Reclamação Pós-Vendas Suzuki, Resposta Concessionária Barigui de Curitiba, Sem resposta do Representante da marca

Reclamação Pós-Vendas Suzuki, Resposta Concessionária Barigui de Curitiba, Sem resposta do Representante da marca

Reclamação Pós-Vendas Suzuki, Resposta Concessionária Barigui de Curitiba, Sem resposta do Representante da marca

O leitor nos enviou a reclamação em 25/06/2009:

Meu nome é Carlos Alberto de Curitiba-PR, sou proprietário de uma Suzuki Bandit 650 S modelo 08/09 e venho depois de muito tempo necessitar da sabedoria do pessoal do motonline.

Desde os quilometros iniciais da minha motocicleta a mesma apresentou um temperamento de falha nas partidas durante a manhã, com direito a revoluções inconstantes em regulagem de marcha neutra (leia-se ocilando entre 500 rpm e 1300 rpm) e apagões com o motor em giro baixo, principalmente no uso em dias frios ou em necessidades de uma redução drastica de velocidade aonde o motor geralmente apaga, principalmente frio.

Além desse motor falhando o que mais me veio a preocupar foi o consumo excessivo, com todas as médias realizadas na cidade, seja em questão de transito parado até a pista de rolagem limpa a motocicleta me deixava na mão a cada abastecimento aonde as médias apresentadas foram sempre inferiores a 11km/l com alguns momentos caindo para 9,6km/l.

Nessa questão de consumo e falhas estas que estou tendo certas dores de cabeça principalmente em reduções de marcha, aonde o motor abaixo de 3 mil rpm apresenta um sintoma de motor “kickando” nas reduzidas, como se os cilindros não estivessem em sintonia de funcionamento.

Nessa brincadeira fui atingido pela idéia de como era uma motocicleta que era Zero KM e estava amaciando esse consumo poderia estar normal até o amaciamento ser concluido e as falhas de motor poderiam ser resolvidas nas revisões. Mas como nesse mundo nada são flores, hoje minha motocicleta se encontra exatos 8673km, deixada hoje no dia 19/05/2009 na Concessionaria Barigui Motos para revisão de 9000km aonde este meu problema foi passado para tentar ter novamente a uma solução a este meu problema, solução esta que aguardo desde os 1000km aonde foi deixada para a primeira revisão na mesma concessionaria de compra (Barigui Motos), de 3000km aonde a motocicleta foi deixada por mais de uma semana na mesma concessionaria e não foi resolvido o problema, aos 6000km foi deixada na concessionaria Rigon Motos após uma queda por “apagamento” de motor e na tentativa de mudança de concessionaria para ser resolvido o meu problema, aonde foram trocadas as minhas velas por um conjunto novo, e as antigas apresentaram carbonização excessiva por mistura rica do conjunto nas quatro velas conforme fotos enviadas e agora novamente aos quase 9000km após uma conversa com a Gerencia do Grupo Barigui Motos que foi muito atencioso com o meu problema pediu para eles revisarem a moto novamente.

Como as ordens vem sempre de cima já espero continuar tendo esse problema na minha motocicleta, hoje tenho um conjunto de velas carbonizadas com apenas 6 mil km, um conjunto de saidas do escapamento totalmente em tons amarelados por deposito de carbonização principalmente na região de junção dos quatro cilindros e do catalizador e ainda ter o orgulho ferido por sofrer uma queda por defeito do veiculo. Nesses meus apenas 4 anos de motociclista e apenas 26 anos de idade ter que “queimar” a minha motocicleta no mercado para parar de ter dores de cabeça já que a motocicleta comprada no ano passado por R$ 33.000,00 teve valor de troca para a concessionaria de apenas R$ 25.000,00 na negociação de outra motocicleta em vista na mesma Loja.

Nesses meus 4 anos consegui ter poder aquisitivo suficiente para adentrar no mundo das motocicletas de 4 cilindros e o melhor com menos de um ano depois da compra já estar interessado não apenas em trocar a minha atual motocicleta a qual muito me interessava a GSX-R 750 2009, como também adicionar mais uma motocicleta a minha residencia que seria a nova DL V-Strom 650 para eventuais viagens, mas depois de tal tratamento mediante o meu problema, acredito que o retorno que estou recebendo pelas concessionarias Suzuki acabam não sendo merecedores do meu suado dinheiro.

Peço aos amigos motonliners se já houve tal problema relatado por usuarios, e qual seria a possivel solução para o problema da minha Bandit 650, pois não gostaria de “queimar” um bem que suei para conquistar e que por problemas acarretados por deficiencia do produto, acabarei ter que vender e sem ter nenhuma solução.

ps: Nota Fiscal n.º: 0015973 da Barigui Motos, Faturada em 25/07/2008 e até hoje estou aguardando o manual do meu modelo injetado, pois a mesma veio com o manual do modelo ainda carburado mesmo após varios pedidos através de email com o SAC suzuki e da concessionaria Barigui Motos e mais de 700 litros de combustivel gastos com direito a gasolina Comum, Aditivada, Podium e varias notas fiscais de postos diferentes da cidade de curitiba.

Em 06/07/2009 a Concessionária Barigui nos respondeu:

“Boa tarde,
O cliente Carlos pegou sexta-feira a sua moto da nossa oficina, estamos aguardando a resposta do mesmo para verificar se a moto agora esta a seu contento.
att.
José Carlos Amaral Ferreira
Barigui Motos”

R: Em contato novamente com a Concessionária para obter uma resposta se a motocicleta ficou dentro dos padrões ou não, não houve resposta. Apenas a afirmação de que o cliente deveria ter ficado satisfeito, pois seu pai comprou uma DL 650 V-strom.

Em contato com o leitor, o mesmo afirmou não ter recebido, ainda, o manual do usuário e que a Bandit 650 S continua desregulada.

Caros leitores aqui está mais um problema de PÓS-VENDAS! Faça valer seu dinheiro, compre com razão e não com emoção. Invista seu dinheiro na marca que oferece um bom Pós-vendas, ofereça rápida reposição de peças, tem concessionárias capazes de resolver os problemas da máquina. Use a internet como ferramenta de busca, de elucidação de dúvidas… Fique atento as reclamações dos consumidores vítimas do péssimo atendimento.

A J. Toledo do Brasil não respondeu a este problema, mesmo após 3 tentativas, via e-mail. O canal está aberto.

Grande abraço e não esqueçam: não há razão quando se ganha uma lesão. Pilote equipado e defensivamente