Paulo Gonçalves vence de diminui a diferença para o líder Coma

Paulo Gonçalves vence 4ª etapa e encosta em Marc Coma

Com 363,85 km de trecho cronometrado (especial) e 585,30 km no total, a quarta etapa da 22ª edição do Rally dos Sertões, disputada nesta quarta-feira (dia 27), foi a maior e mais dura até aqui. Os competidores saíram de Paracatu rumo à cidade de São Francisco, ambas em Minas Gerais, e estreantes no percurso da competição. Foi um dia que lembrou as areias do deserto do Jalapão, alternando com piso duro e cascalho. Uma etapa que colocou equipamento, pilotos e navegadores à prova e foi marcada por abandonos e vários forfetes (os competidores não conseguiram terminar a especial dentro do tempo limite de 6h30min).

Nas motos, o português Paulo Gonçalves (Team HRC), atual campeão do Sertões, faturou a quarta etapa do rali com o tempo de 4h24min02s, superando o espanhol Marc Coma (KTM Red Bull Factory Team), que chegou em segundo na especial, mas segue na liderança geral (9h43min55s), com apenas 2min04 de vantagem para Gonçalves. Cada um venceu duas etapas até o momento. O terceiro lugar no dia ficou com o português Helder Rodrigues (Team HRC), seguido pelo brasileiro Jean Azevedo (Equipe Honda Mobil), que está em terceiro no acumulado, a 9min37s de Coma.

Trinta e seis, das 37 motos que iniciaram o rali, largaram na especial desta quarta-feira, mas algumas ficaram pelo caminho. Apenas 26 chegaram dentro do tempo limite.

Paulo Gonçalves vence de diminui a diferença para o líder Coma

Paulo Gonçalves vence de diminui a diferença para o líder Coma - imagem de divulgação Team HRC

“Hoje foi uma etapa bem grande e comecei andando bastante forte. No segundo setor, acabei cometendo um pequeno erro, perdendo um pouco de tempo. No final, consegui voltar forte, recuperar tempo e abrir um pouco do Marc (Coma). Agora estamos no meio do rali, vamos disputar os três dias que têm pela frente. Espero continuar competitivo e ver o final como vai ficar”, declarou Paulo Gonçalves, que já está se preparando para a etapa maratona que será realizada nesta quinta-feira (28), com chegada em Diamantina (MG), onde os competidores não poderão receber auxílio mecânico externo.

Marc Coma é segundo na etapa mas lidera na geral

Marc Coma é segundo na etapa mas lidera na geral

“Mais um bom dia. Uma especial grande, dura e muito boa. Tentei andar o mais rápido possível e acho que o segundo lugar foi um bom resultado para hoje”, destacou o espanhol Marc Coma, campeão do Sertões em 2010 e atual líder do Mundial de Rally Cross Country da FIM.

Jean Azevedo também comentou sobre a etapa e sua semelhança com o Jalapão. “Foi uma etapa muito rápida, praticamente só reta, com piso de areia, diferente do que estávamos pegando até agora. Particularmente não achei muito prazerosa, uma etapa que mede mais moto do que piloto. Faz parte do rali, mas ainda prefiro etapas mais técnicas, mais travadas. Espero que amanhã comece essa característica. Foi um dia parecido com o Jalapão, lá também é plano, rápido, com piso de areia. Talvez lá a areia seja mais pesada, mas foi uma etapa bem parecida”, comparou o pentacampeão do Sertões.

Quinta Etapa: São Francisco (MG) / Diamantina (MG) – Maratona Nesta quinta-feira (28), os competidores do Rally dos Sertões disputam a “temida” etapa maratona. Ao final, eles não poderão receber auxílio mecânico externo, então todo o cuidado é pouco. Eles partem de São Francisco para Diamantina, em Minas Gerais, para um total de 645,44 km sendo 223,57 km de deslocamento inicial, 335,98 km de especial e 85,89 km no deslocamento final.

Como foi a 4ª etapa – 27/8
Percurso: Paracatu (MG) a São Francisco (MG)
Deslocamento Inicial: 135,24 km
Trecho Cronometrado: 363,85 km
Deslocamento Final: 86,21 km
Total: 585,30 km

Depois de um deslocamento inicial com 80 quilômetros de terra, a especial começou por estradas menores com muitas depressões, pedras e fazendas. Os competidores tiveram pela frente trechos de areia que lembram muito a região do Jalapão. O trajeto passou pela “Vereda da égua”, que inspirou Guimarães Rosa na obra Grandes Sertões Veredas. A prova seguiu por estradas mais rápidas, alternando piso duro, cascalho e areia. A etapa contou com três travessias de rios e dois pontos de abastecimento. No último trecho, a prova ficou mais rápida e sinuosa, seguindo assim até o fim da especial. O deslocamento final foi tranquilo até a travessia da balsa em São Francisco.

Resultados 4ª etapa – categoria motos
1º Paulo Gonçalves (POR) #1 – 4h24min02s
2º Marc Coma (ESP) #2 – 4h25min17s
3º Helder Rodrigues (POR) #4 – 4h30min51s
4º Jean Azevedo (BRA) #5 – 4h31min20s
5º Jordi Viladoms (ESP) #3 – 4h31min34s

Resultados Acumulados – categoria motos
1º Marc Coma (ESP) #2 – 9h43min55s
2º Paulo Gonçalves (POR) #1 +2min04s
3º Jean Azevedo (BRA) #5 +9min37s
4º Helder Rodrigues (POR) #4 +11min33s
5º Jordi Viladoms (ESP) #3 +14min20s

Classificação acumulada da 6ª a 20ª colocação: 6º Rubem Faria, 7º Sam Sunderland, 8º David Casteau, 9º Ike Klaumann, 10º Ramon Sacilotti, 11º Guilherme Cascaes, 12º Júlio Zavatti, 13º Álvaro Almeida, 14º Marco Pereira, 15º Guto Klaumann, 16º Guilherme Piva, 17º Leandro Silveira, 18º Ricardo Martins, 19º Danilo Gomes e 20º Enrique Guzman. A única mulher no Sertões 2014 é Moara Sacilotti, que ocupa a 31ª colocação.

Como será a 5ª etapa – 28/8
Percurso: São Francisco (MG) a Diamantina (MG) – MARATONA*
Deslocamento Inicial: 223,57 km
Trecho Cronometrado: 335,98 km
Deslocamento Final: 85,89 km
Total: 645,44 km

Esta será a maior etapa de 2014. O deslocamento inicial será longo e por asfalto, com um pequeno desvio de 15 km por terra, bem sinuoso e estreito. A etapa “Maratona” começa no início da especial. Logo após a largada haverá um trial de aproximadamente 5 km em uma serra com muitas erosões e pedras. Em seguida, a prova fica rápida com muito cascalho. Depois, passa por um longo trecho de reflorestamento bem sinuoso e com muita navegação. Logo após o abastecimento, o ritmo diminui com muitas trilhas que lembram a região da Canastra. O trajeto fica travado até a travessia do Rio Jequitinhonha. Deste trecho até o final, muitos mata-burros, lombas e estradas de fazenda. O deslocamento final será em zona de velocidade controlada (radar) até o parque fechado em Diamantina.

* – Na etapa MARATONA as equipes de apoio não podem realizar a manutenção dos veículos para encarar uma nova etapa no dia seguinte. O único autorizado a realizar modificações nas máquinas é somente o piloto que para isso tem em torno de 30 minutos para fazer qualquer reparo mínimo que precisar na moto. Isso dificulta muito a vida dos competidores.

Confira os pilotos inscritos na categoria Motos:

Pilotos inscritos - categoria motos

Pilotos inscritos - categoria motos

Roteiro do Rally dos Sertões 2014

Roteiro do Rally dos Sertões 2014

Roteiro do Rally dos Sertões 2014

Entre Goiânia e Belo Horizonte, o Sertões vai passar por mais cinco cidades. Três são sede do rali pela primeira vez: a goiana Catalão e as mineiras Paracatu e São Francisco. Completam o percurso, Caldas Novas (GO) e Diamantina (MG), que já receberam o Sertões em outras edições. São sete etapas até a chegada no dia 30 em Belo Horizonte e mais de 2,6 mil km percorridos. A prova conta com 197 competidores no total (incluindo carros, quads, UTVs e caminhões) e pilotos de seis países, além do Brasil: Chile, Espanha, França, Polônia, Portugal e Reino Unido. Nas categorias motos e quads, o Sertões também é válido pelo Mundial de Rally Cross Country da FIM (Federação Internacional de Motociclismo).

Para ver o resumo da primeira etapa:  clique aqui

Para ver o resumo da segunda etapa:  clique aqui

Para ver o resumo da terceira etapa:  clique aqui