Foto: André Garcia

Pneus – terra ou asfalto, quebrando paradigmas, Não é só combustível de má qualidade

Foto: André Garcia

Foto: André Garcia

Boa tarde Bitenca, tudo certo?Aqui é o Renan de Americana/SP, primeiramente parabens pela ótima coluna, aprendo cada dia mais com suas respostas. Atualmente tenho minha CBX 250 Twister, mas como tenho meus “míseros” 1,92 de altura, enfrento alguns problemas, leia-se dores nas costas, então estou em busca da “Trail” ideal considerando apenas motos 0km, ou seja, quero uma companheira por um bom tempo. Digo Trail entre aspas por tambem considerar na lista a Lander X Super Motard que a Yamaha apelidou de conceito X. A grande questão é que meu uso é quase que totalmente urbano e as trails são equipadas com pneus “mistos”, ou seja, com meu uso os pneus não vão acabar “gastando” mais rápido? Em minha lista estão as nova XRE da Honda e as Lander (Só lembrando que não quero indicação de motos, risos). Em alguns testes que pude ler, muitos falam do apelo mais “urbano” da XRE, isto procede(tambem por utilizar aquele paralama mais proximo do pneu)? E os pneus dela será que também gastam maido que o normal em um ambiente urbano? A Lander X, seus pneus durariam mais na cidade, mas será que ela não acaba sendo muito mais baixa que sua irmã trail? Ou a diferença é minima? Existe algum pneu que eu possa colocar(após os originais se gastarem, é claro) para que durem mais na cidade, mas sem ficar irregular, ou seja, mudar os diâmetros ou sei lá, não entendo muito disso. Ou estou me precipidando a respeito dos pneus se desgastarem muito rápido? risos Agradeço desde já Um grande abraço! Renan, 22, Americana, SP.

R: Renan, a única diferença é a maior competência dos pneus street da Lander X para uso urbano. Podem demorar mais a gastar mas não creio que será por muito não. Há mais borracha nos pneus on-off e no fim das contas deve dar elas por elas. O modelo X tem a frente rebaixada por causa da roda menor e isso confere mais rapidez nas mudanças de direção e um freio mais potente, dado que o diâmetro final da roda é menor e o resultado disso é o mesmo que colocar um disco maior, fica mais forte e com uma modulação mais arisca, bom para uso urbano ou estradas mas pode ser perigoso na terra, se o piloto não estiver acostumado.
A XRE de fato tem essa vocação mais urbana do que a antiga Tornado e sua ciclística se adapta bem melhor a esse uso. Os pneus mistos vão dar quase o mesmo resultado que o street puro nessa moto porque sua suspensão, ergonomia e geometria do chassi se apropria a esse uso mais urbano e em rodovias.
Depois de se desgastarem, valendo para quaisquer dos dois modelos de pneu, o ideal é manter o par da mesma marca e modelo e então como o traseiro costuma gastar primeiro nessas motos, a troca de marca ou tipo de pneu deve ser feita quando os dois estiverem prontos para serem substituídos para maior economia, ou seja. Use dois na traseira para um na dianteira. Depois disso faça a troca por um par da mesma medida do original e da marca e modelo da sua escolha, compatível com a moto e as medidas das rodas. Boa sorte,

Olá voces viram a nova yamaha YZ450F ,não sei se ficou boa mas o titulo de moto off road mais feia do mundo ja está no papo abraço para todos e até sabado no mundial em canélinha. Fábio, 34, Curitibanos, SC.

R: Moto feia? – Sem comentários.

Desculpeme o modelo não é feio mas contundente pois põe abaixo padrões nunca vistos em motos japonesas, com certeza esta nova yzf 450 deve ser muito mais controlável que os modelos anteriores e demais concorrentes, e seu preço nos EUA que o diz pois US$8000,00 preço de KTM parece-me que a YAMAHA esta se reposicionando no mercado americano? oque vc acha.

R: Pois é Fabio, os padrões estão cada vez mais sendo quebrados. Veja o que a BMW fez com a GS450 X. Uma moto com desenho discreto mas com tecnologia literalmente virado do avesso (motor vira ao contrário). Husaberg, Aprilia com a V2, etc. Acho que essa Yamaha segue o mesmo padrão de grandes mudanças. Tradição da marca que inventou a moto on-off road, acho que será um sucesso, Vamos ver. Abraços,

Caro Binteca, tdo blza? Meu caro, lendo as cartas dos leitores, alguns tem se queixado de broblemas de suas pequenas “injetadas” falharem. Com a evolucao da tecnologia e o numero de “injetadas” crescendo a cada dia no mercado brasileiro, agora, mais do que nunca, nós motociclitas iremos sentir mais o peso dos combustiveis de má qualidade. E como ficam os motociclistas dos nossos mais distantes interiores que nao tem pra onde recorrer a nao ser a continuar abastecendo com esse tipo de combustivel ateh prejudicar sua motocicleta? Sera que nós algum dia vms todos exigir um maior controle de qualidade por parte do governo? afinal, mais de 50% do valor da gasolina é de impostos. Isaac, 28, Manaus, AM

R: Pois é Isaac, mas não é só a qualidade da gasolina que está nessa questão. As motos injetadas estão há pouco tempo no mercado e sua qualidade leva um tempo até se estabilizar no patamar desejado pelo consumidor. As fábricas se empenham e são várias as motos em garantia das marcas mais vendidas sendo revisadas nas autorizadas por causa de problemas na injeção.
Abraços,