Foto: Ricardo S 

Pirata à vista

Foto: Ricardo S 

Foto: Ricardo S

Cuidado: o mercado foi invadido por uma mar‚ de pe‡as piratas, veja como se proteger, para nÆo cair na armadilha.

Nem mesmo os fabricantes conseguem identificar a olho nu. Foi preciso fazer uma an lise de material com muitos instrumentos de precisÆo para perceber que o pistÆo vendido como original Honda era uma falsifica‡Æo. A descoberta de uma pe‡a levou … investiga‡Æo que culminou com a triste not¡cia de que imensas quantidades de pe‡as falsas estÆo circulando no mercado. Como era previs¡vel, o alvo ‚ a Honda, mais especificamente a moto mais vendida do Brasil, a CG 125/150. Mas h  casos de falsifica‡Æo tamb‚m de pe‡as da Yamaha, velas NGK, correntes Vaz e pneus Pirelli.

A primeira orienta‡Æo ‚ desconfiar do pre‡o. “NÆo existe milagre – explica Abel Martins Gomes, coordenador de vendas de pe‡as da Honda – se um comando de v lvulas custa R$ 80 na concession ria nÆo tem como custar R$ 20 em uma oficina!”. Foi exatamente gra‡as a uma pe‡a muito barata que a Honda descobriu um verdadeiro com‚rcio clandestino. Pelo que foi apurado, a maioria das pe‡as vˆm da China na tradicional rota de contrabando. Aqui no Brasil elas sÆo embaladas e vendidas em oficinas por pre‡os tentadores.

E ‚ na embalagem que surge a segunda forma de identificar a pe‡a falsa. Num primeiro momento a falsifica‡Æo fica evidente pelo uso de caixas de papel de cor diferente. As pe‡as originais Honda sÆo vendidas em caixas brancas e as piratas sÆo cinza ou levemente amareladas. Mesmo que os piratas decidam usar caixas brancas, ainda tem forma de identificar: “Geralmente nossas pe‡as sÆo embaladas em pl sticos transparentes, enquanto as piratas sÆo vermelhas, amarelas azuis etc. S¢ precisa ficar atento porque algumas das nossas pe‡as recebem lubrifica‡Æo e o pl stico pode ficar num tom castanho”, explica Abel. Ainda que o pl stico da pirata seja transparente restam outras informa‡äes na embalagem.

Toda pe‡a, seja de qual f brica for, tem obrigatoriamente exibir na embalagem o CNPJ da empresa e o c¢digo da pe‡a. “At‚ esse cuidado os piratas j  descobriram e come‡aram a estampar n£meros falsos tanto da pe‡a quanto do CNPJ, al‚m do telefone do SAC!”. Portanto, uma das formas de identificar se a pe‡a ‚ verdadeira ou nÆo ‚ conferir esses dados na caixa. Os piratas geralmente usam um mesmo n£mero para identificar uma fam¡lia de pe‡as. Para conferir, basta pedir o cat logo de pe‡as ao vendedor e buscar a descri‡Æo correspondente ao n£mero. Se o c¢digo for de pistÆo, mas na tabela corresponde a uma manopla, saia correndo direto pra pol¡cia! Se nÆo tiver cat logo nÆo tem problema, ligue para o n£mero do SAC que aparece na embalagem. Se algu‚m atender com um “buenos d¡as” pode correr!

Piratas em tudo
Outras empresas estÆo sofrendo a mesma pirataria. A Vaz sofreu com pe‡as falsas e iniciou uma grande campanha para informar aos consumidores sobre os riscos de comprar um produto pirateado. A solu‡Æo encontrada foi radical: estampar um c¢digo de barras nas chapas dos elos das correntes. Nem mesmo a embalagem permitia uma identifica‡Æo pois a c¢pia era muito bem feita. Recentemente a Pol¡cia Federal de SÆo Paulo descobriu uma gr fica no interior do Estado que imprimia embalagens para produtos piratas. A c¢pia era tÆo perfeita que nem mesmo os fabricantes conseguiram identificar qual era a verdadeira.

As marcas mais conhecidas sÆo naturalmente as mais copiadas. A f brica de velas NGK tamb‚m teve seus produtos pirateados. Nem a Pirelli escapou. Gra‡as a uma determina‡Æo legal, alguns produtos perdem o direito de exclusividade de desenho ap¢s 20 ou 30 anos de comercializa‡Æo. Quando “venceu a patente” do Mandrake, produto que equipa a maioria das 125 nacionais, algumas f bricas copiaram o desenho e lotaram o mercado de v rios Mandrake “covers”. Como sempre, o pa¡s de onde parte a maioria das c¢pias ‚ a China.

“A melhor forma de se defender contra o ataque pirata ‚ comprar em concession rias da marca”, defende Abel. Parece ¢bvio, mas para aqueles que nÆo tˆm acesso a uma concession ria deve observar bem a pe‡a no balcÆo antes de comprar. Quando estiver fazendo o or‡amento de um servi‡o, pe‡a ao atendente para ver o componente em suas mÆos. Anote o c¢digo da pe‡a ou o telefone do SAC e v  conferir se est  tudo OK.

Com nosso mercado de motos na casa de 1 milhÆo de unidades/ano, nÆo ‚ estranho que uma hora a pirataria chegaria por aqui. A Yamaha tamb‚m teve algumas pe‡as de suas motos mais populares falsificadas e isso requer muito crit‚rio na hora de comprar. Uma economia de R$ 20 pode significar uma despesa de R$ 200.

O primeiro caso de pirataria notado pela Honda foi de uma vareta de acionamento da v lvula da CG. Uma esfera soltou-se dentro do motor e moeu tudo. Quando foram periciar o motor foi descoberta a fraude. Mas o dono argumentava que tinha comprado a pe‡a em concession ria. Pura mentira, pois toda compra em concession ria gera um documento que fica arquivado. Revelada a fraude, o usu rio admitiu que comprou em uma loja, que por sua vez alegou comprar da concession ria. O velho jogo de empurra!

Nunca ‚ de menos desconfiar. Se o or‡amento foi muito abaixo do esperado, abra o olho, porque o capitÆo Gancho pode estar por perto!