Pedrosa fecha primeiro dia do Qatar como mais rápido

Pedrosa fecha primeiro dia do Qatar como mais rápido

Pedrosa fecha primeiro dia do Qatar como mais rápido

Pedrosa fecha primeiro dia do Qatar como mais rápido

O piloto da Repsol Honda concluiu o primeiro dos dois dias do Teste nocturno de MotoGP no Circuito Internacional de Losail com o melhor tempo neste domingo, batendo o companheiro de equipa Casey Stoner.

Os últimos preparativos da pré-época de 2011 do MotoGP começaram no Circuito Internacional de Losail neste domingo, com a categoria rainha a completar a primeira de duas noites de Teste na pista que vai receber a primeira jornada do Campeonato no próximo fim-de-semana.

Sob as luzes artificiais do traçado do deserto, Dani Pedrosa foi quem encontrou o melhor ritmo ao rodar em 1m56,271s, um esforço que o levou ao topo da tabela de tempos da primeira noite de trabalho que terminou às 23 horas locais. O piloto da Repsol Honda estava a procurar a melhora afinação para o GP do Qatar e também testou a nova suspensão, um programa de trabalho que parece ter corrido bem a avaliar pelo tempo assinado.

A apenas 0,143s de distância, em segundo, ficou o companheiro de equipa do espanhol, Casey Stoner, o piloto que tinha sido mais rápido nos anteriores Testes de Sepang. Stoner, como o companheiro de equipa e a maioria dos 17 pilotos de MotoGP, trabalhou na afinação de corrida e também na posição de pilotagem, garantindo uma marca de 1m56,414s no final da noite.

A completar um Top 3 totalmente Honda ficou Hiroshi Aoyama, da San Carlo Gresini Honda. O nipónico passou a primeira parte da sessão a avaliar as condições da pista e encontrou o ritmo relativamente cedo ao conseguir um registo de 1m56,444s à 30ª das 59 voltas que efectuou, ficando a apenas três centésimos de segundo de Stoner.

A 0,292s de Pedrosa ficou Ben Spies (1m56,563s). O piloto da Factory Yamaha Racing ficou em quarto, com o companheiro de equipa e Campeão do Mundo Jorge Lorenzo em quinto. O americano focou as energias na geometria do chassis e electrónica e vai efectuar um teste de pneus na segunda-feira. Lorenzo tentou melhorar a aderência traseira da sua M1 de fábrica e ficou a 0,411s de Pedrosa ao final da noite.

Colin Edwards fez um teste de pneus para coincidir com a hora da corrida, mais perto do final da noite, e o americano ficou a pouco menos de cinco décimos da frente com um tempo de 1m56,742s. O último piloto a rodar a baixo do segundo 47 foi Andrea Dovizioso, da Repsol Honda, com uma marca de 1m56,780s depois de ter trabalhado no mapeamento de electrónica e de ter tentado ultrapassar o problema a meio da curva que sentiu na última visita a Sepang.

Valentino Rossi e o seu companheiro de equipa na Ducati Team, Nicky Hayden, foram responsáveis pelas duas primeiras Ducati entre os dez primeiros neste primeiro dia de trabalho. A dupla rodou com duas motos, cada uma com afinações diferentes, para decidir ao final da noite qual a afinação base que vão usar. Hayden ficou a 0,866s de Pedrosa, enquanto Rossi saiu ileso de queda na Curva 9 depois de uma hora de trabalho para regressar à pista e assinar um tempo de 1m57,038s na 57ª e última volta que efectuou. O italiano ficou a 0,767s da frente, em oitavo. A equipa do transalpino já tinha colocado de parte o teste do chassis flex e os garfos Öhlins de 42mm ainda antes do início e tudo devido às respostas dadas pela equipa de Hayden.

Randy de Puniet teve final positivo depois de noite difícil aos comandos da GP11 da Pramac Racing. O francês sofreu duas quedas, mas escapou ileso e assinou um crono de 1m57,143s para completar o Top 10.

Marco Simoncelli (San Carlo Honda Gresini) foi o último a rodar a um segundo de Pedrosa com uma marca de 1m57,226s. Atrás do italiano ficaram Álvaro Bautista (Rizla Suzuki), que tinha planeado fazer simulações de corridas nos dois dias, e Héctor Barbera (Mapfre Aspar Team).

A adaptação de Loris Capiorssi à Pramac Racing Ducati continuou com o italiano a fechar a noite de trabalho em 14º, à frente do estreante Karel Abraham (Cardion AB Motoracing), também numa GP11 e a tentar encontrar o equilíbrio entre a frente a traseira da moto. O checo terminou com pouco mais de dois décimos de segundo de margem sobre o também estreante Cal Crutchlow (Monster Yamaha Tech 3), cujo objectivo era aprender a pista sob a iluminação artificial e aos comandos da sua M1. Toni Elías, da LCR Honda, completou a tabela de tempos com uma marca de 1m58,250s.