Projeto pedalando no teto do mundo: uma experiência jamais vivida

Santo Feltrin Neto terminou o quarto dia de sua expedi‡Æo e j  pedalou cerca de 500 quil“metros, 200 a mais que o previsto

O plano era que, no segundo dia do Projeto Pedalando no Teto do Mundo Santo Feltrin Neto tivesse que percorrer 56 quil“metros. De Shigatse (Tibet) ele conta que, “est vamos seguindo de Kamba La Pass para Karo Pass, mas a defesa civil chinesa fechou o caminho por causa de um deslizamento e mandou que volt ssemos”.

“J  t¡nhamos subido uma serra de 28 quil“metros, est vamos a quase 5.000 metros de altitude e em seguida descemos por oito quil“metros. Quando acabamos de descer, fomos avisados de que a estrada estava fechada e t¡nhamos que retornar!!!! Subimos os oito quil“metros que t¡nhamos descido, descemos o outro lado da serra e fomos buscar outra alternativa de caminho para Karo Pass que est  a 4.200 metros de altitude. O previsto do dia eram 56 quil“metros… No fim t¡nhamos pedalado 130 quil“metros quando conseguimos montar acampamento”, explicou o brasileiro.

“No dia seguinte foram mais 115 quil“metros para chegar a Karo Pass. Est vamos mortos quando montamos nosso acampamento e dormimos. S¢ que l  pelas 10h30 da noite, o ex‚rcito chinˆs nos acordou e mandou que desmont ssemos tudo e f“ssemos embora! Ali era uma  rea militar. Foi uma confusÆo….Estava muito frio, ventando muito, est vamos super cansados e os militares nÆo queriam nem saber, praticamente chutaram a gente para fora do local.

Tivemos que pedalar mais uns 12 a 14 quil“metros para poder montar tudo de novo. Uma situa‡Æo que eu jamais esperei viver”, continua Santo.
Finalmente a expedi‡Æo conseguiu fazer o Karo Pass e seguiu para Gyantse. E de l  para Shigatse. Para Santo nÆo foi um dia f cil porque “pegamos uma estrada e foi muito mon¢tono com muito vento contra, muito cansativo. NÆo ‚ f cil pedalar a esta altitude e quatro venezuelanos desistiram e voltaram para casa. Agora estamos em nove, mas o inglˆs est  com suspeita de pneumonia e deve ir embora tamb‚m”.

“Eu estou muito bem, s¢ um pouco resfriado. Mas, apesar do frio que varia de -2§C a 10§C no m ximo, tem feito sol. Isso ajuda bastante. NÆo tenho dores musculares; s¢ hoje que a virilha ficou um pouco machucada, por‚m estou cuidando para que nÆo aumente o problema”.
“AmanhÆ (19) vamos para o Monast‚rio de Giathung onde acamparemos. SerÆo 75 quil“metros de terra, mas minha bicicleta desenvolve muito mais na terra do que no asfalto e eu prefiro pedalar na terra. Ser  outro dia pesado, mas estou me divertindo muito!”, finalizou.

O Projeto Pedalando no Teto do Mundo ter  cerca de 1.300 quil“metros, de Lhasa (Tibet) at‚ Kathmandu (Nepal) e dura‡Æo de 16 dias. A expedi‡Æo, organizada pela Makalu Adventures, do Nepal era composta por 14 ciclistas; Santo ‚ o £nico brasileiro.