Qualidade e segurança - Copy

Qualidade e segurança

Quem conhece e gosta de mecânica tem a mania de olhar o alinhamento das rodas das bicicletas e motos. Bicicleta desalinhada é quase sempre sinal de produto de baixa qualidade. Moto desalinhada é sinal de descuido ou insensibilidade do motociclista. Aconteceu um acidente com um motociclista exatamente na minha frente que me impressionou demais. A moto estava claramente desalinhada e na hora que ele freou a moto simplesmente saiu da trajetória reta. O motociclista tentou corrigir, mas a roda traseira levou a moto para a direita e chapou a traseira de um carro. Os motoboys que vinham atrás e pararam para ajudar, acabaram dando uma bronca no motociclista acidentado e confortando o motorista.
Bicicleta com roda ou rodas desalinhadas normalmente é sinal de baixíssima qualidade. O desalinhamento pode acontecer no garfo ou na traseira, o que a bem da verdade nas baratinhas acontece com freqüência na bicicleta inteira. Não espere precisão por baixo preço. A bicicleta parece bonitinha, mas vem torta de fábrica. Prazer só na hora da compra, com os olhos, mas depois…, na hora que sair pedalando… Dançou! Segurança? Como?  Garantia? O que?  Neste preço baratinho?

Quem já teve uma destas bicicletas bem baratinhas encontradas em supermercados, magazines ou bicicletarias de baixa qualidade e honestidade duvidosa, sabe que em um espaço de tempo muito curto será necessário trocar várias peças, como pedais, aros, freios, selim… Há três responsáveis pelo problema: a indústria, quem vende a bicicleta para o público, e principalmente quem compra. O comprador de bicicletas no Brasil considera que a bicicleta está mais para brinquedo do que veículo e não sabe ou não quer reclamar. Isto é uma besteira sem tamanho. Bicicleta é, por lei, o Código Brasileiro de Trânsito, um veículo, e como tal tem que ter qualidade para garantir a segurança de seu condutor.

Quão ruim estas bicicletas baratinhas? Para se ter idéia, vários técnicos de trânsito e mesmo pessoal do setor bicicletas, dizem em conversas informais que algo em torno de uns 35% das mortes envolvendo ciclistas está relacionado à falha mecânica da bicicleta, o que é uma barbaridade.

Metade do mercado brasileiro de bicicletas é informal. Em outras palavras: metade do que circula ai não tem o menor controle de qualidade ou procedência. Há muitos fabricantes que sequer tem CNPJ. Mais de 2 milhões e meio de bicicletas / ano nesta situação. Inclui ai as montadas, das baratinhas e ruins, até as mais sofisticadas com preço para leigo achar que vale a pena.

Os passos para ter uma bicicleta de qualidade são simples:
• teste bicicletas de amigos que sejam da sua altura
• ir a várias bicicletarias sérias
• há uma bicicleta própria para sua altura e uso
• bicicletarias sérias permitem pequenos testes. Teste e compare. Só depois escolha
• a bicicletaria deve ser responsável por entregar a bicicleta montada e regulada
• peça para a bicicletaria ajustar a bicicleta para seu corpo
• se for o caso, negocie a troca do selim antes de sair da bicicletaria

Não é necessário comprar a bicicleta mais cara. Aliás, sou contra, não recomendo. A sensatez está em comprar uma bicicleta para seu nível de habilidade. Autocrítica ai faz um bem… Hoje há uma gama muito grande de modelos para amadores, daqueles que se transportam aos que querem manter a forma – com segurança.

Obs: Para facilitar a discussão sobre esse assunto criamos um espaço no final da página e no fórum para você inserir seus comentários.