Foto: José Hélio, piloto de rali patrocinado pela Honda

Rally Dakar anuncia roteiro e mudanças no regulamento para motos

Foto: José Hélio, piloto de rali patrocinado pela Honda

Foto: José Hélio, piloto de rali patrocinado pela Honda

José Hélio, melhor piloto das Américas na edição 2009, aprovou alterações, que incluem a limitação de motos de até 450cc para pilotos profissionais já a partir do ano que vem

A organização do Rally Dakar anunciou nesta quarta-feira (3) as cidades que fazem parte do percurso da edição 2010, que será realizada novamente na Argentina e no Chile entre os dias 1º e 17 de janeiro. Além disso, o regulamento sofreu alterações, como a limitação de motos de até 450cc para todos os pilotos profissionais da categoria. Os amadores ainda poderão utilizar motocicletas de 660cc na próxima edição, mas em 2011 também terão que se adaptar à nova regra.

Para o tetracampeão do Rally dos Sertões e melhor piloto das Américas na disputa do Dakar 2009 (12º lugar), José Hélio, esta resolução pode ser o início de uma equiparação entre os concorrentes. Ele utiliza a motocicleta Honda CRF 450X nas últimas temporadas. “Acho importante que os competidores tenham, cada vez mais, condições parecidas para disputar a prova. É o início de uma mudança”, explicou.

Wilson Yasuda, gerente de competições da Honda do Brasil, concordou com o piloto. “É algo muito interessante, pois irá equilibrar o nível técnico da prova e valorizar ainda mais a pilotagem – e não apenas a potência da motocicleta. Desta forma, acredito que todas as fábricas irão investir ainda mais nos mode los de 450cc”, explicou.

José Hélio aproveitou para sugerir outra alteração no regulamento. “O número de motores poderia ser limitado. Há pilotos que trocam de motor diariamente, o que certamente é uma grande vantagem para as equipes que possuem altíssimos investimentos”, disse.

Para o competidor, os adversários que utilizaram motocicletas de 600cc nas edições anteriores não sofrerão dificuldades de adaptação. “Todos utilizam motos de menores cilindradas para treinar e fazer outras provas. Para quem utiliza motos maiores, pegar uma menor é mais fácil.”

Os novos regulamentos contribuirão para colocar os pilotos com mais talento à frente. Na categoria carros, o aumento do ar no flange para veículos a gasolina dá aos melhores amadores a possibilidade de competir com a tecnologia d iesel que teve resultados eficientes nos últimos anos.

Percurso – A prova de 2010 contará com 8600 quilômetros, entre eles 5200 de especiais (trechos cronometrados). A competição fará parte das comemorações do bicentenário da Argentina e do Chile. O percurso de 2010 passará pelas cidades argentinas de Buenos Aires, Córdoba, La Rioja, Fiambalá, San Juan, San Rafael e Santa Rosa, além dos municípios chilenos de Copiapó, Iquique, La Serena e Santiago.

Os competidores deverão fazer grande parte do percurso na região do deserto do Atacama. Depois de passar os Andes, a etapa do rali pelo Chile estará centrada em um amplo descobrimento do Deserto do Atacama, com cinco etapas de areia praticamente sem ligações em uma viagem a caminho da cidade de Iquique. A volta para a capital argentina permitirá desfrutar da diversidade de montanhas e territórios do continente. Neste terceiro ato, os terrenos representarão a última prova de resistência para pilotos e veículos.

O prazo de inscrição e trâmite de documentação começou em 15 de maio e se estenderá até o final do mês de julho. A equipe do Dakar deseja manter as tarifas no mesmo nível que 2008 e 2009, apesar das conexões marítimas serem muito mais caras para a organização.

Programação – Rally Dakar 2010
Até 15 de julho de 2009 – Inscrições
3 de junho – Apresentação do percurso (etapas e distâncias)
Final de novembro de 2009 – Transporte marítimo dos veículos europeus para a Argentina
30 e 31 de dezembro de 2009 – Vistorias técnicas e secretaria de prova
De 1º a 17 de janeiro de 2010 – Realização do Rally Dakar 2010
17 de janeiro de 2010 – Premiação em Buenos Aires, Argentina