Participar de um rali como o Sertões exige grande preparo físico e psicológico - foto: André Chaco

Rally dos Sertões exige muito preparo dos pilotos

Sertoes_Cabeca_01

Tá pensando que para encarar para um desafio como o Rally dos Sertões é só subir na moto e acelerar? Ledo engano. A preparação para um evento dessa magnitude começa até um ano antes, com o piloto passando por severos programas de condicionamento físico e psicológico. Serão 3.212 quilômetros e para isso os pilotos têm que ter resistência de maratonista, agilidade de ginasta e fôlego de nadador. Se o objetivo for brigar pelo pódio, essas qualidades precisam ser ainda mais apuradas.

Os pilotos da Equipe Honda de Rally, Jean Azevedo, Gregorio Caselani e Tunico Maciel, sabem disso e vivenciam uma rotina espartana antes da largada, marcada para o dia 3 de setembro, em Goiânia (GO) e chegada dia 10 em Palmas (TO).

Participar de um rali como o Sertões exige grande preparo físico e psicológico - foto: André Chaco

Participar de um rali como o Sertões exige grande preparo físico e psicológico – foto: André Chaco

Jean Azevedo, o maior vencedor entre os pilotos de moto, com seis títulos, chega a treinar oito horas por dia. “Eu corro, nado e ando de bicicleta. O objetivo é chegar no Rally dos Sertões no ápice da forma física. A prova é longa e se não estiver bem condicionado, não é possível manter a atenção”, ensina o piloto paulista.

A preparação para o Rally dos Sertões durou 25 semanas. Neste período, Jean correu 2.715 quilômetros, pedalou 10.720 quilômetros, nadou 1.800 metros, fez 70 horas de treinamento neuromuscular e mais de 400 horas de treino com moto. Nos últimos dias antes do início do Sertões, entretanto, Jean teve um certo descanso. “Já cheguei no meu ideal. Agora vou apenas fazer um treino de manutenção até a largada”, explica. Com a moto de rali Jean anda em torno de 300 quilômetros em cada treino, e quando vai para a pista de motocross, faz duas baterias de 45 minutos.

Tunico também não tem folga. “Treino em um ritmo muito forte. Faço cross-fit cinco vezes por semana e pedalo três vezes”, conta o piloto mineiro. “Neste ano o Rally dos Sertões será ainda mais pesado, pois as três últimas etapas vão ser disputadas no Jalapão, o que vai exigir muito”, completa.

Gregorio vai à academia de segunda a sexta-feira, onde realiza exercícios de fortalecimento e aeróbicos, corre (em média 10 quilômetros) e nada duas vezes por semana. Além do preparo físico, a atividade ajuda a baixar ansiedade. “Não vejo a hora de iniciar a disputa do Rally dos Sertões. Nossa meta é estar no pódio”, afirma o piloto. Além do físico, é preciso aprimorar a parte técnica e isso demanda muitos quilômetros de treinos. “Ando de moto quatro vezes por semana. Chego a fazer 350 quilômetros por dia”, explica Tunico. “Mas também uso a moto de motocross”, revela. Gregorio sobe na moto duas vezes por semana. O gaúcho tem se dedicado ao motocross, realiza baterias que variam entre 20 e 30 minutos.

Fonte: VipComm

▬   ▬   ♦   ▬   ▬

Irmãos Sacilotti vão de Kawasaki ao Rally dos Sertões

O Rally dos Sertões é o tipo de evento em que os fabricantes aproveitam para colocar seus produtos na “vitrine”, aproveitando para levar seus produtos para perto dos possíveis futuros consumidores. E nessa linha de pensamento, a Kawasaki terá como representantes oficiais da marca os irmãos Ramon e Moara Sacilotti (Equipe KRT – Kawasaki Racing Team).

Sertoes2016_Sacilotti_31_08

Os irmãos Sacilotti vão de Kawasaki ao Sertões 2016 – divulgação

Ramon Sacilotti irá competir pela primeira vez usando uma KX 450F modelo 2016. Já Moara vai de KLX 450R e diz estar muito bem preparada psicologica e fisicamente. Os irmãos Sacilotti. Ambos dizem estar preparadíssimos para o desafio e prometem entrar diretamente na briga pela vitória em suas categorias.

“Bom falta menos de uma semana para o início do Sertões e confesso que estou muito ansiosa, já sou bastante experiente nessa prova que já é minha 17ª participação mas mesmo assim sempre rola a ansiedade, especialmente nessa edição que o Rally voltou a ser muito técnico e exigente, mas estou confiante pois minha moto está perfeita e pronta na sala da minha casa, só esperando o embarque para a largada do Sertões. Sei que será uma prova muito disputada mas trabalhei para estar no pódio e irei brigar por uma vitória. Tenho minhas desvantagens mas na Over 45 irei com bastante bagagem para a disputa” – Disse Moara Sacilotti que compete na Over 45.

“Ganhar o Rally dos Sertões não é uma conquista pessoal, é uma conquista de toda uma equipe e principalmente de uma fábrica, no caso como a Kawasaki, que nos dá toda a estrutura e uma motocicleta excelente capaz de aguentar toda essa quilometragem com essa carga de obstáculos e desafios, sem direito a reposição de motor e etc, ou seja a moto que larga tem que terminar. É um desafio para mim como piloto e para a Kawasaki como marca e estamos prontos para inicia-lo mais uma vez e dessa vez com foco na vitória, pois estou 100% e vou com uma moto excelente por si só. Essa prova é o meu foco principal todos os anos e dessa vez estou realmente pronto para a briga, a moto está top. Eu estou pronto e não ficarei contente com nada a não ser a vitória. Irei competir na categoria Super Production e conto com a torcida de todos!”, disse Ramon Sacilotti.

Fonte: VGCom

▬   ▬   ♦   ▬   ▬

Para coferir a programação do Rally dos Sertões 2016,  clique aqui

Separador_motos



Mário Sérgio Figueredo

Motociclista apaixonado por motos há 42 anos, começou a escrever sobre motos como hobby em um blog para tentar transmitir à nova geração a experiência acumulada durante esses tantos anos. Sua primeira moto foi a primeira fabricada no Brasil, a Yamaha RD 50.