Foto: Gráfico de potência de uma moto - Bitenca

Potência nominal em motos ? – De Biz nas estradas – Regulando embreagem da Biz –

Foto: Gráfico de potência de uma moto - Bitenca

Foto: Gráfico de potência de uma moto - Bitenca

Olá eu estou para trocar de moto e estou vendo entre a Kasinski Comet gt 250 ou a Kawazaki Ninja 250 R. Olhando no site da Kasisnki me deparo com os dados :
Pot Nominal 29,2 CV
Pot Máxima 32,1 CV
Qual seria o valor correto e essa redução se deve ao promot 3? Se eu instalar um escapamento sem catalisador mais filtro chegaria aos 32 CV e também teria que remapear a injeção ou a sonda lambada vai informar a ECU que a mistura é pobre e corrigirá sozinha ou será melhor pular para kawazaki 33cv Obrigado
Ricardo, 24, Itacoaratí, SP.

Ricardo,
No mundo da eletrônica é comum citarem potência nominal e potência máxima. Isso representa o quanto o equipamento (Motor elétrico, amplificador ou alto falante, por exemplo) é capaz de reproduzir. Num alto falante, a potência dissipada em energia elétrica não é exatamente a mesma reproduzida em energia acústica pois há perdas inerentes. O termo “Potência nominal” significa o quanto o equipamento é capaz de reproduzir sem que haja qualquer dano interno ou falha na qualidade da reprodução. Pode-se usar os termos em motores elétricos também, da mesma forma. O motor “aceita” um determinado valor de potência elétrica sem que haja dano interno nele.
No alto falante, a potência máxima, indica o máximo de potência dissipada em pico. Um instante em que a maior quantidade de energia é dissipada pelo equipamento.
Em motores de combustão interna em ciclo Otto, essa terminiologia não se aplica. Não há entrada de energia no motor, mas sim um potencial energético fixo do combustível em questão. Pode-se representar um fator de eficiência, que significa a capacidade que o motor tem de aproveitar a energia disponível no combustível. Outro termo mais usado em motores a combustão seria a “potência específica”. Ela representa a quantidade de potência que um dado motor produz em relação ao volume de mistura deslocada, em HP por cm3 por exemplo. Existe ainda um outro, mais representativo do quanto “anda” uma moto, nos termos de HP por Kg do veículo.
Esse valor que a Kasinski divulga não faz sentido, pelo exposto acima.
Na aplicação dos dispositivos de redução dos gases poluentes há uma perda significativa do fator de potência específica porque normalmente o motor perde eficiência. No caso das CB300 por exemplo, observa-se uma performance muito próxima da Twister, que não conta com o catalisador. Essa parece ser a razão pela qual a Honda optou pelo aumento da cilindrada, para manter o mesmo resultado obtido naquele motor, independentemente do uso da injeção, que por si só não aumenta a potência, apenas melhora a eficiência média do motor pois ela pode cortar o fornecimento de combustível quando ele não é necessário (em descidas, por exemplo).
Em todo caso, o escapamento sem catalisador e a instalação de um filtro menos restritivo faria qualquer motor aumentar a potência de alguma forma. No caso das injeções que contam com sensor de oxigênio (sonda lambda), a compensação na mistura é automática até certo ponto mas um remapeamento produz melhores resultados.
Abraços.


Olá, sou assiduo leitor de motonline, parabéns pelo site, gostaria de que me ajudassem numa duvida. Atualmente tenho uma honda Biz a qual uso para trajeto casa/trabalho, o que é necessario para que eu consiga efetuar uma viagem rapida ate Salto de Pirapora, em torno de 150km com ela? alguma dica de seguranca mais a fundo ou é so andar a 80 e boa viagem ? abcs Marcello, 40, Hortolandia, SP.

Foto: Honda Biz 125  - Foto Divulgação

Foto: Honda Biz 125 - Foto Divulgação

R: Marcello,
Na verdade é só andar a 80 Km/h e boa viagem mas algumas dicas podem lhe ajudar.
Evite ficar na frente de caminhões e carretas mais velozes. Dê passagem, indo ao acostamento se necessário. Às vezes os motoristas não têm muita paciência com motos pequenas nas estradas. Fique atento.
Evite trafegar à noite e com chuva.
Troque o óleo se estiver quase na hora (adiante a troca um pouco se puder) e verifique as condições gerais da moto; filtro de ar, freios, relação, pneus e sinalização. Boa viagem.


Bitenca me da uma força… fiz a regulagem da embreagem na biz 125 e o pedal do câmbio ficou leve e a embreagem baixa, me da uma dica para acertar a regulagem… obrigado!

R: Clenilson,
Na carcaça direita do seu motor existe uma porca com um parafuso com fenda no centro. Esse é o parafuso de ajuste da sua embreagem.
Para realizar o ajuste, desligue o motor, afrouxe a contraporca e segurando-a com a ferramenta gire o parafuso de fenda uma volta para o sentido anti-horário. Depois, gire-o lentamente no sentido horário até sentir uma leve resistência. A partir desse ponto, gire novamente no sentido anti-horário apenas 1/8 de volta (uns 30°), o suficiente para ter uma pequena folga.
Com a chave de fenda segurando o parafuso central aperte a contraporca no torque especificado.
A alavanca de câmbio deve desengatar a embreagem quando a extremidade do pedal de câmbio se deslocar entre 14 e 18 mm.
Após esse ajuste, verifique o funcionamento da embreagem. Se a regulagem não ficar boa, mande verificar numa autorizada.
Abraços,