Ponte Rio-Niterói terá cabine especial para motos

Ponte Rio-Niterói terá cabine especial para motos

Ponte Rio-Niterói terá cabine especial para motos

Os conflitos diários entre motociclistas e motoristas na hora de pagar o pedágio na Ponte Rio-Niterói vão acabar terça-feira: a concessionária Ponte SA vai inaugurar a primeira cabine flex do país. Nela poderão passar, ao mesmo tempo, veículos leves e motocicletas, para as quais foi construída uma cabine especial.

Segundo o presidente da concessionária, Márcio Roberto Silva, o fluxo de motos na ponte cresce 15% ao ano, enquanto o de carros sobe apenas 1%.

A cabine flex vai acabar com as duas cabines preferenciais para motocicletas, por onde os motociclistas podiam passar na frente dos carros. A preferência provocava transtornos diários e até agressões de ambos os lados. O espaço destinado à passagem das motocicletas é delimitado por cones especiais e possui piso antiderrapante para evitar quedas.

— A motocicleta é a categoria de veículos cujo movimento mais cresce, disparado, na ponte. E a tendência é que este percentual cresça com a cabine flex. O trânsito pesado e os preços acessíveis estão motivando as pessoas a trocar o carro pela motocicleta. A cabine flex vai acabar com os problemas que tínhamos na praça de pedágio — disse o presidente da Ponte S/A.

Ponte Rio-Niterói terá cabine especial para motosSegundo o gestor operacional da concessionária, Virgílio Leocádio, em 2008 passaram 230 motocicletas (35% são de motoboys) pela ponte, volume que corresponde a 4% do movimento total de veículos. As motos, contudo, estão envolvidas em 15% dos acidentes, que ocorrem em geral com veículos de baixa cilindrada e por imprudência do condutor (85%das causas de acidentes):

— Com a cabine flex, os motociclistas vão entrar num corredor sinalizado no garrafão para acessar a cabine, que está instalada no box 6 para facilitar a saída dos motociclistas para qualquer pista de saída da ponte — explicou Leocádio, acrescentando que o projeto da cabine flex foi feito depois de consultas aos dirigentes da Associação dos Motociclistas do Estado do Rio (AMO-RJ) e da Federação dos Motoclubes do Estado do Rio (FMCRJ).

O Diretor da Ponte S/A., Wagner Gudson Marques, informou que está sendo estudado por uma empresa de São Paulo um passe eletrônico semelhante ao usado nos carros) para que o motociclista não tenha que usar dinheiro para pagar o pedágio.

— Ao contrário dos motoristas dos carros, o motociclista precisa de uma condição especial nas praças de pedágio por dirigir um veículo frágil. Ele demora para pegar o dinheiro do bolso, corre o risco de queda se houver óleo na pista e as motos de alta cilindrada fervem se ficarem paradas muito tempo — explicou o presidente da AMO-RJ, Aloísio Braz.


A partir de terça-feira, dia 26/05, a cabine 6 da praça de pedágio da Ponte Rio-Niterói será compartilhada por veículos leves e motocicletas. A concessionária Ponte S.A. inaugura a primeira cabine flex do país, onde o motociclista poderá pagar a tarifa de pedágio sem ter que disputar espaço com os carros.

O piso junto a cabine onde vão parar as motos foi revestido de pavimentação antiderrapante para evitar quedas. No garrafão de acesso haverá sinalização especial para acesso às motos à cabine 6. O movimento de motos na ponte aumenta 15% ao ano, ao passo que o de carros cresce 1%. Em 2008, passaram 230 mil motos pela ponte.