Resposta do Deputado: Repercutindo Projeto de Lei que proibe motos de baixa cilindrada nas rodovias

Resposta do Deputado: Repercutindo Projeto de Lei que proibe motos de baixa cilindrada nas rodovias

Resposta do Deputado: Repercutindo Projeto de Lei que proibe motos de baixa cilindrada nas rodovias

Segue abaixo a cópia do e-mail encaminha ao Deputado Waldir Neves, expressando minha revolta como motociclista e cidadão: “Ilustríssimo Deputado, boa tarde. Serei objetivo e direto. Eu analisei o seu projeto de lei 4701/2009 e fiquei revoltado com vossa proposta. Sinceramente acredito que o Deputado não anda de moto e não possui capacitação técnica ao verificar tal proposta. O Código brasileiro de transito diz que a velocidade mínima em uma via deve ser 50% inferior a máxima. Se nas vias federais de trânsito rápido ou arterial – onde a velocidade máxima é de 80 km/h e 60 km/h, logo 50% é 40 Km/h e 30 Km/h respectivamente (uma moto de 125 CC tem em média uma velocidade de cruzeiro de 90 Km/h e uma máxima de 110 Km/h). Deputado faça um favor : quando for elaborar uma lei, procure conversar com pessoas do meio, isso serve para qualquer setor da sociedade. No caso deste projeto, procure conversar com pilotos profissionais, jornalistas especializados (que também são ótimos pilotos) e procure dar uma pesquisada nas soluções encontradas por outros países mais desenvolvidos neste quesito como Alemanha e Itália, onde o assunto sobre trânsito (e o ser humano) é tratado com seriedade pelas autoridades. Pagamos impostos absurdos como IPVA, DPVAT, Pedágios entre outros e não temos um mínimo de retorno. Se o Ilustríssimo Deputado deseja nos ajudar, gostaria de dar uma sugestão: obrigar as moto-escolas a oferecerem aulas de mais qualidade e não apenas aquelas aulas ridículas ministradas num circuitinho ordinário. São vinte aulas obrigatórias num sistema de ensino ridículo, onde não se ensina frear, fazer curvas, técnicas de pilotagem na chuva, apenas a passar no Exame do DETRAN, que é igualmente ridículo.
No Japão aulas e os exames incluem teste em circuitos para verificar a capacidade real do aluno, além das aulas e exames de percurso. Isso sim é um sistema decente que funciona, não esta baderna aqui instituída onde políticos fingem que se preocupam com a população, as auto-escola fingem que ensinam e muitos motociclistas fingem que sabem andar…Gostaria de fazer uma rápida pergunta: por que para atrapalhar a vida do cidadão de bem os Senhores Deputados aprovam leis com uma velocidade impressionante e para endurecer a pena para os criminosos vocês ficam enrolando? Sugestão: Elaborar uma lei que puna as pessoas que causam acidentes de trânsito por imprudência ou embriaguez da seguinte maneira: se houver uma vítima fatal ou a vítima ficar inválida o motorista causador do acidente será obrigado a pagar uma pensão vitalícia para a vítima ou sua família (como uma pensão alimentícia em caso de divórcio). Pense nisso. Atenciosamente, Fernando Oliveira Lopes -Salto-SP

Resposta do Gabinete do Parlamentar ao Projeto de Lei 4701/09, do deputado Waldir Neves (PSDB-MS) Bom dia Cumprimentando-o cordialmente pela crítica que nos foi encaminhada, referente à PL 4701/2009, vimos pela presente esclarecer a essencialidade da apresentação da proposição em questão. Aduz, informar-lhe que o projeto apresentado visa trazer para debates e discussões, o assunto que tem como foco principal a segurança dos motociclistas, uma vez que as motos abaixo de 125 cilindradas são frágeis e, inapropriadas para uso rodoviário, pois suas características construtivas são essencialmente voltadas para o tráfego urbano (veículos muito leves, menor estabilidade, apropriados para baixas velocidades, etc). Vale ressaltar, que o tráfego nas rodovias, principalmente as federais, é caracterizado por veículos de transporte de cargas pesadas e limites de velocidades mais elevados, o que expõe as pequenas motos e seus condutores ao risco maior de acidentes quando trafega nestas vias. Conforme avaliação fundamentada pela avaliação de acidentes graves ocorridos nas estradas e, publicadas pela Imprensa Brasileira constatamos um aumento assustador de acidentes envolvendo as pequenas motos com elevado índice de mortes.
Agradeço a atenção e atuação e, colocando-nos a disposição para as discussões necessárias, se houver, apresentamos nossas cordiais saudações. Atenciosamente, Cirelle Souza
Assessora Parlamentar
Deputado Federal Waldir Neves PSDB/MS

R: Continuo com nosso posicionamento, antes de proibir vamos tornar o transporte público democrático, caso contrário a lei se tornará discriminatória.