biz_125_1

Renovada, Honda Biz completa 20 anos em 2018

A Honda Biz completa 20 anos em 2018 e pode ser considerada um fenômeno no mercado brasileiro. Logo no primeiro ano após sua apresentação ocupou uma das três primeiras posições no ranking de venda de motocicletas para não sair mais dali. Seu desempenho de mercado é tão forte que em várias cidades no Brasil ela é o veículo automotor mais vendido, com mais de 50% dos emplacamentos.biz125_branco-perolizado

Outros dados que impressionam são os números de venda por região, que mostram que ela é a moto mais “democrática” do Brasil, pois está presente de maneira uniforme em todos os estados e regiões, além de agradar a todos os tipos de consumidores – homens e mulheres, jovens e adultos, ricos e pobres. “A Biz tem mais de 40% de seus compradores do sexo feminino”, conta Hayato Ikejiri, supervisor de planejamento de produto da Honda, para ilustrar a força e a presença da Honda Biz.

Marcos Monteiro: Queremos conquistar  novos clientes, que estão comprando scooter

Marcos Monteiro: Queremos conquistar novos clientes, que estão comprando scooter

Você até pode pensar que estes expressivos resultados acontecem apenas porque ela custa pouco. Em parte você tem razão, mas a moto possui atributos que são apenas dela e que a tornam a preferida de muitos motociclistas, como o exclusivo espaço sob o assento e o escudo frontal, duas características de scooter, e as rodas grandes igual motocicleta. “A Biz é a moto da Honda que tem a maior taxa de fidelização”, informa Marcos Monteiro, gerente de vendas da Honda. “Muitos clientes em todo o Brasil trocam sua Biz usada por outra Biz nova, sem sequer pensar noutra motocicleta”, complementa.mapa_2

Apesar dos excelentes indicadores da moto, a Honda quer que a Biz voe mais alto e conquiste novos clientes, traga uma parte desse público novo que está comprando scooter para ela. Com o slogan “Nova Honda Biz – Tamo junto”, a campanha mostra os atributos que fazem da moto uma ótima companheira para todos os dias e todas as situações urbanas. “Colocaremos dentro da campanha os próprios consumidores, onde eles poderão fazer uma selfie e se tornar o personagem”, conta o entusiasmado Marcos Monteiro, que fala de metas ousadas para as novas Biz 2018, mas sem citar números. “Queremos ganhar mais espaço no mercado”, simplifica.

biz-venda

Vendas

C100 Dream

Biz 100, 110i e 125i

Total

1.992 1.913 1.913
1.993 3.039 3.039
1.994 3.923 3.923
1.995 8.556 8.556
1.996 18.951 18.951
1.997 35.524 35.524
1.998 5.603 50.165 55.768
1.999 72.488 72.488
2.000 101.082 101.082
2.001 114.302 114.302
2.002 126.545 126.545
2.003 146.305 146.305
2.004 142.431 142.431
2.005 147.841 147.841
2.006 160.007 160.007
2.007 202.273 202.273
2.008 196.171 196.171
2.009 169.755 169.755
2.010 189.142 189.142
2.011 222.679 222.679
2.012 222.557 222.557
2.013 240.195 240.195
2.014 224.407 224.407
2.015 184.154 184.154
2.016 118.798 118.798
2.017 101.314 101.314

 Totais

77.509

3.132.611

3.210.120

Honda Biz: desenvolvida para o Brasil

Econômica, prática, resistente e de manutenção muito simples, quem usa a Honda Biz ainda tem a facilidade da embreagem semi-automática (centrífuga), que dispensa o acionamento pela manete no guidão que, combinada com o câmbio rotativo de 4 velocidades, permite passar as marchas apenas pisando no pedal e retornar para o neutro sem precisar usar o pé por baixo da alavanca para voltar marchas nem apertar a embreagem com a mão esquerda.

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

Biz 110i

A primeira versão brasileira dessa Cub – C100 Dream – foi produzida e vendida por aqui entre 1992 e 1998. Só que a Honda queria algo mais próximo do scooter, com a praticidade do bom espaço sob o banco, mas sem o “problema” das rodas pequenas. Assim surgiu a ideia de reduzir o tamanho da roda traseira para ganhar espaço sob o banco. Isto feito, nasceu a Biz em 1998, com porta-objeto, jeitão de scooter e estabilidade de moto. “Essa ideia ganhou o nome de Brazil’s Cub, que procurou colocar na C100 Dream coisas que o público queria e que só estavam presentes em scooter, como a proteção para as pernas e o espaço sob o assento”, explicou Ikejiri.

Na Biz 110i, somente duas opções de cores

Na Biz 110i, somente duas opções de cores

Assim nasceu a Biz, a Cub que o mercado brasileiro queria comprar e que tem esse nome porque era assim que as pessoas da fábrica envolvidas no desenvolvimento dela chamavam o projeto – Biz.As características únicas da Biz foram criadas com base na Honda Super Cub (CUB – Category Uper Basic – categoria básica superior), que é na verdade o veículo automotor mais vendido no mundo e foi criado pela Honda em 1958. Daquela moto a Honda decidiu trazer ao Brasil a C100 Dream, em 1992, mas que não teve grande aceitação pelo público brasileiro, mas mesmo assim, aparecia entre as motos mais vendidas. Até a Yamaha resolveu imitar a Honda com sua C100 Dream e trouxe a Crypton, em 1995, também uma Cub com motor de 105 cc, que fazia muito sucesso na Indonésia, mas que por aqui teve apenas um relativo sucesso para a marca e não chegou a competir com a Dream.

Já na Biz 125i, quatro opções para todos os gostos

Já na Biz 125i, quatro opções para todos os gostos

Naquele momento, abril de 1998, ela nasceu com o mesmo conjunto mecânico da Dream, motor de 100 cc, câmbio rotativo de 4 velocidades e embreagem centrífuga semi-automática. Nos 20 anos seguintes a moto evoluiu bastante, ganhou a versão com motor de 125 cc em 2005, a injeção eletrônica em 2007 e a versão bicombustível em 2011. No meio do caminho (2007) surgiu a Honda Pop, um versão despojada da Biz para atender clientes que usam a moto na zona rural e não querem as carenagens plásticas. Em 2012 o motor que era de 100 cc passou a ter 110 cc e vários outros pequenos ajustes foram sendo introduzidos na Honda Biz.

Chassi underbone: resistência e simplicidade

Chassi underbone: resistência e simplicidade

Para as versões 2018 da Honda Biz 110i e 125i, algumas renovações foram introduzidas nos dois modelos. Tanto a Biz 110i como a Biz 125i compartilham mudanças no design da carenagem frontal, com um novo grupo óptico, laterais e rabeta com novo desenho, além, claro, das novas opções de cores de assento e partes internas. O espaço sob o assento recebeu uma pequena ampliação de 10 centímetros na largura e uma reconfiguração interna para poder transportar documentos de tamanho A4 em suas laterais. Outra novidade fica pela alteração no sistema de abertura do banco, agora centralizado na chave de ignição: basta pressionar a chave e girá-la no sentido horário para ter acesso ao compartimento.

Novidades: tomada 12V, painel blackout (125i) com Eco Lamp e novo gancho retrátil

Novidades: tomada 12V, painel blackout (125i) com Eco Lamp e novo gancho retrátil

A Biz ganhou também um novo gancho retrátil para transporte de bolsas, sacolas ou mochilas na face posterior do escudo frontal, cujo desenho permite travamento que impede que sacolas, mochilas ou bolsas transportadas se soltem em um eventual movimento ocasionado por irregularidade do terreno. Aliado deste aperfeiçoamento está a tomada de força 12 V, cujo posicionamento foi estudado para não interferir na operação de carga e descarga do espaço sob o assento.

Outro item de importância prática é o novo painel. Totalmente em LCD e usando a tecnologia blackout, com fundo escurecido que melhora a visualização das informações, é dotado de uma ECO-LAMP, luz alerta que avisa o condutor quando o estilo de pilotagem é o que melhor contribui para a economia de combustível.

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

Biz 125i

A segurança do CBS – Freio combinado

Os motores das duas versões da Biz foram mantidos. Tratam-se de dois motores de um cilindro arrefecidos a ar e dotados de injeção eletrônica PGM-FI (bicombustível na Biz 125i e gasolina na Biz 110i) empurrados por câmbio semiautomático de 4 velocidades. Na Biz 110i a potência é de 8,3 cv com torque de 0,89 kgf.m enquanto que na Biz 125i a potência é de 9,1 cv com torque de 1,01 kgf.m. Pouca diferença para motos cujo apelo não está na velocidade.

Campanha da nova Biz 2018: "Tamo junto"

Campanha da nova Biz 2018: “Tamo junto”

À partir das versões 2018 tanto a Biz 110i quanto a 125i perdem o pedal de partida e ficam apenas com a partida elétrica. Ambas ganharam também o sistema de frenagem CBS – Combined Brake System – no qual o pedal do freio atua em proporções diferentes tanto na roda traseira como também na dianteira, permanecendo a alavanca no punho da direita exclusiva do freio dianteiro. A Biz 110i está equipada com o sistema CBS atuando com sistema de freio tambor-tambor enquanto a mais potente Biz 125i se vale do CBS em configuração de freio disco dianteiro/tambor traseiro.

Disponíveis na rede de concessionárias Honda de todo o Brasil, as novas Honda Biz 2018 são apresentadas nas cores vermelho e branco para a Biz 110i e em versões branco perolizado, preto perolizado, vermelho perolizado e a inédita laranja perolizado para a Biz 125i. Os preços públicos sugeridos são R$ 7.590,00 para a Biz 110iR$ 9.390,00 para a Biz 125i. Estes valores tomam por base o Estado de São Paulo e não incluem as despesas com frete e seguro. A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem mais sete trocas de óleo gratuitas.

Ficha Técnica

Honda Biz 110i

Honda Biz 125i

Motor OHC, um cilindro, 4 tempos, arrefecido a ar
Capacidade cúbica 109,1 cc 124,9 cc
Sistema de partida Elétrica
Tipo de combustível Gasolina Etanol ou gasolina
Capacidade do tanque de combustível 5,1 litros (1,4 litro reserva) 5,1 litros (1,5 litro reserva)
Alimentação Injeção eletrônica PGM-FI
Torque máximo 0,89 kgf.m a 5.500 rpm 1,04 kgf.m a 3.500 rpm
Potência máxima 8,3 cv a 7.250 rpm 9,2 cv a 7.500 rpm
Transmissão 4 velocidades
Embreagem Centrífuga, semi-automática
Tipo de chassi Underbone
Pneu dianteiro 60/100-17
Pneu traseiro 80/100-14
Freio dianteiro Tambor / 130 mm com CBS Disco / 220 mm com CBS
Freio traseiro Tambor / 110 mm com CBS
Comprimento total 1.894 mm
Altura total (com retrovisores) 1.085 mm
Altura do assento 753 mm
Largura 707 mm 714 mm
Distancia mínima do solo 131 mm
Distância entre eixos 1.264 mm
Peso seco 97 kg 100 kg
Suspensão dianteira Gafo telescópico / 100 mm de curso
Suspensão traseira Braço oscilante com dois amortecedores / 86 mm de curso

separador_biz



Sidney Levy

Motociclista e jornalista paulistano, une na atividade profissional a paixão pelo mundo das motos e a larga experiência na indústria e na imprensa. Acredita que a moto é a cura para muitos males da sociedade moderna.