da edi‡Æo 2004, com 736 quil“metros entre Tidjikja e Nema. Realmente a Mauritƒnia nÆo ‚ um bom lugar para se tirar f‚rias”, resumiu Kolberg.

Nas motos o vencedor foi o espanhol Joan Roma, que assumiu a lideran‡a da competi‡Æo. Nos carros, o francˆs Stephane Peterhansel fez o melhor tempo e tamb‚m est  no topo da lista e o russo Vladimir Tchaguine est  conseguindo manter a lideran‡a entre os caminhäes.

A Equipe Petrobras Lubrax tem patroc¡nio da Petrobras, Petrobras Distribuidora, Mitsubishi Motors do Brasil, Pirelli, apoio da Minoica Global Logistics, Banco DaimlerChrysler, Controlsat Monitoramento Via Sat‚lite, Eurofarma, Planac Inform tica, Mitsubishi Koala, Mercedes-Benz Caminhäes, Nera Telecomunica‡äes, Telenor Satellite Services AS, Kaerre, Capacetes Bieffe, Lico Motorsports, Artfix, Adventure Gears, ZF do Brasil, Behr, Sadia e Dakar Promo‡äes.