Petrobras pode reduzir preço da gasolina

A Petrobras poder  anunciar nos pr¢ximos dias uma redu‡Æo nos pre‡os dos principais combust¡veis- gasolina, ¢leo diesel e GLP, o g s de cozinha residencial.

Esta ‚ a expectativa de analistas do setor em razÆo da forte queda que vem ocorrendo nos pre‡os do petr¢leo no mercado internacional, desde o in¡cio da guerra no Iraque, aliada … redu‡Æo da cota‡Æo do d¢lar no pa¡s. O presidente Luiz In cio Lula da Silva estaria mantendo conversas freqentes sobre o assunto com o presidente da Petrobras, Jos‚ Eduardo Dutra, dizem fontes pr¢ximas … empresa. O temor ‚ que algum fato novo na guerra provoque uma disparada nos pre‡os.

Os pre‡os da gasolina vendida no Brasil estÆo cerca de 14% mais altos do que os praticados no golfo americano, segundo Adriano Pires Rodrigues, do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura (CBIE). J  o ¢leo diesel est  cerca de 38% mais caro no pa¡s. Adriano Pires lembra que nos dois primeiros meses do ano, antes do in¡cio do conflito, os pre‡os da Petrobras estiveram bastante defasados em rela‡Æo aos internacionais e mesmo assim, a estatal nÆo reajustou seus pre‡os.

No in¡cio de fevereiro, a gasolina vendida no Brasil chegou a ter uma defasagem de 20%, e o diesel, de 18%, em rela‡Æo aos pre‡os no mercado externo. Pelos c lculos de Adriano Pires, a estatal acumulou uma perda de US$ 1 bilhÆo nos dois primeiros meses do ano com a defasagem dos pre‡os. J  o GLP residencial est  cerca de 10% mais caro do que o produto no mercado internacional. O especialista Emerson Leite, do Cr‚dit Suisse First Boston, acha que a Petrobras nÆo deve reduzir seus pre‡os agora. “NÆo deve reduzir porque j  arcou com preju¡zos no ano passado e agora no in¡cio do ano tamb‚m” disse Leite.

Ontem os pre‡os do petr¢leo se mantiveram relativamente est veis. A expectativa de um fim r pido da guerra fez os pre‡os ca¡rem, mas o fato de a Organiza‡Æo dos Pa¡ses Exportadores de Petr¢leo (Opep) ter marcado uma reuniÆo para o dia 24, para tentar conter a desvaloriza‡Æo do barril, interrompeu a queda.

Os operadores temem novos cortes nas cotas de produ‡Æo dos pa¡ses do cartel. Em Londres, o barril do Brent (referˆncia internacional) subiu 0,90%, para US$ 24. Em Nova York, o cru leve americano subiu 0,14%, a US$ 28. No mˆs passado, os pre‡os do petr¢leo ca¡ram cerca de 30% nos mercados internacionais.

A Opep controla 40% do volume total de petr¢leo produzido no mundo. O cartel elevou a produ‡Æo pouco antes do in¡cio da guerra, para compensar poss¡veis cortes no fornecimento.