Repercussão Acidente Anhanguera, Que moto comprar?, Segurança, Repercussão MVK

Repercussão Acidente Anhanguera, Que moto comprar?, Segurança, Repercussão MVK

Repercussão Acidente Anhanguera, Que moto comprar?, Segurança, Repercussão MVK

Aconselho o nobre colega Antonio Carlos Garcia – Três Lagos – MS, que combateu a opinião do André, a ler a crônica do Tite ( http://www.motonline.com.br/default.asp? cod=12207&categoria=2 ) sobre o acidente da Anhanguera. Será que ele também chamará o texto o Tite de corporativista, precário, ignorante,inseguro, etc ??André, você está corretíssimo nas tuas opiniões. Leia também o texto do Tite (se é que já não leu), pois também é ótimo. De uma lucidez, responsabilidade e imparcialidade invejáveis. Eu ando de moto diariamente e confesso uma coisa: o que mais me assusta no trânsito não são os carros, nem os caminhões, nem os pedestres, nem os cachorros e nem os assaltantes. O que mais me assusta, mais me estressa e me deixa mais indignado, por incrível que possa parecer, são alguns outros motociclistas. Nem preciso dizer porquê, né ?! Josué Nunes – São Leopoldo – RS

R: A seu pedido, nosso editor deu destaque ao texto de Geraldo TITE Simões na Home.

Ola, Primeiramente gostaria de parabenizar o excelente trabalho que voces fazem no site. Muito bom mesmo. Gostaria de uma ajuda. Li praticamente todos os comparativos que ha no site e por mais que me ajudou muito a identificar os lados positivos e negativos das opcoes que temos no mercado, ainda estou em duvida a respeito de que moto poderia comprar em torno de 20mil e 30mil.Percebi que o mercado eh bem limitado nessa faixa, ou temos motos de cilindradas muito baixas (e visadas para roubo) ou muito altas (e caras).Gostaria de uma esportiva carenada, mas estas estao muito caras, a unica acessivel seria a Kasinski 650 (28mil) logo depois viria a Suzuki GSX 650 34 mil). Como segunda opcao, olhei as nakeds, Bandit 650S/N (caras, 32mil, porem, fortes) ou XT 660r/Mt03 (bom preco, 27mil, porem fracas). GS500 sem sal Honda tive que tirar da lista pelo alto indice de roubo, infelizmente. O que voces recomendariam na faixa de 20mil e 30mil para andar na cidade e na estrada? Arrisco uma Kasinski? invisto numa Suzuki? Viro alvo numa Honda? Ou me limito a uma yamaha? Gostaria de teste levando em consideracao faixa de preco como primeiro lugar, mesmo estes variando constantemente, tenho certeza que eh a primeira coisa para se levar em consderacao na escolha final. (ps: desculpa a falta de acentos, pc gringo) Andre Rieger, São Paulo -SP

Repercussão Acidente Anhanguera, Que moto comprar?, Segurança, Repercussão MVKR: Xará difícil lhe ajudar, pois não acho XT e MT fracas. Ambas têm 660cc, porém onocilindricas. Óbvio que 4 cilindros é mais confortável numa viagem, tem um ronco maravilhoso. A questão é você fazer uma reflexão e saber onde andará na maior parte do tempo: na cidade ou na estrada? Se for cidade, você pode se dar o luxo de gastar mais na manutenção, se optar por uma 4 cilindros? Ainda, se for cidade não é melhor uma monocilíndrica,cuja manutenção é mais barato. E o seguro? Hoje eu começo a compra de uma motocicleta decidindo o estilo, depois pelo seguro, depois vou para manutenção e por último o consumo. Concordo com a falta de opções, dá depressão ver o site das montadoras em outros países. De toda forma, boa sorte e desculpa por não poder lhe ajudar como deseja.

Olá a todos do Motonline.Escrevo este e-mail para agradecer e para incentivar ainda mais o trabalho de vocês. Desmestificar mitos e colocar na cabeça desses motociclistas que andar bem não é andar rápido, mas sentir prazer ao estar com a sua moto, deve ser um trabalho estressante, pois o povo brasileiro é malandro, e se puderem economizar R$ 15 reais entre um capacete ótimo e novo por um usado, vão pelo usado. Aprendi a “domar” a minha twister, quando a tinha, por aqui. Frenagem segura, curva, aceleração, dosagem dos freios, e tenho somente a agradecer, pois dificilmente passei por alguma situação de risco extremo, e somente algumas pouquíssimas vezes acabaram em queda, mas que puderam serem controladas até.Se tivessem um pouco mais de apoio das lojas e até das fábricas do ramo, poderiam realizar um trabalho muito melhor sobre toda essa paixão que se chama motociclismo. Mas, uma fez em lisarb, devemos andar pelas regras de lisarb. Grande abraço, and keep tha god work. Fabricio Gwadera, Cascavel – PR

R: Obrigado pelas palavras, mas não ficamos estressados, ficamos aborrecidos porque sabemos como milhões de cidadãos, que muitos problemas seriam resolvidos com uma educação de base forte, a carreira do professor valorizado, investimentos no esporte como aperfeiçoamento da educação e do caráter da criança, dentre outras mais questões. Quem sabe um dia o Congresso Nacional gasta menos com passagens aéreas e paga melhor os heróicos professores desse Brasil.

Vendo o caso deste consumidor que comprou uma MVK e tantos outros que aparecem aqui no Motonline, não dá pra pensar em outra coisa: motocicleta no Brasil é Honda e Yamaha! Carlos Antônio – Banabuiú – CE

R: Carlos apenas completando sua afirmação, há outras boas marcas no Brasil: Suzuki, Kawasaki (recém chegada e que promete) e BMW. Há outras marcas européias, mas que não são importadas pelas próprias marcas ou fabricantes, ficando o consumidor meio que órfão. As chinesas “transvestidas” como brasileiras tem que trabalhar muito para chegar no nível das japonesas como produto e pós-vendas, ressaltando, que o “pós-vendas” das japonesas ainda não atingiram no Brasil o nível profissional da Europa, América do Norte, Ásia, mais especificamente, Japão e Oceania, mais especificamente, Austrália.

Acredito que o grande diferencial num futuro próximo para o mercado brasileiro será o pós-vendas. Algo que já tem grande peso para alguns consumidores mais exigentes.

abraço a todos e não esqueçam: pilote equipado e defensivamente.