Pneus, preconceito, manual, XT250, qual moto e Yes

Tite, lendo suas mat‚rias percebi que nÆo recomenda a altera‡Æo dos pneus de moto nenhuma, em virtude de estabilidade (sendo pura ilusÆo), mas jah faz um certo tempo alterei as medidas ma minha GS500 2003 para dianteiro 110/80-17 MT75 e traseiro 150-70-17 Macadan 100X. Uma moto como a GS nÆo merece um pneu da medida da twister. A medida de f brica ‚ menor que da CB 500. Em resumo os pneus j  estÆo quase na hora da troca, recomenda manter ou retorno para as medidas antigas 100/70-17 e 130/70-17.
Rafael – Cordeiro-RJ
Rafa, veja bem, qdo eu nÆo recomendo a troca de pneus ‚ porque nÆo tem vantagens t‚cnicas. J  pilotei a GS 500 na pista de Interlagos e na pista da Pirelli e os pneus funcionaram muito bem. Mas se vc quiser trocar de pneus por razäes est‚ticas, lembre que as medidas alteram o comportamento da moto.

A moto e o preconceito.
Sempre sonhei em ter uma moto, os problemas que surgiam adiavam meu desejo. Passei dos 40 e este ano ou comprava ou chorava o resto da vida. Em maio/05 adquiri uma Strada/2001 bem conservada e ano que vem a Tornado nÆo me escapa. Tenho aprendido muita coisa nestes 06 meses em cima da moto e aqui no Motonline com suas dicas e orienta‡äes p/os leitores; ali s, j  visitava o site antes de comprar a moto. Ouvi muito terrorismo quando disse que ia comprar:” moto ‚ perigosa; vc vai ‚ morrer mais cedo; encomende logo o caixÆo!”. Vc est  certo quando diz “motos nÆo sÆo perigosas, mas a forma com que sÆo conduzidas ‚ que traz perigo”; eu acrescentaria: perigosas sÆo as pessoas atr s do volante de um autom¢vel, um “nibus ou caminhÆo, que nÆo respeitam o outro motorista, um pedestre, uma bicicleta, uma moto, um sinal de trƒnsito.  curioso como as pessoas se transformam atr s do volante de um carro: no dia-a-dia sÆo profissionais bem sucedidos, um colega de trabalho exemplar, um vizinho bacana, exemplos de cidadania, alguns tem a dif¡cil tarefa de salvar vidas, educar crian‡as; mas, atr s do volante se transformam em seres arrogantes, est£pidos, com pressa de chegar em lugar algum. Esquecem toda a educa‡Æo que tiveram e libertam um instinto criminoso capaz de atropelar um idoso por que estava atravessando lento a rua. Quando as pessoas forem educadas no trƒnsito como sÆo no trato di rio, quem sabe este preconceito muda?! ài v‚i, esses caras que escrevem metendo o pau em vc sem sei identificar, t  c/cara de montadora mordida com as cr¡ticas e bota um “laranja” pra atirar pedras tentando desmoralizar seu trabalho. Vai uma sugestÆo: nÆo responda e mande o e-mail de volta e nÆo bote essas babaquices pra gente ler!
Henrique – Salvador,BA
Boa id‚ia, Henrique, vou ignorar estes ignorantes!

Manual
Mensagem:ola tite, como fa‡o para conseguir um manual da xt 660, existe para download
leandro- c goytacazes, rj
pereiral832@aol.com
Eu sei que existe um site que publica v rios manuais em PDF, mas nÆo sei o endere‡o. Se algu‚m souber avise-nos.

XT 250
Dr Tite, entendo muito de carros e nada de motos. Recentemente ando me apaixonando pelas duas rodas – h  2 meses estou rodando numa Twister e estou gostando de quase tudo, exceto da posi‡Æo de pilotagem (como escreveu um gringo, “posi‡Æo pra pilotar r pido e chegar logo ao quiroprata”). De olho numa moto que permita posi‡Æo mais ereta, j  estou … espera da XT 250. Pergunto: ‚ poss¡vel que duas motos com o mesmo motor (Fazer e XT) possam ter desempenhos significativamente diferentes?
Igor – Bras¡lia
Sim, Igor, veja o caso da Tornado e Twister que tˆm o mesmo motor, mas desempenhos diferentes.

Qual?
Estou pra pegar uma carta de cr‚dito de uma Tornado 250, no entanto estou querendo uma moto maior, que nÆo seja on/off (nÆo gosto do estilo). O que vocˆ sugere numa faixa de pre‡o de at‚ R$ 13.000, com at‚ 3 anos? GS 500 ou CB 500? E quanto …s custom?
Arthur – Belo Horizonte (MG)
NÆo ‚ uma escolha f cil, porque custom e street sÆo diametralmente opostas: sÆo “incompar veis”. Entre a CB 500 e GS 500 recomendo a Honda por ser mais confort vel.

Yes
Caro Tite, desde q comprei minha YES (primeira motoca) procurava por um site bom sobre o assunto. Minha busca finalmente acabou qdo conheci o MOTONLINE. Ali s, deixa eu falar logo que gostei demais do seu estilo de escrever, divertido, por‚m s‚rio. Mas chega de enrola‡Æo, o que eu quero saber ‚ o seguinte, vocˆ acha que a Yes (que tem condi‡äes ‚ ¢bvio) vai conseguir superar as vendas da YBR no curto prazo (uns 2 anos)?
Halysson – Vila Velha ES
Haly, lamento te dizer que nÆo, de jeito nenhum, mas nÆo trata do produto e sim da diferen‡a na produ‡Æo e comercializa‡Æo. A Yamaha fabrica sua YBR em Manaus, enquanto a J.Toledo monta a Yes, com pe‡as importadas. Al‚m disso, a Yamaha tem mais de 400 concession rias pelo Brasil, enquanto a J.Toledo informa ter 180. Aproveitando a deixa, recentemente perguntaram sobre a troca de ¢leo da Yes. Aten‡Æo: apenas a PRIMEIRA troca deve ser feita aos 1.000 km (a exemplo de todas as outras motos), as demais devem ser feitas a cada 3.000 km. Preste aten‡Æo ao ler o manual porque l  est  especificado a troca aos 1.000 s¢ na primeira vez.